PUBLICIDADE

Topo

Ana Paula Xongani

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Projota & Arthur no BBB: vocês já repararam que homem gosta muito de homem?

Projota e Arthur no BBB: exemplos de dois homens que se admiram - Reprodução/Globoplay
Projota e Arthur no BBB: exemplos de dois homens que se admiram Imagem: Reprodução/Globoplay
Ana Paula Xongani

Ana Paula Xongani é multiempresária: no Ateliê Xongani, de moda afro-brasileira, e também na empresa que leve o seu nome, de criação de conteúdo. Apresenta o programa Se Essa Roupa Fosse Minha, no GNT, sobre moda consciente. Fala com leveza e responsabilidade sobre temas sempre importantes para que todo mundo junto construa um mundo mais justo e acolhedor para todos, especialmente para as mulheres pretas. Ativismo afetivo, como costuma dizer.

Colunista de Universa

18/03/2021 04h00

Vamos começar direto ao ponto a coluna de hoje: homem gosta muito de homem!

Isso não deveria ser um problema, afinal homens gostarem de homens é beleza, firmeza, tudo ótimo. Mas, tem um ponto que é o seguinte: as mulheres também gostam muito de homens. E, a partir daí, vou jogar aqui: de que gostar estou falando?

E, se geral gosta dos homens, quem gosta das mulheres então? Calma, eu juro que tenho um caminho a seguir com estas perguntas.

Neste texto, definitivamente não estou falando de relações afetivo-sexuais entre homens. Não é deste "gostar" que estou falando. O que estou querendo dizer, e que provavelmente vocês já repararam, é que homem assiste homem pra caramba, homem lê homem pra caramba, homem cita homem pra caramba, os grandes ídolos dos homens são outros homens, se você pergunta qual música preferida, provavelmente virá o nome de um homem. Vemos algo assim até ao assistir BBB, nas relações entre Arthur e Projota, e Rodolffo e Caio.

Aí eu vou perguntar para você, mulher que está lendo aqui. Quem são as mulheres que você lê, que você cita na faculdade, nos seus trabalhos? Quem são as suas ídolas? Porque a gente vai precisar dar uma equilibrada nisso aí. To falando de amor, de respeito, admiração, reverência.

Tem um tempo já, li um texto da filósofa norte-americana Marilyn Frye que dizia o seguinte: "Tudo, quase tudo que é próprio do amor, a maioria dos homens heterossexuais reservam exclusivamente para outros homens. As pessoas que eles admiram, respeitam, adoram, veneram, honram, imitam, idolatram e com quem criam vínculos mais profundos, a quem estão dispostos a ensinar, com quem estão dispostos a aprender, aqueles cujo respeito, admiração, respeito, honra, reverência e amor eles desejam, eles são em sua maioria esmagadora, outros homens".

Olha só isso, gente! Se repararmos bem os homens do nosso entorno, é muito provável que não possamos discordar dessa afirmação.

Agora, tem uma coisa. O que eu também entendo deste texto é que a ideia de amor pode ser expandida. Que amor, a construção do "sentir amor", tem também a ver também com quem você lê, assiste, venera, admira. E, considerando a sociedade que a gente vive, que homens têm uma tendência - e não só eles, importante deixar posto - a amar, venerar outros homens.

Então seria interessante, assim, uma propostinha da Xonganinha, que nós mulheres, aprendêssemos a nos amar também, que a gente pudesse aprender a dedicar o amor da referência, da dedicação para outras mulheres.

E aí vou voltar aqui pro texto que diz assim: "das mulheres eles querem servidão, servitude e sexo". Estruturalmente, é isso mesmo. E muito disso se reflete nas relações ruins que todas nós já tivemos ou temos em nosso dia a dia com nossos companheiros, amigos, parceiros de trabalho. E, convenhamos, temos muito mais a oferecer que isso, somos muito mais que isso. Certo? Certo!

Mas pra isso, é importante sim consciência feminista. Olha lá o feminismo que muita gente diz que a gente não precisa. A gente precisa, sim! Para ter instrumentos que nos permitam enxergar isso, compreender isso e elaborar isso de uma forma que possamos praticar, de fato, o amor entre nós, mulheres, e para nós, mulheres. Esse amor amplo que comento aqui.

Aproveito, claro, para dizer aos homens que podem estar lendo este texto que vocês também precisam começar a amar as mulheres. Respeitá-las, admirá-las, querer aprender com elas sobre os mais diversos assuntos também.

Então, vamos começar esse exercício? Me conta aqui nos comentários quem são as mulheres que vocês estão amando agora?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL