PUBLICIDADE
Topo

Memorial no espaço: nave levará cinzas de cientistas famosos para a Lua

O plano da empresa é aproveitar uma missão da Nasa - Getty Images
O plano da empresa é aproveitar uma missão da Nasa Imagem: Getty Images

Vinícius de Oliveira

Colaboração para Tilt

22/11/2020 04h00

Sem tempo, irmão

  • Empresa planeja levar urnas com cinzas e DNA humano para a superfície da Lua em 2021
  • Restos de cientistas famosos, professores e do escritor Arthur C. Clarke estarão nessas cápsulas
  • Pessoas comuns também podem enviar restos mortais dos seus entes queridos para o espaço
  • No entanto, será preciso pagar US$ 12,5 mil para garantir um lugar nessa viagem

Já pensou olhar para a Lua e saber que ali por perto estão os restos mortais de algum familiar que já se foi? Pois em 2021 isso será possível para algumas pessoas. Uma empresa planeja aproveitar uma missão da Nasa, agência espacial norte-americana, para enviar urnas com cinzas e DNA humano para a superfície do satélite natural da Terra.

O plano é que a viagem ocorra em julho de 2021 durante a missão Luna 02, cujo objetivo será explorar uma região da Lua conhecida como Lago da Morte. A ideia é que essas cápsulas sejam deixadas por lá como uma forma de memorial orbital.

A responsável por tudo isso é a empresa Celestis, especializada em enviar as cinzas de entes queridos para o espaço. Nessa viagem, serão enviados os restos mortais e/ou amostras de DNA de cientistas famosos, professores e também do escritor Arthur C. Clarke, autor do livro "2001: Uma Odisseia no Espaço" (1968), escrito juntamente com o filme, dirigido por Stanley Kubrick.

Outra passageira notável é a geologista Mareta West, que ajudou a escolher o local para a Apolo 11— marcada pelo primeiro pouso lunar tripulado — acontecer com segurança.

O plano inusitado de fazer um memorial na Lua não contará apenas com pessoas famosas.

Qualquer um que estivesse disposto a pagar US$ 12,5 mil (um pouco mais de R$ 67 mil na cotação atual) poderia enviar os restos mortais de seus parentes para o espaço. Mas as reservas já foram encerradas. Também era possível enviar o próprio DNA, de acordo com a Celestis.

Em entrevista ao site Space.com, Charles Chafer, cofundador da empresa, disse que a missão Luna 02 é "para celebrar aqueles que fizeram uma contribuição tangível para a humanidade continuar a exploração do espaço (...). Conforme a humanidade expande os limites do seu único planeta, é apropriado que carreguemos nossos rituais, celebrações e memoriais", explicou.

O módulo da nave envolvida na missão Luna 2 está programada para ter seis contêineres da empresa Celestis, cada um contendo de 10 a 13 cápsulas com cinzas e DNA humano.

Esta será a 18ª missão espacial que a Celestis faz desde sua fundação, em 1994, mas apenas a segunda em que levará urnas até a superfície da Lua. A companhia já enviou porções simbólicas de restos mortais cremados e DNA humano para o espaço suborbital e órbita da Terra.

A Celestis não é a única empresa que oferece esse tipo de serviço. A empresa Espaço Elysium também oferece "pacotes" para quem deseja enviar cinzas ao espaço. Ela está cobrando $ 9.950 pelos primeiros 50 participantes da missão e $ 11.950 pelas reservas posteriores.