Topo

Nova era: Zuckerberg diz que comunicação privada é o futuro do Facebook

Executivo acredita em uma transição de plataforma aberta para uma mais fechada - Chesnot/Getty Images
Executivo acredita em uma transição de plataforma aberta para uma mais fechada Imagem: Chesnot/Getty Images

Rodrigo Trindade

Do UOL, em São Paulo*

06/03/2019 20h14

Resumo da notícia

  • Em post na rede social, executivo afirmou que plataformas focadas em comunicação privada se tornarão maiores do que aquelas abertas
  • Zuckerberg apontou vantagens e desvantagens da criptografia de ponta a ponta, mas mostrou comprometimento a ela
  • Chefão do Facebook deu um exemplo de como será a integração entre Messenger, WhatsApp e Instagram

O executivo-chefe do Facebook, Mark Zuckerberg, disse nesta quarta-feira (6) acreditar que mensagens privadas seguras se tornarão mais populares do que plataformas abertas, no mais recente sinal de que uma das empresas que popularizou as redes sociais vê seu futuro em conversas online mais protegidas.

O Facebook já é o líder global em mensagens privadas com seu Messenger e o WhatsApp, mas enfrenta desafios porque as conversas criptografadas limitam a capacidade da empresa para enviar anúncios direcionados. Ainda assim, Zuckerberg aposta que este é o caminho a ser seguido nos próximos anos.

"Quando penso no futuro da internet, acredito que uma plataforma de comunicação focada na privacidade se tornará ainda mais importante do que as plataformas abertas de hoje", escreveu Zuckerberg em sua página no Facebook.

Zuckerberg disse que o Facebook se concentrará mais na privacidade de usuários conforme a rede social muda seus produtos de mensagens para criptografia de ponta a ponta, impedindo que qualquer pessoa de fora, incluindo o Facebook, de monitorar as conversas.

Dado não é roubado: o ano que nos obrigou a cuidar melhor dos nossos dados

Leia Mais
Ele apontou que estes recursos de segurança terão impacto majoritariamente positivo, especialmente pela preocupação que a tecnologia tem concentrado cada vez mais poder nas mãos de governos e empresas como o próprio Facebook. Zuckerberg relatou conversas com dissidentes políticos que disseram que a criptografia era o motivo deles estarem livres ou até vivos e lembrou que, com esse recurso, o Facebook protege seus usuários e até funcionários de pedidos abusivos de governos que demandarem dados pessoais.

O executivo também deixou claro que a criptografia é uma ferramenta poderosa para privacidade, inclusive para pessoas que querem fazer o mal. Por isso, a empresa trabalha em formas de identificar atores ruins ao "detectar padrões de atividade e ou por outros caminhos", inclusive quando o Facebook não consegue ver o conteúdo das mensagens.

Zuckerberg também tentou explicar como funcionará a criticada e planejada integração entre Messenger, WhatsApp e Instagram. "Há vantagens de segurança e privacidade na interoperabilidade", afirmou. Ele deu o exemplo de pessoas que mandam mensagens SMS pelo Messenger no Android. Embora o Messenger seja criptografado, o SMS não é. Se a mensagem SMS fosse mandada pelo Messenger para um número de WhatsApp, o conteúdo da conversa ficaria protegido.

O comunicado vem no ano seguinte ao do escândalo da Cambridge Analytica, que fez a empresa sofrer uma enorme quantidade de críticas sobre sua capacidade de proteger a privacidade dos usuários em audiências no Congresso dos EUA e em outros lugares.

*com informações da Reuters

Mais Facebook