Cabelo arrepiado e formigamento: os sinais de que um raio pode te atingir

Coceira no dedo e formigamento são sinais que você deve ficar esperto, se o tempo estiver fechado, de acordo com especialistas. Se tiver tendo essas sensações, cuidado: você pode ser atingido por um raio em instantes.

O que aconteceu

No domingo (19), a turista Karlla Araújo participou da subida da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, conduzida pelo guia Leilson Barros de Souza.

Ela fazia uma filmagem com o celular da paisagem quando, de repente, um raio atingiu fatalmente o guia do passeio.

Na hora eu senti um choque na minha mão, mas aí, ao mesmo tempo, ele (marido dela) já fala: 'O cara morreu'. Quando entendi o que estava acontecendo, desliguei o telefone e foi desespero total.
Karlla Araújo, em entrevista ao 'Fantástico', da TV Globo

Marido de Karlla, Paulo Eduardo Santos disse em entrevista ao programa da TV Globo que antes do raio atingir Leilson notou sinais estranhos. "Senti meu dedo coçando e, quando a gente se aproximou do topo, ouvimos um barulho de energia".

O que são esses sinais?

Formigamento, coceira nos dedos e cabelo arrepiado são sensações comuns de quando o campo elétrico do local está muito intenso.

"É parecido com o que acontece como gerador de Van de Graaf, que é mostrado em feiras de ciências", explica o meteorologista Diego Rhamon, doutorando em Geofísica Espacial pelo Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais).

Por que esse fenômeno acontece?

Primeiro, é preciso entender que, para que um raio ocorra, precisam existir cargas opostas entre as nuvens e o solo. Quando isso acontece, a atração entre as cargas é tão grande que provoca a descarga elétrica.

Continua após a publicidade

O cabelo arrepiado é uma tentativa das cargas elétricas do corpo, que estão tentando encontrar as do raio, de se afastarem o máximo possível umas das outras. A mesma coisa pode acontecer com os outros pelos do corpo, assim como o formigamento da pele.

O Brasil é campeão mundial em incidência de raios, com 78 milhões de descargas para o solo a cada ano. Segundo levantamento feito pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), do Inpe, na última década 835 pessoas morreram por causa de raios.

O que fazer para escapar de um raio?

Não fique ao ar livre. Procure imediatamente um local fechado e espere a tempestade passar. Ir para dentro de um carro é uma boa opção, desde que os vidros estejam fechados e não exista contato com as partes metálicas do veículo. Estruturas abertas, como varandas e gazebos, podem não proteger tão bem.

Caso não encontre abrigo, se abaixe o máximo que conseguir. Quanto mais próximo do chão, menor a chance de um raio te atingir. Mas cuidado: mantenha os calcanhares no chão, mas não se deite, nem sente. Quanto menos contato com o solo, menores são as chances de levar um choque.

Continua após a publicidade

Mantenha distância de objetos altos, isolados e que conduzem eletricidade. Não se esconda debaixo de árvores, nem fique perto de postes, quiosques, caixas d'água. Também saia de perto de objetos metálicos grandes e expostos, como tratores, escadas e cercas de arame.

Se estiver na água, saia imediatamente. Uma vez em terra, fique a pelo menos 100 metros da costa

*Com informações do Estadão Conteúdo e de matéria de 16/04/2023

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes