PUBLICIDADE
Topo

Azul é a cor mais tóxica? Cães coloridos e lago da Rússia têm algo em comum

Lago apelidado de "Maldivas siberianas" (esq.) e cachorro com pelo azul visto (dir.) foram expostos a produtos químicos tóxicos - Reprodução
Lago apelidado de "Maldivas siberianas" (esq.) e cachorro com pelo azul visto (dir.) foram expostos a produtos químicos tóxicos Imagem: Reprodução

Marcella Duarte

Colaboração para Tilt

12/03/2021 04h01

No mês passado, uma matilha de cães de rua com pelo azul foi flagrada na Rússia e viralizou nas redes sociais. Em 2017, o mesmo aconteceu com cachorros na Índia. Em 2019, um lago na Sibéria e um espanhol viraram notícia com uma hipnotizante cor super azulada. Mas o que todos têm em comum?

A resposta é simples e cruel: produtos químicos tóxicos.

No caso mais recente, os cães foram contaminados em uma fábrica abandonada de polímeros e ácido cianídrico, na cidade de Dzerzhinsk, a 370 km da capital Moscou. A empresa faliu em 2015 deixando produtos e insumos para trás, sem qualquer controle.

Os animais devem ter rolado sobre o pó azulado de sulfato de cobre, altamente tóxico, e provavelmente até ingeriram alguma quantidade dele. Por sorte, os sete foram resgatados e passam bem. Uma exposição mais intensa à substância pode causar dor intensa, irritação na pele, hemorragia interna e até levar à morte.

First post —related to BLUE DOG's on social media for awareness among all masses has gone viral beyond expectations. ...

Publicado por Arati Chauhan em Terça-feira, 8 de agosto de 2017

Há cerca de quatro anos, nas proximidades de Navi Mumbai, na Índia, cães também começaram a aparecer com o pelo azul. Descobriu-se que eles estavam nadando no rio Kasadi, fortemente poluído por resíduos e lixo industrial de diversas empresas da região, despejados na água sem tratamento.

Os níveis de poluição do rio, na época, estavam 13 vezes acima do limite considerado seguro para seres vivos. Foram encontrados pelo menos cinco cachorros tingidos. O principal suspeito foi um corante azul — talvez menos tóxico que o sulfato de cobre, que saiu da pelagem dos bichinhos em algumas lavagens.

Parece o paraíso, mas não é

Já o lago com água turquesa apelidado de "Maldivas siberianas", poderia ter deixado seres humanos azuis — ou pelo menos com uma bela alergia. Em Novosibirsk, no meio da Sibéria, um local de paisagem paradisíaca bombou no Instagram em 2019, foi cenário de férias, festas de casamento e fundo de fotos dignas das mais belas do Instagram.

Mas quase ninguém sabia de um pequeno detalhe: lá não é bem um lago, mas sim uma barragem artificial, onde são jogados dejetos tóxicos de uma usina termoelétrica. Um verdadeiro lixão químico.

A água não tem veneno ou é radioativa, mas a sua cor azul esverdeada vem de sais de cálcio e outros óxidos metálicos dissolvidos. Super alcalina, ela pode causar sérias reações alérgicas em nossa pele. Mas, mesmo após a usina divulgar a contaminação, muitas pessoas continuam visitando o "lago" de fundo lamacento.

No mesmo ano, a Espanha também descobriu o seu "lago Chernobyl". O Monte Neme, em La Coruña, é uma antiga região de mineração de tungstênio. Foram deixados para trás os depósitos de água, com rejeitos da atividade.

A cor azul se deve à presença de sílica — que não é exatamente tóxica, apesar de manchar a pele. Porém, outras substâncias que estão lá são extremamente nocivas para as pessoas e para o meio ambiente, principalmente alumínio em altas concentrações.

Nos seres humanos que arriscam um mergulho, pode causar enjoos, vômito e irritações cutâneas. A profundidade do reservatório e possíveis objetos no fundo também são um risco para os visitantes. Os reservatórios deveriam ser selados e tratados após o fechamento das minas.