PUBLICIDADE
Topo

5G chega a São Paulo: qual é a área de cobertura? Quais as vantagens?

São Paulo é a 5ª cidade brasileira a receber 5G; num primeiro momento, cobertura será limitada - Getty Images
São Paulo é a 5ª cidade brasileira a receber 5G; num primeiro momento, cobertura será limitada Imagem: Getty Images

De Tilt, em São Paulo

04/08/2022 04h00

O 5G chega oficialmente na cidade de São Paulo nesta quinta-feira (4). As três grandes operadoras que atuam na cidade - Claro, TIM e Vivo - ativarão suas redes, que vão proporcionar maior velocidade de conexão (capaz de baixar filmes em segundos) e baixa latência (tempo de resposta entre um comando feito e sua execução).

São Paulo é a quinta capital brasileira a ter a quinta geração de internet móvel e se junta a Brasília (DF), Belo Horizonte (MG), Porto Alegre (RS) e João Pessoa (PB).

Até o fim de setembro, todas as principais capitais devem ativar o 5G. A data limite era agosto, mas devido ao atraso de equipamentos, a Anatel decidiu postergar. As próximas cidades a receber o 5G devem ser Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO) e Salvador (BA).

Quais bairros de São Paulo terão 5G?

Na prática, neste primeiro momento, apenas alguns bairros de São Paulo terão sinal. Segundo a Anatel, a maior concentração de antenas está no centro histórico da cidade, na região da Avenida Paulista e no Itaim Bibi. Já os bairros da Aclimação, da Mooca e do Brás, por exemplo, terão uma cobertura menor nesse início do processo.

Atualmente, a capital paulista tem 1.378 antenas de 5G.

Bairros na cobertura da Claro

  • Água Branca
  • Bela Vista
  • Brooklin Novo
  • Brooklin Paulista
  • Butantã
  • Cerqueira César
  • Chácara Monte Alegre
  • Chácara Santo Antônio
  • Cidade Jardim
  • Cidade Mãe do Céu
  • Cidade Monções
  • Consolação
  • Higienópolis
  • Indianópolis
  • Itaim Bibi
  • Jardim América
  • Jardim Ampliação
  • Jardim Anália Franco
  • Jardim Caboré
  • Jardim das Acácias
  • Jardim dos Estados
  • Jardim Europa
  • Jardim Londrina
  • Jardim Paulista
  • Jardim Paulistano
  • Jardim Petrópolis
  • Moema
  • Morumbi
  • Paraíso
  • Paraíso do Morumbi
  • Paraisópolis
  • Parque São Jorge
  • Pinheiros
  • Planalto Paulista
  • Santa Cecília
  • Santo Amaro
  • Sumarezinho
  • Tatuapé
  • Vila Nova Conceição
  • Vila Andrade
  • Vila Carrão
  • Vila Clementino
  • Vila Cordeiro
  • Vila Gomes Cardim
  • Vila Invernada
  • Vila Mariana
  • Vila Nova Conceição
  • Vila Olímpia
  • Vila Romana
  • Vila Suzana
  • Vila Tramontano
  • Vila Uberabinha.

Bairros na cobertura da Vivo

  • Aclimação
  • Bela Vista
  • Brooklin
  • Brooklin Novo
  • Brooklin Paulista
  • Butantã
  • Campo Belo
  • Centro
  • Cerqueira César
  • Chácara Itaim
  • Chácara Santo Antônio (zona sul)
  • Cidade Dutra
  • Cidade Jardim
  • Cidade Monções
  • Consolação
  • Higienópolis
  • Ibirapuera
  • Indianópolis
  • Itaim Bibi
  • Jardim América
  • Jardim das Acácias
  • Jardim Europa
  • Jardim Everest
  • Jardim Paulista
  • Jardim Paulistano
  • Liberdade
  • Mirandópolis
  • Moema
  • Morro dos Ingleses
  • Morumbi
  • Paraíso
  • Perdizes
  • Pinheiros
  • Real Parque
  • República
  • Santa Cecília
  • Santa Efigênia
  • Sumaré
  • Sumarezinho
  • Vila Anglo Brasileira
  • Vila Buarque
  • Vila Clementino
  • Vila Congonhas
  • Vila Cordeiro
  • Vila Gertrudes
  • Vila Madalena
  • Vila Mariana
  • Vila Nova Conceição
  • Vila Olímpia
  • Vila Represa
  • Vila São Francisco
  • Vila Tramontano
  • Vila Uberabinha

Bairros na cobertura da TIM

Em coletiva sobre a chegada da nova tecnologia de transmissão na cidade, o CEO Alberto Griselli assegurou que a cobertura da TIM chegará a 100% dos bairros.

"Em São Paulo, decidimos caprichar, porque é a maior capital do Brasil e, desde o começo, o objetivo sempre foi fortalecer nossa liderança na cidade. Por isso, nossa premissa aqui é dar a maior cobertura 5G do Brasil", explicou.

"As 1150 antenas que temos na cidade já nos permitiam cobrir o 4G para todos os clientes em todos os lugares. Na nossa estratégia, decidimos lançar o 5G em São Paulo já cobrindo 100% dos bairros chegando a 90% da população", concluiu.

Por que São Paulo só foi liberada agora?

