PUBLICIDADE
Topo

Nasa perde contato com Ingenuity em Marte; poeira marciana foi a culpada

Drone Ingenuity da Nasa, em Marte - NASA/JPL-Caltech
Drone Ingenuity da Nasa, em Marte Imagem: NASA/JPL-Caltech

Thaime Lopes

Colaboração para Tilt*

10/05/2022 13h30

O helicóptero Ingenuity, a primeira aeronave a sobrevoar o solo marciano, ficou sem contato com a base na Terra pela primeira vez em mais de um ano de missão em Marte. Por dois dias, o equipamento ficou sem estabelecer comunicações agendadas com o rover Perseverance, robô que faz parte da mesma missão de exploração de Marte.

A agência espacial dos Estados Unidos explica, em comunicado, o rover serve como uma estação base para enviar e receber dados ligados ao Ingenuity aqui para a Terra.

Os engenheiros do JPL (Laboratório de Propulsão a Jato, na tradução em português) descobriram que o problema do helicóptero, que é movido a energia solar, foi a impossibilidade de recarga da bateria. Isso aconteceu, pois houve um aumento de poeira na atmosfera de Marte, o que impediu que os raios solares chegassem ao equipamento.

Uma das preocupações dos engenheiros da Nasa durante a pausa nas comunicações era que de o Ingenuity não conseguisse sobreviver às baixas temperaturas noturnas de Marte, que chegam às vezes a 80ºC negativos.

A sorte da equipe, contudo, virou. Um dia depois de perder contato com o Perseverance, os raios solares voltaram a atingir o helicóptero, recarregando todos seus componentes. Ele só não entrou em contato novamente com o rover porque, ao descarregar, seu relógio resetou, ficando sem saber o momento certo de acionar o rover novamente, explicou a Nasa.

Driblando o frio de Marte

Para solucionar o problema, os engenheiros programaram o Perseverance para ficar ouvindo sinais emitidos pelo Ingenuity durante um dia inteiro.

Quando reencontraram o equipamento, perceberam que a bateria estava sendo recarregada apenas o suficiente para mantê-lo minimamente operando. E o risco de não conseguir manter os aquecedores ligados durante a noite ainda existem.

Ele foi então reconfigurado para que acumule o máximo possível de bateria durante o dia e ligue os aquecedores enquanto a temperatura do planeta estiver entre -15ºC e -40ºC. O objetivo é preservar os componentes e a bateria, mesmo com a camada de poeira atrapalhando.

O líder do JPL na Califórnia, Teddy Tzanetos, disse que a prioridade da equipe é "manter a comunicação com o Ingenuity".

"Estamos esperançosos que vamos acumular bateria o suficiente para retornar às operações normalmente e continuar nossa missão nas próximas semanas", acredita.

O Ingenuity

O Ingenuity (Engenhosidade, em tradução livre) é pequeno helicóptero —ou grande drone— de 1,8 kg e 49 cm de altura, com duas grandes hélices de 1,2 m. Suas pás giratórias são feitas de uma espuma moderna de fibra de carbono.

Essa estrutura foi escolhida para que ele conseguisse fazer voos em uma atmosfera que tem 1% da densidade do ar terrestre no nível do mar. Sua primeira decolagem ocorreu no dia 19 de abril de 2021.

A cada carga de sua bateria, ele consegue voar até 90 segundos, chegando a no máximo cinco metros de altura e 300 metros de distância.

A missão do equipamento não é realizar experimentos, mas demonstrar a própria tecnologia, comovoar no ar super rarefeito, em um ambiente hostil, com temperaturas que chegam a 90°C negativos.

*Com informações de agências de notícias e Tilt.