PUBLICIDADE
Topo

WhatsApp e Instagram juntos? EUA podem barrar nova tática do Facebook

Facebook, WhatsApp e Instagram podem se unir em um grande app - Estúdio Rebimboca/UOL
Facebook, WhatsApp e Instagram podem se unir em um grande app Imagem: Estúdio Rebimboca/UOL

De Tilt, em São Paulo

12/12/2019 21h17

A Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) considera barrar a estratégia do Facebook de unir várias de suas redes sociais - como WhatsApp, Instagram e Messenger - em uma só plataforma de mensagens. O órgão investiga se a gigante de mídias sociais está sufocando a concorrência e considera uma ação legal para impedir a integração, de acordo com o Wall Street Journal.

A decisão impediria que a empresa avance na integração dos serviços de mensagens do Messenger, Instagram e WhatsApp até que um processo judicial seja feito.

A discussão acontece após o Facebook receber multa recorde de US$ 5 bilhões por violações de privacidade, além de ser investigado por 47 estados por questões antitruste.

Hoje, o Facebook prometeu gastar US$ 130 milhões para financiar o projeto de moderação de conteúdo, o que inclui a criação de um conselho de supervisão dessa área em 2020.

Em março deste ano, Mark Zuckerberg, o executivo-chefe do Facebook, escreveu em uma publicação na rede social: "Existem vantagens de privacidade e segurança na interoperabilidade . Com a capacidade de enviar mensagens por meio de nossos serviços, você poderá enviar uma mensagem criptografada para o número de telefone de alguém no WhatsApp a partir do Messenger."

Esse era o primeiro passo da criação de um "superaplicativo" do Facebook. Especialistas apontam que a tática de Zuckerberg é uma manobra para evitar que sua empresa seja dividida no futuro.

Atualmente, diversos candidatos norte-americanos à presidência, principalmente democratas como Elizabeth Warren, defendem mais regulamentação contra as empresas de tecnologia e uma divisão das chamadas "big tech".

Ao unir várias plataformas em uma só, o Facebook tornaria esse processo mais difícil. A intenção do FTC é pausar essa estratégia da rede social até que o caso seja melhor analisado.

Após a notícia, as ações do Facebook caíram cerca de 3%.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Redes sociais