A implementação em São Paulo dependia de um sinal verde da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que avalia o avanço de cada cidade na instalação de filtros na faixa de 3,5 GHz — a "avenida do céu" por onde passa o sinal do 5G.

Um dos principais critérios para a Anatel liberar o 5G em um local tem relação com a limpeza dessa "estrada" para que o sinal do 5G não atrapalhe o funcionamento das TVs parabólicas. Calcula-se que 10 milhões de famílias no Brasil assistem televisão a partir desse sinal.

Então, a agência realiza testes para assegurar que não haverá problemas para esse público — quem tem parabólica, inclusive, poderá receber um kit gratuito para continuar a ter acesso ao sinal de TV.

Entendendo o 5G

Antes de explicar as ofertas das operadoras, vale entender as diferenças tecnológicas dentro do 5G.

Basicamente, existem três tipos de 5G:

  • 5G DSS: usa a infraestrutura e faixas de frequências do 4G para oferecer internet mais rápida (na casa dos 100 Mbps). Já existe em diversas cidades desde 2020. É considerada uma tecnologia de transição do 4G para o 5G;
  • 5G NSA (Non Standalone): utiliza a frequência de 5G e o "núcleo" da rede 4G. Oferece internet super-rápida (podendo chegar na casa dos gigabits por segundo), mas não tem latência tão baixa; portanto, é boa para downloads rápidos, mas não tão boa para aplicações industriais.
  • 5G SA (Standalone) ou "5G puro ": usa frequência de 5G e núcleo de rede 5G (uma infraestrutura dedicada apenas a ele). Oferece internet super-rápida e latência baixa. Bom para downloads rápidos de arquivos multimídia, jogar online sem lag (atraso) e aplicações industriais.

Em todas as cidades brasileiras, as operadoras terão redes híbridas. Portanto, terão 5G NSA e 5G SA (na frequência de 3,5 GHz). A Aatel diz que o edital do 5G exige que as "operadoras tenham redes 5G SA, mas não impede que tenham também 5G NSA".

Segundo o órgão, "o objetivo é atender ao máximo o portfólio da base legada, visto que muitos usuários ainda não possuem terminais [celulares] 5G SA". Atualmente, apenas 5% dos terminais brasileiros são compatíveis com 5G SA, de acordo com estimativa da reguladora.

5G da Claro: NSA gratuito

Clientes da operadora não devem pagar a mais para ter acesso ao 5G, e funcionará tanto para planos pré como planos pós.

Segundo a Claro, os consumidores farão uso de uma rede 5G NSA. Apesar disso, a empresa diz que tem implementado redes SA, uma exigência da Anatel no leilão do 5G. Num primeiro momento, a empresa irá oferecer esta tecnologia para aplicações industriais e agrícolas.

Com o avanço da implementação, usuários comuns também poderão contratar separadamente planos com este 5G "puro sangue".

"As principais aplicações, como Netflix, YouTube, Uber, foram desenvolvidas para funcionar no 4G. Então, a alta velocidade do 5G NSA é mais que o suficiente. Quando tivermos aplicações que usam baixa latência, fará sentido para o consumidor ter 5G SA", afirmou Márcio Carvalho, diretor de marketing da Claro, em entrevista à Tilt por ocasião da estreia do 5G em Brasília .

"Se lançássemos 5G SA para os consumidores, eles pagariam mais caro por algo que ainda não tem aplicações específicas", acrescentou.

A Claro tem uma lista de telefones compatíveis com o 5G+. Lá tem celulares como Galaxy S22, Moto G71 5G, todos os iPhones 12 e iPhones 13, e Nokia G50.

Para alguns aparelhos, como Moto Edge 20, Moto Edge 30, Galaxy S21 e Galaxy Z Fold 3, a operadora recomenda a troca por um chip novo (SIM card).

5G da TIM: parte gratuita e outra parte paga

Clientes da TIM poderão navegar em redes 5G NSA gratuitamente. A operadora vai ter uma oferta diferente para quem quiser navegar em redes 5G SA com celulares compatíveis.

Para usar a rede SA, clientes dos planos Tim Black e Tim Black Família deverão ter um smartphone compatível e contratar um "booster" de R$ 20 mensais via app Meu TIM, que dará direito a 50 GB de dados a mais, além de navegação ilimitada na plataforma de transmissões Twitch. Novos clientes desses planos não precisarão pagar a mais e terão o benefício sem custo adicional por 12 meses.

No futuro, a operadora diz que oferecerá outros benefícios, como acesso à plataforma de jogos pela nuvem AWG, que tem títulos como Fortnite, eFootball, Elder Ring e GTA V.

Segundo a operadora, donos de smartphones 5G da Samsung e da Motorola não precisam trocar de chip para usar a nova tecnologia.

5G na Vivo: NSA gratuito

Como a Claro, a operadora não cobrará inicialmente para uso das suas redes 5G. Quem quiser navegar em uma rede 5G SA da Vivo deverá adquirir um chip novo.

A operadora informou ainda que em seu portfólio conta com 47 aparelhos homologados compatíveis, tanto na frequência de 3,5 GHz quanto na de 2,3 GHz.

Para obter mais informações, a Vivo tem um site falando sobre sua cobertura 5G.