Topo

Chora, EUA! Mesmo boicotada, Huawei bate recorde de venda de smartphones

Nova 3i, smartphone intermediário da chinesa Huawei  - Divulgação
Nova 3i, smartphone intermediário da chinesa Huawei Imagem: Divulgação

Helton Simões Gomes

Do UOL, em São Paulo

27/12/2018 15h02

O ano não foi fácil para a Huawei, alvo de uma onda de boicote por parte dos Estados Unidos que conseguiu convencer países aliados a deixarem de usar equipamentos de telecomunicação da gigante chinesa. Ainda assim, a empresa tem o que comemorar: bateu seu recorde ao vender 200 milhões de smartphones em 2018.

Segundo a empresa, esse resultado foi alcançado graças aos sucessos de aparelhos como P20, Honor 10 e o Mate 20.

A marca ainda vai aumentar, já que o ano ainda não terminou, mas já é 32% maior que os 153 milhões de celulares vendidos pela Huawei no ano passado.

A chinesa lembra ainda que há oito anos conseguia vender apenas 3 milhões de aparelhos:

No mercado global de smartphones, a Huawei foi de ser descartada estatisticamente como 'outra' até passar a ser listada entre as três principais empresas do mundo

O recorde de vendas vem na esteira de outro feito da Huawei. Durante o segundo e terceiro trimestres de ano, a empresa ultrapassou a Apple e se tornou a vice-líder em vendas globais de smartphone.

A Huawei acelerou a adoção de novas tecnologias neste ano, focando em inteligência artificial

Mo Ji, analista da consultoria Canalys

A chinesa perdeu apenas para a Samsung. Entre abril e junho, por exemplo, ficou a 19 milhões de smartphones de tomar a coroa da sul-coreana.

Quais os melhores celulares de 2018? Veja os destaques de cada categoria

Leia mais

A Huawei não revela quantas unidades foram vendidas de cada uma de suas linhas. Mas dá alguns indicativos de quais foram bem. A série P20 conquistou as mulheres e já vendeu 16 milhões de aparelhos. Já a Mate 20, que possui o processador mais sofisticado já criado pela chinesa, vendeu 5 milhões de smartphones.

O que foi sucesso mesmo, no entanto, foram os aparelhos da série "nova": 65 milhões de unidades vendidas e ainda ganhou o apelido de "celular para selfie mais popular de 2018".

Segundo a chinesa, mais de 500 milhões de consumidores em mais de 170 países usam seus celulares.

Olhando para o futuro, o negócio da Huawei voltado a consumidores focará no conceito central de 'consumidorcêntrico', ousará continuar a inovar e fará ainda mais esforços para se tornar pioneira e líder na próxima onda da revolução de smartphones

Richard Yu, CEO da área de consumo da Huawei

Ainda que esteja comemorando o recorde de vendas de celulares, a Huawei continua passando um tremendo sufoco em outro campo de negócios: o das telecomunicações.

Boicote dos EUA

Os Estados Unidos levantaram dúvidas sobre a segurança dos aparelhos da Huawei. Para o governo norte-americano, os laços da empresa com o governo chinês podem ser usados para promover espionagem cibernética. Devido a essa suspeita, os norte-americanos impediram que aparelhos da chinesa fossem comprados e iniciaram uma onda de boicote à empresa pelo mundo.

Muito além do Galaxy: os bastidores do império da Samsung

Leia mais

Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, Japão compunham a lista até a francesa Orange anunciar que vai recorrer a rivais da Huawei, Nokia e Ericsson. O caso dos britânicos é curioso, já que a Huawei abriu um laboratório de pesquisa na região para que as autoridades pudessem inspecionar aparelhos e códigos em busca de algum indicativo de que favorecessem algum monitoramento por parte do governo chinês.

Depois disso, a Deutscke Telekom anunciou que também avaliaria se consideraria ou não os equipamentos da chinesa em suas aquisições futuras. Com ela é a maior operadora de telecomunicação da Europa, isso poderia significar que o boicote à Huawei se estenderia a mais 12 países.

Em paralelo à preocupação levantada sobre a segurança dos aparelhos da Huawei, os norte-americanos ainda acusam a chinesa de ter furado o embargo imposto ao Irã e ter vendido ao país aparelhos que continham propriedade intelectual de companhias dos EUA.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Smartphone