PUBLICIDADE
Topo

Moto G 5G Plus: câmera dupla frontal é bacana, mas foto noturna decepciona

Bruna Souza Cruz

De Tilt, em São Paulo

11/11/2020 04h00

O Moto G 5G Plus, o primeiro da linha compatível com a rede de quinta geração, chegou ao Brasil em outubro deste ano por R$ 2.999. O 5G é sem dúvida o maior destaque do celular do ponto de vista de novidade.

A Motorola conseguiu com esse aparelho intermediário oferecer um celular 5G mais acessível ao público— o mercado atual conta com o Moto Edge+ (R$ 7.999) e o Samsung Galaxy Note 20 Ultra (R$ 7.999). E, daqui alguns dias, com a linha iPhone 12 (preços entre R$ 6.999 e R$ 13.999).

Do ponto de vista de mercado, é uma estratégia interessante para marcar presença na nova era de quinta geração. Agora, na prática, o Brasil ainda não tem uma rede 5G efetiva. Logo, ter um celular com 5G ainda não faz tanta diferença.

Algumas operadoras começaram testes em algumas cidades brasileiras adotando uma tecnologia de transição chamada DSS (compartilhamento dinâmico de espectro, da sigla em inglês). O que acontece é que elas "pegam emprestado" um pedaço das faixas de frequência usadas pelo 4G para oferecer a conexão mais rápida. No entanto, ainda não é um 5G com toda a sua capacidade de velocidade de navegação e latência.

Bom, voltando ao Moto G 5G Plus, testei o celular por oito dias e posso dizer que ele é muito mais do que só ser compatível com o 5G. Ele não é perfeito, mas o seu preço reduziu e o custo-benefício dele se tornou mais interessante.


Divulgação

Moto G 5G Plus

Preço

R$ 2.999 (lançamento) R$ 2.699 (atual)
TILT
3,8 /5
USUÁRIOS
4,4 /5
ENTENDA AS NOTAS DA REDAÇÃO

Apesar de ser LCD, a tela trabalha com uma taxa de atualização de 90 Hz. Isso significa uma transição de imagens melhor e mais fluída do que muitos concorrentes.

O celular conta com duas câmeras de selfie. Alguns detalhes poderiam ser melhorados, mas os resultados em geral ficam bons

O conjunto de quatro câmeras é versátil, mas as fotos tiradas em ambientes com pouca luz ainda pecam.

Com um uso do dia a dia, a bateria vai aguentar um pouco mais de um dia completo. Em alguns casos, um dia e meio sem precisar de recarga.

É um celular grande, mas proporção de tela e tamanho foi bem ajustada para o uso.

O celular não trás nada de muito inovador. Mas conseguiu deixar as câmeras frontais discretas e o acabamento na parte de trás deixou o celular com um visual moderno e bonito.

Pontos Positivos

  • Compatibilidade com o 5G
  • Duas câmeras de selfie
  • Bateria honesta

Pontos Negativos

  • Fotos tiradas em locais com pouca iluminação podem sair sem nitidez e estouradas

Veredito

A experiência de usar a tela, ainda que ela seja LCD, e a duração da bateria merecem pontos positivos. O desempenho fica dentro da média e é bom para a maioria das atividades do dia a dia. Por outro lado, as câmeras ainda falham quando o ambiente possui pouca iluminação. Ter a compatibilidade com o 5G é um plus, mas não deve ser o único motivo para a compra do celular.

O modelo que testei é o azul oceano e é muito bonito. Conforme a luz bate na traseira do celular, os tons vão mudando. Minha impressão aqui é só que ele parece meio frágil.

Na parte traseira, a Motorola agrupou as quatro câmeras em um módulo quadrado.

Moto G 5G Plus: traseira do celular, cores vibrantes e bonitas - Bruna Souza Cruz/UOL - Bruna Souza Cruz/UOL
Traseira do celular exibe tons vibrantes do azul
Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Na parte frontal, o celular tem uma tela de 6,7 polegadas e possui dois pequenos círculos para abrigar as duas câmeras de selfie— é a primeira vez que a Motorola adota esse conjunto em seus aparelhos.

Moto G 5G Plus: parte frontal do celular traz uma tela de 6,7 polegadas - Bruna Souza Cruz/UOL - Bruna Souza Cruz/UOL
Parte frontal do celular traz uma tela de 6,7 polegadas
Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Um ponto positivo da tela é que a taxa de atualização é de 90 Hz. Isso significa que a transição de imagens mais suave e fluída. Muitos celulares do mercado trabalham atualmente com 60 Hz.

Muita gente pode nem perceber isso durante o uso. Mas é interessante se pensarmos em avanços de tecnologia. A experiência da tela em jogos tende a ficar melhor por isso. A tela do celular reproduz cores mais saturadas, mas dá para ajustar nas configurações se você não gostar.

Com uma tela desse tamanho, o Moto G 5G Plus fica na categoria de celulares com telas "gigantes". Apesar disso, achei que o modelo conseguiu equilibrar bem as suas proporções. Ele é mais comprido do que largo, o que não dificulta na hora de segurá-lo.

Mas ressalto o que sempre falo quando o assunto é celular grande: quem tem mãos pequenas (como eu) vai sofrer um pouco.

O sensor de impressão digital fica na lateral direita do celular e é o mesmo botão usado para ligar e desligar. Considerando o tamanho do aparelho, a posição é bem ok.

