PUBLICIDADE
Topo

Pesquisa quer desenvolver máscara que neutraliza coronavírus por contato

Ideia é que composto químico na fibra das máscaras consiga evitar gotículas contagiosas no ar - Northwestern University/Divulgação
Ideia é que composto químico na fibra das máscaras consiga evitar gotículas contagiosas no ar Imagem: Northwestern University/Divulgação

De Tilt, em São Paulo

28/04/2020 18h31

Uma pesquisa da Northwestern University, nos Estados Unidos, trabalha para desenvolver uma máscara capaz de neutralizar quimicamente o novo coronavírus por contato.

A ideia é acrescentar uma substância química específica na fibra que compõe as máscaras. A iniciativa inclusive já recebeu apoio financeiro da Fundação Nacional de Ciência (NSF) dos EUA.

"A disseminação de doenças respiratórias infecciosas, como a covid-19, geralmente começa quando alguém libera gotículas respiratórias carregadas de vírus, tossindo ou espirrando", explicou Jiaxing Huang, pesquisador da Northwestern, que encabeça o projeto.

"Para retardar ainda mais e até impedir que o vírus se espalhe, precisamos reduzir bastante o número e a atividade dos vírus nessas gotículas respiratórias recém-liberadas", acrescentou.

A equipe de Huang pesquisa compostos químicos antivirais que poderiam ser incorporados às fibras das máscaras para auto-higienizar os tecidos das gotículas respiratórias. Segundo a universidade, as máscaras atuais fornecem barreiras físicas, que reduzem o número de gotículas no ar, mas que não evitam que as gotículas que chegam à atmosfera ou a objetos possam se tornar fontes de infecção.

A ideia da pesquisa liderada por Jiaxing Huang é que a máscara modificada reduza o número de vírus em gotículas liberadas por usuários infectados, além de fornecer mais proteção para usuários não infectados.

"Esses pesquisadores estão colocando a química dos materiais fundamentais para trabalhar em benefício da sociedade", celebrou Birgit Schwenzer, diretora de programa da Divisão de Pesquisa de Materiais da NSF.