Topo

Em primeiro dia no Uber, motorista espera mãe e filha por 2h no hospital

Bruna Santos, a passageira; e Daniel Torres, motorista do Uber que a ajudou com a filha doente, em São Gonçalo (RJ) - Acervo pessoal
Bruna Santos, a passageira; e Daniel Torres, motorista do Uber que a ajudou com a filha doente, em São Gonçalo (RJ) Imagem: Acervo pessoal

Renan Dionisio

Colaboração para Tilt

09/11/2019 04h00

Sem tempo, irmão

  • Bruna Santos pediu corrida na Uber para levar filha com febre ao hospital
  • Daniel Torres atendeu, e Bruna ia cancelar a corrida por conta de erro no app
  • Mas ao saber da criança doente, Daniel não só as levou à UPA como esperou 2h30
  • Ele recusou dinheiro; agradecida, Bruna compartilhou a história no Facebook

Uma história envolvendo uma corrida na Uber viralizou nas redes sociais na última quarta-feira (6), na cidade de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. Logo em seu primeiro dia como motorista autônomo no app, Daniel Torres se meteu em uma missão delicada: ajudou a passageira Bruna Santos a passar por um problema de saúde com a filha Letícia, de três anos.

Bruna relatou no seu Facebook que solicitou uma corrida na noite de quarta, pois precisava levar sua filha com febre para o hospital. Por conta de uma cirurgia no joelho, seu marido não podia dirigir.

Daniel aceitou a corrida. Enquanto aguardava o motorista, por volta das 23h30, o aplicativo de Bruna atualizou e, por algum tipo de erro, mostrou a informação de que ela já estava com uma viagem em andamento, embora ela continuasse esperando pelo carro.

No desespero do momento, Bruna ligou para Daniel perguntando se ele podia cancelar a corrida e também falou da emergência com a filha. "Fiquei com medo da minha filha piorar, e ia pedir outro carro", diz.

Daniel disse que já estava perto e que cancelaria sim a viagem, mas mesmo assim pediu o endereço que ela estava, pois ele pretendia ajudá-la.

Resolvi fazer isso porque eu só pensei na criança no momento, como se fosse meu filho, mais nada. Só uma criança e a mãe dela, com todo o desespero. Cancelei tudo e fui por conta própria... Encontrei ela desesperada com a menina cheia de febre, rapidamente botei no veículo e fui diretamente para a UPA [unidade de pronto-atendimento]
Daniel Torres

Ao chegar no local, Bruna ofereceu uma quantia em dinheiro para Daniel pela ajuda prestada. Mas ele não aceitou e disse para que ela socorresse a filha, e que aguardaria o retorno das duas. Por volta da 1h30 de quinta-feira, Bruna saiu com sua filha do atendimento e Daniel ainda estava esperando para levá-las de volta.

"Sou pai de três filhos, uma menina e dois meninos. Sei como é a dor de ver seu filho doente e não ter ninguém para ajudar. Fiquei à disposição dela até sair do hospital, não importava o horário da saída, só queria sair de lá com a família e levar para casa", justifica o motorista.

Bruna complementa: "Na ida ele estava tão nervoso, como se realmente fosse a filha dele. Mas na volta conversamos muito. Ele me falou sobre sua família, sobre a esposa, que comprou o carro e trabalha de Uber para pagar o carro". No dia seguinte, Daniel ligou para a mulher para saber como Letícia estava.

Usuária de Uber há anos, Bruna teve nesta semana sua experiência mais emocionante com o app. "Sempre peguei motoristas muito educados, mas nenhum foi como Daniel", elogia.

Em seu post no Facebook, Bruna agradeceu a Daniel pela ajuda e pelo carinho. A publicação já passa dos 130 mil curtidas e 40 mil compartilhamentos.

O final feliz da história continuou com um epílogo: os dois se tornaram amigos do Facebook. "Se eu cheguei até aqui, foi permissão de Deus", disse o rapaz nos comentários do post. Amigos de Bruna também aproveitaram para elogiar a postura do rapaz.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Uber