O conjunto de câmeras principais do Moto G 5G Plus é quádruplo, o que oferece variedade para quem curte tirar fotos com o celular. Cada lente tem uma função:

  • Lente de 48 MP: fotos padrão
  • Lente de 8 MP: grande angular
  • Lente de 5 MP: macro (que ajuda na hora de fotos com objetos aproximados)
  • Lente de 2 MP: profundidade de campo
Moto G 5G Plus: detalhe da câmera quádrupla do celular - Bruna Souza Cruz/UOL - Bruna Souza Cruz/UOL
Detalhe da câmera quádrupla do celular
Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

Em locais com uma iluminação mais equilibrada, as fotos ficaram com bom equilíbrio de cores, nitidez e com o cenário ao fundo detalhado. As imagens tiradas com a lente principal ficam melhores do que as com a lente grande angular nesses quesitos também.

O mesmo não aconteceu com as fotos tiradas em locais com menos iluminação. Não gostei muito. Consegui algumas fotos borradas e com pouca nitidez.

Para ajudar, existe o modo noturno (chamado Night Vision), que pode ser ativado antes de tirar a foto. O celular usa um sistema inteligente para melhorar a imagem após o clique.

Comparando as fotos tiradas com e sem o recurso, elas ficam bem melhores com ele ativado. Mas não espere muito. Em alguns casos, a impressão que deu é que o celular tenta deixar tudo perfeito demais. Com isso, a foto não fica natural, fica com um aspecto forçado.

Testei também o sensor macro e os resultados foram bons. Ele consegue deixar o objeto aproximado bem definido. Talvez não seja uma lente que a maioria das pessoas use com frequência, mas ela está aí como opção.

Moto G 5G Plus: funções para tirar fotos com o celular - Bruna Souza Cruz/UOL - Bruna Souza Cruz/UOL
Funções para tirar fotos com o celular
Imagem: Bruna Souza Cruz/UOL

O Moto G 5G Plus oferece recursos de câmeras como:

  • O já conhecido desfoque do fundo
  • Cor em destaque (você seleciona uma cor e todo o resto fica preto e branco)
  • Buscas no Google a partir da câmera principal

Para as selfies, o celular possui duas câmeras frontais. Uma lente funciona para as fotos comuns (16 MP). A outra (8MP) já é direcionada para selfies com um campo de visão maior, com abertura de 180º.

De modo geral, elas tiveram um bom desempenho também, especialmente quando a luz esteve favorável. As selfies tiradas com a lente grande angular produzem fotos com tons de cores diferentes das tiradas com a lente principal. No meu caso, fiquei num tom de marrom bem esquisito. E não gostei muito.

A bateria do modelo tem 5.000 mAh e é um número alto para a maioria dos concorrentes (mesmo que isso esteja mudando aos poucos).

Durante os testes, consegui uma duração média de mais de um dia completo com folga. Isso explorando bastante a exibição de vídeos por horas seguidas e reprodução de músicas também. Em alguns dias, ela conseguiu durar um dia e meio.

Uma ressalva: Eu não pude testar a conexão 5G, infelizmente. E durante os testes usei mais o celular com conexão wi-fi. Isso pode ter ajudado a bateria a durar mais do que se eu usasse o aparelho o dia todo na rua.

O Moto G 5G Plus vem com o processador que não é um top de linha, mas é bom para a maioria das coisas que fazemos no dia a dia. Internet, redes sociais, Whatsapp, email, entre outras práticas.

Não tive problemas com nenhum aplicativo ou função do celular travando. A navegação na internet ocorreu sem falhas.

O celular trabalha com o Snapdragon 765 e 8 GB de memória RAM. O que causou uma certa surpresa, pois a Motorola costuma adotar até 4 GB de RAM em seus aparelhos.

Nos testes que medem o desempenho do processador (aplicativo Geekbench 5), o modelo teve resultados melhores do que o Moto One Hyper, Moto G8, Xiaomi Redmi Note 9 e Galaxy A51.

O Moto G 5G Plus foi lançado no Brasil por R$ 2.999. No dia do fechamento desse texto o encontrei por R$ 2.699. A redução no preço faz o aparelho ficar mais convidativo.

Dentro dessa (nova) faixa de preço, ele é um aparelho interessante por ter a tecnologia 5G, uma boa bateria e câmeras diferentes para a selfie.

No momento, ele é o celular compatível com a rede de quinta geração mais barato. Ok, quase não existe celular no Brasil que funcione com o 5G ainda. Mas em 2021 possivelmente vamos ver esse quadro mudar.

Ao mesmo tempo, a compra dele agora considerando apenas esse motivo não vale mesmo a pena. Como eu disse no começo, o Brasil ainda não possui uma rede efetiva de 5G funcionando. Logo, essa funcionalidade não vai ser usada tão cedo.

E digo mais: corre o risco de esse modelo ficar ultrapassado quando o Brasil tiver com o 5G voando. Por isso, a compra só é indicada se fizer sentido para você o conjunto de recursos que ele oferece.

Para ajudar em suas pesquisas, dê uma olhada também nos modelos Galaxy A71 e Xiaomi Redmi Note 9. Eles foram lançados por preços parecidos e possuem configurações bacanas também. Eles só não trabalham com a rede 5G.

Especificações técnicas
  • Sistema Operacional

  • Android 10

  • Dimensões

  • 168,3 mm x 74 mm x 9,7 mm; 207g

  • Preço

  • R$ 2.999

Tela
  • Tipo

  • LCD

  • Tamanho

  • 6,7 polegadas

  • Resolução

  • Full HD+ (1.080 x 2.520)

Câmera
  • Câmera Frontal

  • Dupla de 16 MP e 8 MP

  • Câmera Traseira

  • Quádrupla de 48 MP, 8 MP, 5 MP e 2 MP

Dados técnicos
  • Processador

  • Snapdragon 765 (2,3 Ghz Octa-Core)

  • Armazenamento

  • 128 GB

  • Memória

  • 8 GB RAM

  • Bateria

  • 5.000 mAh