PUBLICIDADE
Topo

Nem plana, nem redonda: astrônomos descobrem estrela em forma de gota

Ilustração mostra estrela nova em gota ao lado de estrela anã vermelha - Gabriel Pérez Díaz (IAC)
Ilustração mostra estrela nova em gota ao lado de estrela anã vermelha Imagem: Gabriel Pérez Díaz (IAC)

Letícia Sé

Colaboração para Tilt

10/03/2020 17h04Atualizada em 11/03/2020 13h12

Uma descoberta da astronomia pode mudar nossa percepção de como é uma estrela. Pesquisadores, com a ajuda de voluntários, encontraram uma estrela em formato de gota. A chamada HD74423 está a 1.500 anos-luz de distância da Terra — o que é considerado próximo pela astronomia — e pulsa apenas para um lado.

O começo da pesquisa foi publicado na revista científica Nature. Desde a década de 1980, astrônomos sabiam em teoria que estrelas ovais poderiam existir, mas é a primeira vez que encontram uma desse tipo.

"Estamos procurando uma estrela assim há quase 40 anos e agora finalmente encontramos", disse o astrônomo Don Kurtz, da Universidade de Lancashire, no Reino Unido. A estrela é considerada binária por ter uma vizinha muito próxima. Sua companheira é uma anã vermelha, e a duração da órbita dela ao redor da estrela-gota é de 1,6 dias.

É isso que faz com que a HD74423 seja oval, já que a gravidade da estrela anã puxa seu corpo para o lado em que a vizinha está. O caso é muito singular: os primeiros a observá-la foram cientistas cidadãos, pessoas da sociedade civil que participam da ciência de forma voluntária.

O grupo ficou inquieto com os dados do telescópio TESS, da Nasa, que mostravam a estrela pontuda e decidiu encaminhar a descoberta para astrônomos profissionais do Centro Astronômico Nicolaus Copernicus, na Polônia.

Hoje, a pesquisa é assinada por um grupo de astrônomos de sete países trabalhando em conjunto. "Esse é um arranjo de trabalho raro. Temos um acordo de compartilhamos nossos resultados dentro do grupo antes de enviá-los para publicação", disse Simon Murphy, da Universidade de Sydney, na Austrália, e também coautor da pesquisa.

A dificuldade em comprovar a teoria sobre estrelas ovais tem a ver com a tecnologia usada para mapear novos corpos celestes. Isso porque telescópios como o TESS investigam grandes regiões do céu, coletando dados sobre centenas de milhares de estrelas de uma vez. Assim, o olho humano ainda é necessário para descobrir singularidades.

Estrela diferentona

A estrela oval HD74423 tem cerca de 1,7 vezes a massa do Sol e é também mais jovem, apesar de os astrônomos ainda não afirmarem qual a diferença de idade. Além de ter uma vizinha muito próxima que afeta seu formato, há outras características que a tornam singular.

Estrelas quentes geralmente têm muitos metais em sua composição, mas a estrela recém descoberta, não. "Isso faz com que ela seja um tipo raro de estrela quente", afirmou Murphy.

Quando uma estrela tem poucos metais, o quadro é associado a algum outro corpo próximo que tenha absorvido esses componentes. Mas isso também não é a regra da nova estrela: o fato de ter uma vizinha não influenciou sua constituição. E assim novamente a HD74423 quebrou as regras de como ser uma estrela.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que dizia o texto, a duração da órbita da estrela anã-vermelha ao redor da estrela-gota é de 1,6 dias, e não uma distância de 1,6 dias-luz. O texto foi corrigido.