PUBLICIDADE
Topo

Alegando risco de segurança, Suécia proíbe equipamento 5G da Huawei e ZTE

Justin Tallis/AFP
Imagem: Justin Tallis/AFP

Em Estocolmo

20/10/2020 09h13

A Suécia proibirá, como medida de segurança nacional, a instalação de novos equipamentos das empresas chinesas Huawei e ZTE em sua rede de telecomunicações 5G e os produtos já instalados devem ser retirados até 1 de janeiro de 2025, anunciou nesta terça-feira a agência responsável pelas licitações.

A proibição é consequência de uma nova lei aprovada no início do ano e da avaliação das autoridades militares e de inteligência para "garantir que o uso das frequências não coloque em perigo a segurança da Suécia", afirmou a Autoridade Sueca de Telecomunicações (PTS) em um comunicado.

O país da Ericsson - principal concorrente da Huawei - imita a decisão britânica tomada em julho de proibir a presença da Huawei.

Vários países europeus estão fechando gradualmente as portas de suas redes de telecomunicações para a Huawei, ou cogitam adotar a medida, após as sanções dos Estados Unidos.

Na França, o fabricante chinês de equipamentos não será submetido a uma proibição total do mercado de internet móvel 5G, mas os operadores que já utilizam a Huawei terão autorizações de operação limitada a oito anos.

"As novas licitações nas funções centrais para o uso de rádio das faixas de frequências devem acontecer sem provedores da Huawei ou ZTE", afirma a PTS em um comunicado.

"Se as infraestruturas existentes nas funções básicas forem utilizadas para oferecer serviços nas frequências em questão, os produtos Huawei e ZTE deverão ser retirados no mais tardar até 1 de janeiro de 2025", acrescentou a Autoridade.

A Huawei se transformou em poucos anos em líder mundial em equipamentos de redes de telecomunicações, com uma importante liderança no 5G. Atualmente supera a sueca Ericsson e a finlandesa Nokia em participação de mercado. A ZTE também é uma das principais fornecedoras do mundo.