PUBLICIDADE
Topo

Por que a 99 pode exigir que passageiro tire selfie antes da corrida no app

Aplicativo da 99 adicionará pacote de recursos para dar mais segurança a motoristas e passageiros - iStock/Getty
Aplicativo da 99 adicionará pacote de recursos para dar mais segurança a motoristas e passageiros Imagem: iStock/Getty

Gabriel Francisco Ribeiro

De Tilt, em São Paulo

09/12/2019 18h13

Sem tempo, irmão

  • App da 99 lança novos recursos para segurança nas viagens da plataforma
  • Entre as novidades, está "identificação facial" de passageiro por foto antes da corrida
  • Motoristas e passageiros ainda poderão bloquear determinada pessoa na plataforma
  • 99 adicionou opções já presentes em outros apps, como gravação do áudio no carro
  • App fez manifesto de segurança em que pede apoio da sociedade no tema

O aplicativo da 99 começará a ganhar nos próximos dias um "pacote de segurança" para tentar tornar corridas pela plataforma de mobilidade mais seguras para motoristas e passageiros. Entre as novas funções que serão disponibilizadas, uma se destaca em relação a concorrentes: a exigência de uma selfie tirada por alguns passageiros antes da viagem ser iniciada.

Com exclusividade para Tilt, a 99 listou uma série de novidades que desembarcarão em breve no aplicativo: corridas só entre mulheres, gravações de áudios, preenchimento automático a partir de CPFs, gravação da conversa no carro, bloqueio de usuários ou motoristas, além da novidade envolvendo fotos de passageiros.

Junto a isso, a 99 apresentou um manifesto de segurança para tentar retomar a "confiança" dos usuários nos serviços de mobilidade e para melhorar o funcionamento da plataforma em geral. Nesse manifesto, ela pede que passageiros, motoristas, governos e empresas se unam em pequenos gestos - como o passageiro verificar se o motorista é ele mesmo, fazer avaliação após a corrida - que tornam tudo mais seguro. O app nega que isso seja uma "transferência de responsabilidade".

"O ponto é trabalhar junto. A gente como empresa assume papel de protagonista, mas em conjunto com a sociedade. Um dos pilares é como a gente consegue reforçar essas ferramentas que temos. Nem todos os usuários sabem a importância de fazer essas checagens. Do nosso lado fazemos as verificações, mas o passageiro e motorista ajudam com essas informações que alimentam nossos sistemas", explicou ao Tilt Thiago Hipólito, diretor de segurança da 99.

Apesar de reforçar essa questão de "trabalhar junto", a empresa também adicionou medidas que eram pedidas por motoristas ou passageiros - algumas delas já estão presentes em outros apps. Entenda abaixo cada uma delas:

Foto de passageiro e selfie antes da viagem

Há tempos que motoristas pedem que as plataformas como 99, Uber e Cabify exijam fotos de passageiros no ato do cadastro, assim como é feito com os condutores. O primeiro passo para isso foi dado pela 99: o app começará a sugerir que usuários se cadastrem com uma foto no sistema para aumentar a segurança. Isso será só uma sugestão e, a princípio, não será obrigatório que passageiros incluam uma foto.

Mas o segundo recurso envolvendo fotos de passageiros não será opcional. A 99 poderá pedir que usuários tirem uma selfie antes de iniciar uma corrida. Essa checagem ocorrerá aleatoriamente ou com usuários que o app entender que possam ter o potencial de causar problemas em uma viagem - nesse caso, são levados diversos fatores que já estão contidos dentro do sistema de "prever crimes" da 99.

"É para garantir que tenha uma pessoa ali. Posteriormente, caso algo não vá bem na corrida, podemos usar a informação. Existem vários fatores que podem ativar esse pedido via inteligência artificial, como comportamento do passageiro no app, frequência de corridas, se baixou o app várias vezes, histórico do usuário, horário da corrida, forma de pagamento...", aponta Hipólito.

