Topo

Seu "sorriso nervoso" virou meme e hoje ele viaja o mundo fazendo anúncios

András Arató ficou conhecido como "Hide Pain Harold" por causa de seu "sorriso nervoso" - Reprodução/Facebook/@painharold
András Arató ficou conhecido como "Hide Pain Harold" por causa de seu "sorriso nervoso" Imagem: Reprodução/Facebook/@painharold

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 13h41

Há nove anos, András Arató resolveu fazer uma pesquisa por imagens suas na internet e ficou chocado quando descobriu que seu rosto havia virado meme. Apelidado de "Hide the Pain Harold" (Harold disfarça a dor, em tradução livre), seu "sorriso nervoso" serviu para traduzir momentos ruins que as pessoas disfarçam com um sorriso.

Em artigo publicado no jornal britânico "The Guardian", Arató contou como se tornar um meme mudou sua vida completamente. O que era para ser apenas uma sessão de fotos para um banco de imagens o tornou famoso a ponto de ser convidado para fazer comerciais e estampar anúncios publicitários em todo o mundo.

O então engenheiro eletricista recebeu o convite de um fotógrafo, há dez anos, para participar de sessões de fotos que comporiam bancos de imagens. O fotógrafo tinha gostado de seu sorriso em suas fotos de viagem do Facebook. Arató gostou do convite e ao longo de dois anos posou para fotos em diferentes lugares de Budapeste, onde mora.

"Eu pensei que as imagens seriam usadas apenas por empresas e sites, não esperava os memes", disse. "As pessoas usaram minha imagem porque parecia que eu estava sorrindo com a dor".

Segundo ele, esse é seu sorriso de verdade. Com os memes, diversos jornalistas começaram a procurá-lo para entrevistas. Algumas pessoas o procuravam para descobrir se ele era real ou uma criação do Photoshop. "Uma pessoa até entrou em contato pedindo provas de que eu existia".

Ele não se incomodava com os memes, mas sim com os diversos perfis e páginas falsos que surgiram com o seu rosto. Para evitar o roubo da sua identidade, em 2017 ele criou sua própria página no Facebook onde posta vídeos e stories de suas viagens.

Ele conta que, no começo, sua esposa odiou todo aquele holofote, mas quando começaram a surgir ofertas de trabalho, tudo mudou. "Um site de futebol me levou para a Inglaterra para fazer um vídeo sobre o Manchester City. A banda de hard rock húngara Cloud 9+ tem uma música chamada Hide The Pain, comigo no vídeo. Sou o rosto de Totum, o cartão de desconto britânico administrado pela União Nacional dos Estudantes - eles me fizeram usar um chapéu de balde. Eu até dei uma palestra no TED", disse.

"No ano passado, peguei 20 voos de Budapeste para destinos em todo o mundo: Europa, Rússia e, cada vez mais, América do Sul. No mês passado, viajei para o Chile e Colômbia para algumas aparições na TV; essa foi a primeira vez que me senti uma celebridade de verdade". Ele conta que precisou de guarda-costas em algumas ocasiões.

"Também estamos usando o meme para o bem. Queremos que seja mais do que apenas um sorriso triste. Sou o rosto de uma campanha para um serviço de saúde mental na Hungria".

Aos 74 anos, ele passou quase 40 sendo engenheiro, fazendo algumas palestras e conferências, mas, segundo ele, nada comparado com agora.

"Mas na verdade não sou um cara triste - acho que sou um pouco feliz", finaliza no artigo.

Redes sociais