PUBLICIDADE

Topo

Ana Paula Xongani

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Muito além da beleza: autoestima é estado de espírito e precisa ser nutrida

Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Paula Xongani

Ana Paula Xongani é multiempresária: no Ateliê Xongani, de moda afro-brasileira, e também na empresa que leve o seu nome, de criação de conteúdo. Apresenta o programa Se Essa Roupa Fosse Minha, no GNT, sobre moda consciente. Fala com leveza e responsabilidade sobre temas sempre importantes para que todo mundo junto construa um mundo mais justo e acolhedor para todos, especialmente para as mulheres pretas. Ativismo afetivo, como costuma dizer.

Colunista de Universa

09/09/2021 04h00

Já falei sobre autoestima por aqui algumas vezes e isso está fazendo muito bem a mim e também a vocês — de acordo com os comentários que recebo. A escrita sobre isso recarrega minha própria bateria e desejo que aconteça o mesmo por aí.

Há quem confunda o que é autoestima. Definitivamente, ela não tem nada a ver com estética, nem nada a ver com estar bonita, arrumada. Tem muita gente que está linda por fora, mas está destruída por dentro

Autoestima vai muito além disso. Significa ter a confiança para pedir aumento para o chefe, porque sabe que o seu trabalho vale mais. Dedicar-se aos estudos, porque sabe que tem capacidade de passar naquela prova. Pode ser ainda a força para sair de um relacionamento abusivo, porque sabe que merece uma vida melhor.

A estética tem que vir como estopim, como reflexo do que está ali por dentro. Cá para nós: é bem mais fácil se maquiar do que resolver as coisas que estão lá dentro.

Tem uma coisa que eu acho muito engraçada: às vezes, as pessoas me encontram na rua e falam assim: ''Xongani, eu queria ter a autoestima que você tem!" e eu penso ''tadinha, ela não sabe da missa a metade''. Ou então quando eu reclamo com alguém assim: ''Nossa, gente, calma! Acho que é muito pra mim. Não sou a pessoa certa pra fazer isso, não sou bonita o suficiente pra tal coisa'' e as pessoas falam: ''Nossa, você Ana Paula Xongani, sem autoestima?''.

Eu cheguei à conclusão que a autoestima não é ter, não é ser, e sim estar. Ela é um estado. Você está com autoestima, você não tem autoestima. Ninguém tem autoestima como posse, como uma mochila que carrega nas costas e leva para todos os lugares, ou ainda algo que você compra e para sempre será seu.

Por exemplo, a gente precisa se alimentar todo dia para ficar forte, saudável... A autoestima é a mesma coisa. Todo dia você precisa se alimentar um pouco para que ela esteja em um nível adequado.

A partir do momento que você entende que autoestima ninguém tem, apenas está com ela naquele momento, você vai ter muito mais vontade de correr atrás, construir e se alimentar dela

Claro que a internet é um grande universo para te iludir e te fazer achar que as pessoas têm uma autoestima muito mais bem resolvida que você. Mas a gente sabe que a internet é lugar que fazemos muitos recortes, só se publica o que é mais interessante da sua vida. Garanto que, se ao invés de me acompanhar pela internet, você ficasse comigo por 24 horas - ou até menos que isso, 12 horas - compreenderia que existem muito mais coisas para resolver do que resolvidas.

Se você for uma mulher negra, entenda que recorrentemente você precisa voltar para frente do espelho e relembrar tudo que aprendeu na sua trajetória. Se você for uma pessoa que ama alguém do mesmo gênero que você vai precisar, de tempos em tempos, ir aos seus espaços e lembrar que ninguém vai poder te dizer qual é a forma certa de amar. Isso também é autoestima.

Se você está tentando entrar no mestrado, na graduação ou na faculdade, e achar que não é capaz, deverá conversar com as pessoas que fizeram os mesmos caminhos que você e se alimentar disso durante todo o processo.

Essa vem sendo a minha grande chave para garantir a minha autoestima. Primeiro, entender que sou um ser incompleto - eu não estou pronta, eu nunca vou estar pronta - e voltar, me reconectar, me olhar, reconstruir e acessar novamente os caminhos que eu fiz para me sentir bem.

É um processo diário, frequente, constante. Então, guarde isso pra você: a falta de autoestima é como se você estivesse com fome. E eu comecei a ser uma caçadora de alimentos que fortalecem a minha autoestima.

Em cada um dos meus pontos de contato com vocês, pelos comentários, directs e tudo o mais, acontecem coisas incríveis. Às vezes, eu leio e falo assim: ''Mano, na moral, cara, essa galera é muito f*da'', então eu já vou te perguntar, porque eu sempre digo que os comentários que vocês deixam aqui não são só para mim, é para você também exercitar a escrita sobre quem é. Me conta: quais são os seus ingredientes hoje para construir a sua autoestima? Pode ser desde fazer a unha a um abraço apertado numa pessoa que você ama.

Vamos compartilhar e nos ajudar para cada um que estiver lendo aqui? Conto com você.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL