PUBLICIDADE
Topo

Curte olhar o céu? Confira os principais eventos astronômicos de 2020

Chuva de meteoros Leonídeos de 2001, registrada em Duluth, nos EUA; fenômeno ocorre todo ano - Brian Peterson/AP Photo/Minneapolis Star Tribune
Chuva de meteoros Leonídeos de 2001, registrada em Duluth, nos EUA; fenômeno ocorre todo ano Imagem: Brian Peterson/AP Photo/Minneapolis Star Tribune

Rodrigo Lara

Colaboração para UOL

01/01/2020 04h00

Com direito a dois eclipses solares e excelentes visualizações de planetas como Vênus, Mercúrio, Júpiter e Saturno, 2020 é um ótimo ano para os amantes de astronomia tirarem o telescópio do armário.

Há eventos interessantes para se observar em todos os meses do ano. Confira abaixo os mais relevantes:

Janeiro

  • 3 e 4 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros chamada Quadrântidas acontece todo início do ano e tem origem na poeira deixada por um cometa extinto. Ela pode ser vista entre os dias 1º e 5 de janeiro, mas a sua maior intensidade acontece entre os dias 3 e 4 do mês e é melhor observada a partir do Hemisfério Norte, na direção da constelação de Boieiro.
  • 10 - Eclipse lunar penumbral: Esse evento não chega a ser um eclipse total e ocorre quando a lua passa pela sombra parcial da Terra, o que deixa o satélite menos brilhante. Esse evento será visível em boa parte da Europa, na África, na Ásia, no Oceano Índico e no oeste da Austrália.

Fevereiro

  • 9 - Superlua
  • 10 - Mercúrio em sua maior elongação a Leste: Esse é o melhor momento para observar o planeta Mercúrio, uma vez que é quando ele estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte durante o início da noite. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Oeste, logo após o Sol se pôr.
  • 18 - Marte surge atrás da Lua: Em evento visível para a porção Leste da América do Norte e Central, o planeta aparecerá como um ponto brilhante próximo da Lua -- que estará em sua fase minguante -- nas primeiras horas da manhã, pouco antes do nascer do Sol.

Março

  • 9 - Superlua
  • 24 - Mercúrio em sua maior elongação a Oeste: Outro ótimo momento para observar o planeta Mercúrio, quando ele estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte durante o início do dia. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Leste, pouco antes do Sol nascer.
  • 24 - Vênus em sua maior elongação a Leste: Dessa vez é Vênus que estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte no início da noite. A observação poderá ser feita ao se olhar para Oeste, pouco após o Sol se pôr.

Abril

  • 2 e 3 - Observação de Vênus: O mês de abril será ótimo para a visualização de Vênus, com o planeta extremamente brilhante e presente no céu por mais tempo além do convencional.
  • 7 e 8 - Maior Superlua do ano: Durante o meio da tarde do dia 7 de abril, a Lua estará em seu ponto mais próximo da Terra. Isso, em coincidência com a fase cheia do satélite, resultará na maior Superlua do ano.
  • 22 e 23 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros chamada Líridas ocorre anualmente entre os dias 15 e 25 de abril, sendo melhor observadas entre os dias 22 e 23 na direção da constelação de Lira, visível no Hemisfério Norte.

Maio

  • 6 e 7 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Eta Aquáridas, resultado de partículas deixadas para trás pelo cometa Halley, ocorre entre os dias 19 de abril e 28 de maio, com pico entre 6 e 7 de maio. Essa chuva pode ser vista do Hemisfério Sul.

Junho

  • 4 - Mercúrio em sua maior elongação a Leste: Novamente, há um ótimo momento para observar o planeta Mercúrio, uma vez que é quando ele estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte durante o início da noite. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Oeste, logo após o Sol se pôr.
  • 5 - Eclipse lunar penumbral: Mais uma vez a Lua será levemente ofuscada pela sombra da Terra. Esse evento será visível em boa parte da Europa, na África, na Ásia, no Oceano Índico e na Austrália.
  • 21 - Eclipse anular do Sol: O belo evento astronômico será visível apenas em partes da África, Oriente Médio, Paquistão, Norte da Índia, Sul da China, Taiwan, Mar das Filipinas e partes do Oceano Pacífico. Nele, a Lua fica completamente alinhada com a Terra e o Sol, porém ela não cobre totalmente a estrela (deixando um anel brilhante no céu) devido à sua distância maior do que a média em relação à Terra.

Julho

  • 5 - Eclipse lunar penumbral: Mais uma vez a Lua será levemente ofuscada pela sombra da Terra. Esse evento será visível em boa parte da América do Norte, América do Sul, Leste do Oceano Pacífico, Oeste do Atlântico e extremo Oeste da África.
  • 14 - Júpiter em oposição ao Sol: Ótima oportunidade para visualizar o maior planeta do Sistema Solar. Por estar totalmente oposto ao Sol e em seu ponto mais próximo da Terra, Júpiter terá seu máximo brilho e, com ajuda de telescópios, será possível ver os padrões de sua atmosfera bem como suas maiores luas.
  • 20 - Saturno em oposição ao Sol: Desta vez, Saturno e seus anéis estarão no melhor ponto de observação a partir da Terra, mais próximo do nosso planeta e totalmente iluminado pelo Sol.
  • 22 - Mercúrio em sua maior elongação a Oeste: Mercúrio estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte durante o nascer do Sol. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Leste, pouco antes da alvorada.
  • 28 e 29 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Delta Aquáridas, resultado de partículas dos cometas Marsden e Kracht, ocorre entre 12 de julho e 23 de agosto, com ápice entre 28 e 29 de julho. O evento pode ser visto do Hemisfério Sul.

Agosto

  • 12 e 13 - Chuva de meteoros: Especialmente na manhã do dia 12, a chuva de meteoros Perseidas estará em seu momento mais visível. Resultado da poeira do cometa Swift-Tuttle, ela ocorre na direção da constelação de Perseu.
  • 13 - Vênus em sua maior elongação a Oeste: Vênus atinge o seu ponto mais alto em relação ao horizonte no início da manhã. A observação poderá ser feita ao se olhar para Leste, pouco após o Sol nascer

Setembro

  • 11 - Netuno em oposição ao Sol: O planeta estará em seu ponto mais próximo (ou menos distante, já que ele fica a cerca de 4 bilhões de quilômetros da Terra) e totalmente iluminado pela luz do Sol. Essa distância toda, porém, permite que ele seja visualizado apenas por telescópios potentes

Outubro

  • 1 - Mercúrio em sua maior elongação a Leste: Fãs de Mercúrio, essa é mais uma boa hora para observar o planeta, já que ele ele estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte durante o início da noite. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Oeste, logo após o Sol se pôr.
  • 7 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Dracônidas pode ser vista no Hemisfério norte e ocorre entre os dias 6 e 10 de outubro, com pico no dia 7. Ela acontece na direção da constelação de Dragão.
  • 13 - Marte em oposição ao Sol: Melhor momento do ano para observar o planeta vermelho. Ele estará em seu ponto mais próximo da Terra e com sua face totalmente iluminada pela luz do Sol, podendo ser observado durante toda a noite. Nesse estágio, ele se torna o terceiro corpo mais brilhante no céu noturno, atrás apenas da Lua e de Vênus.
  • 21 e 22 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Oriônidas ocorre entre 2 de outubro e 7 de novembro, com pico nos dias 21 e 22 de outubro. Decorrente de poeira do cometa Halley, sua observação será possível ao se olhar na direção da constelação de Orion -- cujo "cinturão" abriga as Três Marias.
  • 31 - Lua Azul: Esse evento acontece a cada dois anos, sempre que a Lua fica em sua fase cheia duas vezes em um mesmo mês.
  • 31 - Urano em oposição ao Sol: Dessa vez é Urano que estará no ponto mais próximo da Terra e com sua face totalmente iluminada pela luz do Sol. A visualização mais detalhada é possível apenas com telescópios mais potentes.

Novembro

  • 4 e 5 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Táuridas é bem pequena e se estende entre 7 de setembro e 10 de dezembro, com picos nos dias 4 e 5 de novembro. Fruto da poeira de um asteroide (o 2004 TG10) e um cometa (2P Encke), ela pode ser vista em ambos os hemisférios na direção da constelação de Touro.
  • 10 - Mercúrio em sua maior elongação a Oeste: Mercúrio novamente estará em seu ponto mais alto em relação ao horizonte no final da noite. Para observá-lo, o ideal é olhar para o Leste, pouco antes do Sol Nascer.
  • 17 e 18 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Leonídeos ocorre devido à poeira do cometa Tempel-Tuttle. Ela acontece entre os dias 6 e 30 de novembro, com pico nos dias 17 e 18 do mês, e pode ser vista do Hemisfério Sul na direção da constelação de Leão.
  • 30 - Eclipse lunar penumbral: Novamente a Lua terá parte do seu brilho ofuscado pela sombra parcial da Terra. Esse evento será visível na América do Norte, no Oceano Pacífico e no nordeste da Ásia.

Dezembro

  • 13 e 14 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Geminídeos ocorre quando a Terra passa pelo rastro de fragmentos deixados pelo asteroide 3200 Phaethon. É uma das mais relevantes do ano e ocorre entre os dias 7 e 17 de dezembro, com pico nos dias 13 e 14. Pode ser vista na direção da constelação de Gêmeos.
  • 14 - Eclipse total do Sol: Um dos principais eventos do ano, esse eclipse total do Sol será visto apenas em uma estreita faixa que compreende o Sul da América do Sul (na Patagônia), estendendo-se pelo Atlântico Sul até antes de chegar à costa da Namíbia, na África.
  • 21 - Conjunção de Júpiter e Saturno: Esse evento que ocorre em um intervalo de cerca de 20 anos é uma oportunidade de vermos Júpiter e Saturno bem próximos um do outro. Com um telescópio de boa qualidade, é possível observar ambos os planetas no mesmo plano.
  • 21 e 22 - Chuva de meteoros: A chuva de meteoros Úrsidas é vista do Hemisfério Norte e acontece em decorrência dos restos do cometa Tuttle. O evento ocorre entre os dias 17 e 25 de dezembro, sendo mais intenso na noite do dia 21 para o dia 22.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS