PUBLICIDADE
Topo

Desempenho de Mac: o que o novo iPad Pro tem de diferente do iPad Air?

Novo iPad Pro - Divulgação
Novo iPad Pro Imagem: Divulgação

Marcos Bonfim

Colaboração para Tilt

16/05/2021 04h00

A Apple apresentou a nova versão da sua popular linha iPad Pro em abril. O produto vem com o processador M1, o que significa desempenho ainda mais rápido que os demais aparelhos da família, nova tecnologia de tela ainda mais realista, inovações na forma de autenticação biométrica, nas configurações de câmera, entre outras novidades.

O novo iPad Pro é mais robusto que o primo, o iPad Air lançado em setembro do ano passado, mas os dois se assemelham em muitos aspectos, tanto nas características físicas quanto nos recursos.

Entre as principais semelhanças estão:

  • Design industrial com bordas planas
  • Bateria com duração de 10 horas
  • Conectividade Wi-Fi 6
  • Bluetooth 5.0
  • Compatibilidade com Magic Keyboard (teclado de computador da Apple), Smart Keyboard Folio (teclado da Apple que pode ser encaixado no iPad) e Apple Pencil, 2ª geração, (caneta eletrônica com suporte para certos tablets da Apple).

A principal diferença entre eles é o preço: o iPad Air mais barato está custando R$ 6.999 no site oficial da Apple. Já o iPad Pro, previsto para chegar por aqui na segunda quinzena de maio, tem o valor inicial em R$ 10.799.

Tilt comparou os dois modelos para te ajudar a decidir se vale a pena mesmo pagar (ainda mais) caro para levar o novo iPad para casa.

Design

As duas versões, o iPad Air e o iPad Pro, possuem as bordas industriais quadradas, a linguagem visual mais recente da Apple também presente nos iPhones da linha 12 e no iMac.

Sobre o tamanho deles, o iPad Air tem quase as mesmas dimensões que a versão menor do iPad Pro, com tela de 11 polegadas — esse último tem ainda outro modelo de 12,9 polegadas. O novo iPad é levemente mais fino que o iPad Air — 0,2 mm para ser mais exato.

Além disso, por terem uma tela menor, o iPad Air e a versão de 11 polegadas do iPad Pro possuem uma moldura um pouco mais espessa que o modelo de 12 polegadas.

Os dois também têm praticamente o mesmo peso. O modelo Wi-Fi com celular (que também se conecta usando dados móveis) do iPad Air pesa 460 gramas, enquanto o mesmo modelo do iPad Pro de 11 polegadas tem 468 gramas. Já a versão maior desse último pesa bem mais: 684 gramas.

Dito isso, para quem busca facilidade do uso portátil, o iPad Air e a versão de 11 polegadas do iPad Pro podem ser mais interessantes. Já o iPad Pro de 12,9 polegadas pode ser uma boa opção para quem pretende usar o tablet como um notebook, provavelmente sobre uma mesa ou com um acessório de teclado, como o Magic Keyboard.

Por último, se para você o importante é ter um iPad com cores diferentes, o iPad Air é a melhor opção. Ele vem nas opções cinza-espacial, prateado, ouro rosa, verde e azul-céu, enquanto os dois modelos de iPad Pro estão disponíveis apenas em duas cores: cinza-espacial e prateado.

iPad Air - Reprodução/Apple - Reprodução/Apple
iPad Air
Imagem: Reprodução/Apple

Tecnologia de telas

  • Caçulas quase iguais:

O iPad Air e o iPad Pro de 11 polegadas têm praticamente a mesma tecnologia de tela. Os dois têm um painel de LED Liquid Retina, com resolução de 2388 x 1668 pixels e densidade de imagem de 264 pixels por polegada — ou ppi; quanto maior o número melhor a imagem.

Ambos possuem um recurso chamado True Tone, que exibe cores em tons naturais ajustadas de acordo com a luz ambiente, e ampla tonalidade de cores P3 — sistema de fidelidade de cores lançado pela Apple e já presente em outros dispositivos da marca.

Apesar das semelhanças, a tela do iPad Pro de 11 polegadas é mais brilhante — tem até 100 nits (unidade intensidade de luz) a mais que a do iPad Air — e conta com a ProMotion, uma tecnologia que permite taxas de atualização de até 120 Hz, gerando respostas mais fluidas e rápidas das telas, o que é um ótimo recurso para quem gosta de usar o iPad para jogar.

  • Tela digna de filmmakers:

A grande diferença está no iPad Pro de 12,9 polegadas, com a chegada da nova "Liquid Retina XDR", que promete uma experiência visual com detalhes mais realistas. A Apple afirma que o painel usa mais de 10.000 LEDs em toda a parte de trás, que oferecem até 1.600 nits de pico de brilho e um contraste capaz de realçar tarefas criativas.