É bom frisar que essa é apenas uma "identificação facial" e não um "reconhecimento facial" como ocorre com os motoristas, já que a 99 não tem uma base de fotos dos passageiros. Essa exigência para alguns usuários aparecerá entre a solicitação da corrida e o aceite de um motorista. Se o passageiro se recusar a fazer o registro, que ficará armazenado com a 99 por seis meses, não poderá prosseguir com o pedido de viagem.

Motoristas, por sinal, já passam por checagem similar: além de enviar fotos no cadastro (uma só sua, uma do documento e outra sua ao lado do documento), os condutores também têm uma checagem antes de iniciar viagens pelo app e podem ter um reconhecimento facial (esse sim comparado com banco de dados) solicitado durante a atividade no aplicativo. A Uber também faz checagem de motoristas por fotos, mas quer aprimorar esse recurso.

Bloqueio de motoristas ou passageiros

Outra função que não é comum em aplicativos de mobilidade que a 99 implementará é a de "bloqueio de corridas". Funcionará da seguinte forma: se a experiência da viagem com a outra pessoa não for boa, motoristas e passageiros poderão bloquear, de forma anônima, a pessoa com quem realizou a corrida para que elas não se cruzem mais dentro da 99.

Ou seja, além de oferecer um feedback por meio de notas e comentários, o motorista ou passageiro também poderá tomar uma atitude mais drástica para banir aquela pessoa de seu pareamento de corridas. Perguntada pela reportagem, a 99 não acredita que a novidade possa fazer motoristas banirem com mais frequência pessoas de regiões periféricas apenas pela localização.

De mulher para mulher

Outro recurso que o app implementará é a solução chamada "99 Mulher". Ela permitirá que motoristas mulheres apenas recebam passageiras mulheres em seus carros —da mesma forma que a Uber fez recentemente e igual apps exclusivamente femininos já fazem há tempos, como o Lady Driver.

Mas, por trás dessa novidade, fica a dúvida: por que a 99, assim como a Uber, não permite o inverso —ou seja, que passageiras mulheres viagem apenas com motoristas do sexo feminino? Segundo Hipólito, isso está nos planos e deve aparecer assim que a base de condutoras aumentar na plataforma.

"Para poder fazer o contrário, dependemos de uma base de motoristas muito grande. Precisamos aumentar a presença de motoristas mulheres e é exatamente isso que queremos. Primeiro habilitamos mulheres motoristas a pegar só passageiras para crescer a base e no segundo momento também levar isso para passageiras", explica Hipólito.

Gravação de conversa

Assim como a Uber fez recentemente, a 99 também incluirá no aplicativo uma opção que possibilita ao usuário ou motorista gravarem o áudio da conversa dentro do carro caso se sintam incomodados. Segundo a empresa, o recurso já é usado há mais de um ano no aplicativo da Didi, empresa chinesa dona da 99, na China. O app nacional diz que a forma que a gravação será implementada no Brasil será diferente da China por causa de leis diferentes, mas ainda não sabe exatamente como será por aqui.

"No Brasil a gente está fazendo tudo legal, buscando informações de regulamentação para ver a melhor forma de armazenar esse dado. Quando o recurso estiver disponível, tudo isso será divulgado. Adianto que o áudio vai ser armazenado na 99, não será público, e mediante algumas condições como um requerimento legal o passageiro ou motorista podem ter acesso", conta o diretor de segurança da 99.

Preenchimento com CPF

A 99 ainda anunciou que a partir de agora o perfil do passageiro será preenchido de acordo com o nome registrado no CPF para facilitar a identificação dos usuários pelos motoristas. De acordo com Hipólito, a iniciativa serve para alinhar que o primeiro nome do passageiro esteja vinculado ao nome do CPF, para evitar nomes que não façam sentido.

Não está claro como a 99 garantirá que o CPF pertence mesmo à pessoa que cadastrou o número, já que não é difícil para pessoas mal intencionadas arranjarem números de identificação de outros cidadãos. A companhia diz fazer cruzamento de informações como data de nascimento, informações de cartões e afins - essa novidade seria só um ponto de validação a mais para o lado do motorista.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Transporte