PUBLICIDADE
Topo

Conectada, sustentável e mais: quais as cidades mais inteligentes do país?

Pexels
Imagem: Pexels
Renato de Castro

Renato de Castro é expert em Cidades Inteligentes. É embaixador de Smart Cities do TM Fórum de Londres, membro do conselho consultivo global da Leading Cities de Boston e Volunteer Senior Adviser da ITU, International Telecommunications Union das Nações Unidas. Acumulou mais de duas décadas de experiência atuando como executivo global. Renato já esteve em mais de 30 países, dando palestras sobre cidades inteligentes e colaborando com projetos urbanos. Atualmente, reside em Barcelona onde atua como CEO de uma spinoff de tecnologia para Smart Cities.

11/09/2020 04h00

Desde 2014, todo ano temos a divulgação do ranking das cidades mais inteligentes do Brasil. Feito com o objetivo de mapear as cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil, o Ranking Connected Smart Cities deste ano tem como grande estrela da lista a cidade de São Paulo, seguida bem de pertinho por Florianópolis, que subiu cinco posições. Em terceiro lugar temos a bela capital paranaense, seguida por Campinas e Vitória.

Abaixo a lista das top 20 cidades inteligentes brasileiras de 2020:

TOP 20 cidades inteligentes brasileiras de 2020 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

O ranking traz indicadores desenvolvidos pela consultoria Urban Systems, que qualificam as cidades mais inteligentes e conectadas do país. A consultoria utiliza metodologia própria de ponderação de indicadores, denominada de Índice de Qualidade Mercadológica (IQM). Eu particularmente gosto muito dessa metodologia.

Como todo ranking, os cálculos são baseados em indicadores que, nesse caso, retratam inteligência, conexão e sustentabilidade. O ranking é composto por 70 indicadores, distribuídos em 11 principais setores: mobilidade e acessibilidade, urbanismo, saúde, educação, energia, economia, meio ambiente, tecnologia e inovação, segurança, empreendedorismo e governança.

O mais bacana dessa metodologia é o seu alinhamento com a novíssima (maio de 2019) ISO 37122 - "Sustainable cities and communities - Indicators for smart cities", também conhecida como ISO das Cidades Inteligentes. Os indicadores da ISO 37122 vieram para universalizar o conceito de smart city.

A grande dificuldade que sempre tivemos para comparar países e cidades era a falta de padrões mundiais. A própria definição do que é uma cidade inteligente vinha sendo desenvolvida desde o final dos anos 1970, mas sempre com um viés muito regional e baseado no entendimento pessoal de cada autor.

Para haver um padrão entre as diferentes cidades e países atualmente já podemos contar com a metodologia universal da ISO. Hoje já é possível desenvolvermos projetos em todo o mundo, seguindo parâmetros únicos e com um alto grau de replicabilidade.

Analisando a lista das top 20 é fácil verificar que a região Sudeste ainda domina o ranking, ocupando mais de 50% das posições. A região Sul aparece novamente em segundo lugar, tendo duas cidades entre as top 5. A região Centro-Oeste vem representada por Brasília e Campo Grande, ambas perdendo posições em relação ao ano passado. Por fim, a região Nordeste entra em 2020 na prestigiosa lista com Recife, que esse ano subiu oito posições e figura agora na 15ª posição. A região Norte infelizmente está fora da lista principal, tendo Palmas como a cidade mais bem classificada na 32ª posição.

Segundo o estudo, 64 das 100 cidades mais inteligentes estão na região Sudeste, uma redução de três cidades em relação ao ano anterior, sendo 43 delas no estado de São Paulo, também com redução em relação ao ano anterior. Dezenove estados brasileiros e o Distrito Federal possuem cidades na lista das 100 mais inteligentes.

Outro ponto interessante do ranking 2020 é que das 100 cidades mais inteligentes, 18 possuem menos de 100 mil habitantes, um aumento de três cidades em relação a 2019. Eu venho batendo nesta tecla já há bastante tempo que não é necessário ser uma metrópole para ser uma smart city. Jaguariúna, na região metropolitana de Campinas, é a cidade mais inteligente na faixa populacional de 50 a 100 mil habitantes e está na 17ª posição.

No estudo também é possível conferir as cidades melhor posicionadas nos recortes por cada um dos 11 setores. Um destaque especial esse ano para o meu Rio de Janeiro, que embora apareça somente na 12ª posição no ranking geral, em 2020 segue em primeiro lugar, pelo terceiro ano consecutivo, no eixo empreendedorismo.

Os destaques da cidade do Rio de Janeiro (RJ) são:

(A) Existência de 23 incubadoras de empresas e 5 parques tecnológicos;

(B) 108,1 depósitos de patente por 100 mil habitantes;

(C) Crescimento de 21,5% das MEI's.

A lista é sempre divulgada durante o evento Connected Smart Cities, que em função da pandemia este ano aconteceu 100% de forma digital nos dias 8, 9 e 10 de setembro.

Ficou curioso de saber se a sua cidade entrou na lista das top 100 desse ano? Confira aqui o relatório completo com o ranking 2020.