Topo

Submarino "caçador" de aliens é testado pela Nasa na Antártida

Robô da Nasa irá procurar por vida em oceanos abaixo do gelo - Divulgação/JPL/Nasa
Robô da Nasa irá procurar por vida em oceanos abaixo do gelo Imagem: Divulgação/JPL/Nasa

Gabriel Francisco Ribeiro

De Tilt, em São Paulo

24/11/2019 10h57

Sem tempo, irmão

  • Robô da Nasa será capaz de procurar por sinais de vida em oceanos abaixo do gelo
  • Espécie de submarino já foi testado no Alasca e no Ártico, indo agora para a Antártida
  • Rover contará com instrumentos e sensores de medidas, além de duas câmeras
  • Ele poderá ser enviado para luas Europa e Enceladus, focos da busca por vida

Um dos principais focos da busca por vida alienígena atualmente está nos oceanos abaixo do gelo de luas de planetas do nosso Sistema Solar, como Europa e Enceladus. E aí há um desafio: como buscar por formas biológicas nesses locais? A resposta começou a ser encontrada pela Nasa (agência espacial norte-americana), com um robô subaquático que pode ser chamado de espécie de "submarino caçador de aliens".

O JPL (Jet Propulson Laboratory, ou Laboratório de Propulsão a Jato) da Nasa anunciou nesta semana que o pequeno robô está sendo enviado para testes na Antártida. O equipamento vai passar este mês tendo sua resistência testada na estação de pesquisa Casey, da Austrália, em preparação para uma futura missão que buscará formas de vida fora da Terra.

"As camadas de gelo que cobrem esses oceanos distantes servem como uma janela para os oceanos abaixo e a química do gelo pode ajudar a alimentar vida dentro desses oceanos. Aqui na Terra o gelo que cobre nossos oceanos nos polos tem um papel semelhante e nosso time está particularmente interessado no que está acontecendo no local em que a água se encontra com o gelo", aponta Kevin Hand, cientista líder da missão no JPL, ao site do laboratório.

Para a Nasa, as águas da Antártida são a analogia mais próxima que podemos achar na Terra de uma lua congelada, o que as tornam um local ideal para os testes do robô que tem um metro de comprimento e é equipado com duas rodas que podem rolar pelo gelo.

O que tem no robô

De nome Bruie (Buoyant Rover for Under-Ice Exploration, ou robô flutuante para exploração sob o gelo, na tradução livre), a espécie de submarino vai contar com inúmeros sensores e instrumentos científicos para medir parâmetros relacionados à vida, como oxigênio dissolvido, salinidade da água, pressão e temperatura.

O rover é construído com a mentalidade de ser um explorador resistente capaz de navegar sozinho por oceanos extraterrestres que estão abaixo do gelo. O gelo que protege esses oceanos pode ter espessura de 10 km a 19 km, de acordo com a Nasa.

O robô é desenvolvido para captar dados e tirar fotos da região em que a água se encontra com o gelo, e é isso que fará na Antártida. Ele é feito especialmente para que consiga ficar preso a essa região chamada de "interface".

"A vida normalmente se desenvolve nesses locais de encontro e muitos submersíveis têm trabalho para investigar essa área, já que as correntes do oceano podem ocasionar acidentes ou eles podem perder muita energia mantendo a posição. O Bruie usa flutuabilidade para permanecer ancorado contra o gelo e é impermeável para a maioria das correntes", diz Andy Klesh.

O novo investigador da Nasa ainda pode ser desligado, sendo ligado novamente apenas quando precisar realizar alguma medida. Isso faz com que ele possa passar meses observando o ambiente da água sob o gelo.

Durante os testes de campo na Antártida, ele ficará ligado à superfície enquanto os engenheiros do projeto testam os conjuntos do instrumento, incluindo as duas câmeras ao vivo de alta definição.

Futuras missões

É claro que não temos ideia do que há, realmente, em outros planetas. O veículo será capaz de detectar formas de vida similares às da Terra, então micróbios muito diferentes podem ser mais difíceis de reconhecer.

O robô já foi testado anteriormente no Alasca e no Ártico, mas é a primeira vez que vai para a Antártida. A Nasa já está construindo o Europa Clipper, orbitador previsto para ser lançado em 2025 para estudar Europa, uma das luas de Júpiter. Essa missão preparará o terreno para outra futura que pode procurar por vida abaixo do gelo.

Ciência