Com isso, a tela pode capturar os destaques mais brilhantes e sutis mesmo em imagens mais escuras, permitindo a visualização e edição de conteúdos HDR e Dolby Vision mais fiéis à realidade.

É um recurso que pode ser bastante interessante para profissionais criativos, como fotógrafos, videógrafos e cineastas.

Essa versão do iPad com 12,9 polegadas também apresenta os recursos ProMotion, True Tone e ampla tonalidade de cores P3.

Para quem ficou em dúvida sobre qual modelo escolher, vamos simplificar as coisas:

  • A tela Liquid Retina do iPad Air é suficiente para a maior parte dos usuários.
  • Quem joga pode preferir a capacidade de resposta do iPad Pro, dada pelo recurso ProMotion.
  • A tela de 12,9 polegadas do Pro iPad Pro é ideal para quem consome muito conteúdo HDR, para profissionais criativos ou para aqueles que querem a melhor tela possível.

A14 Bionic vs. M1 Chip

O iPad Air vem com o processador A14 Bionic, o mesmo dos iPhone da linha 12. Já o iPad Pro tem o M1, o mesmo processador usado no MacBook Air, MacBook Pro de 13 polegadas, Mac mini, e iMac de 24 polegadas. Ambos estão entre os chips mais avançados do mundo.

Os dois, porém, têm diferentes quantidades de núcleos: o A14 Bionic tem seis, enquanto o M1 tem oito. Isso indica que o último é capaz de executar processos simultâneos de maneira mais rápida que o primeiro — quanto maior número de núcleos, mais tarefas são divididas entre eles.

M1, processador da Apple - Reprodução - Reprodução
M1, processador da Apple
Imagem: Reprodução

Enquanto o A14 Bionic foi desenhado para ser um processador móvel, o M1 foi projetado para ser usado em laptops e desktops. Por isso, se você tem um fluxo de trabalho intenso que requer a potência máxima do seu iPad, o iPad Pro é ideal para você. Mas se o seu uso é moderado, o iPad Air vai ser mais do que suficiente.

Armazenamento interno e memória

Enquanto o iPad Air oferece apenas duas opções de armazenamento interno (64 GB ou 256 GB), o iPad Pro tem cinco: 128 GB, 256 GB, 512 GB, 1 TB e 2 TB.

De novo, a escolha depende do uso que a pessoa pretende fazer. Para quem faz uso moderado, 256 GB de armazenamento interno podem ser suficientes, considerando a possibilidade de armazenar documentos também em nuvem.

Quanto à memória RAM, o iPad Air tem 4 GB. O iPad Pro vem com 8 GB e 16 GB — esse último está disponível apenas para quem escolher levar um iPad Pro com 1 TB ou 2 TB de armazenamento interno para casa.

Reconhecimento biométrico

O iPad Air e o iPad Pro têm formas diferentes de reconhecerem os seus donos. O iPad Air tem um leitor de impressões digitais Touch ID, que foi incorporado ao botão superior do iPad. Já o iPad Pro faz sua autenticação biométrica por reconhecimento facial, realizado pelo sistema de câmeras TrueDepth na parte superior da moldura.

Segundo a Apple, o recurso — já presente em outros aparelhos da maçã — é capaz de capturar dados do rosto com precisão, por meio da análise e projeção de mais de 30.000 pontos invisíveis com o objetivo de construir um mapa de profundidade do rosto, além de capturar uma imagem infravermelha dele.

Câmeras

Tanto o iPad Air quanto o iPad Pro apresenta câmera traseira grande-angular de 12 MP, sem grandes novidades. A diferença é que o segundo tem também uma ultra-angular de 10 MP e conta o scanner LiDAR, que oferece experiências aprimoradas de realidade aumentada a partir da melhor captura de movimento e compreensão do espaço.

Os destaques, nesse quesito, ficam mais com as câmeras frontais, utilizadas para as videochamadas.

O ?iPad Air? possui uma câmera ?FaceTime? HD de 7 MP, enquanto o ?iPad Pro? tem uma câmera ultra-angular de 12 MP com tecnologia TrueDepth, desenvolvida especificamente para ele. Segundo a Apple, ela torna possível o recurso "Palco Central", com um ângulo maior de visão e centralização das pessoas, a partir do uso de aprendizado de máquina.

Outros recursos

  • Alto-falantes e microfones: O iPad Pro dispõe de quatro alto-falantes; o iPad Air, 2. Além disso, o primeiro permite que as pessoas gravem áudio em estéreo e, de acordo com a Apple, tem microfones com "qualidade de estúdio".
  • Conectividade sem fio: o ?iPad Air? com suporte para dados móveis tem conexão 4G LTE, já o ?iPad Pro? consegue se conectar à redes 5G.
  • Entradas: o iPad Air? possui uma porta USB-C padrão, enquanto o ?iPad Pro? dispõe da porta Thunderbolt, que oferece uma velocidade de transferência significativamente mais elevada.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelo link recomendado neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.