PUBLICIDADE
Topo

Guilherme Rambo

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

iPhone SE e Macs: 4 novidades que acredito que a Apple deve lançar em breve

MacBook Air está entre as novidades que a Apple deve anunciar em seu próximo evento - Thomas Van Der Vennet/ Unsplash
MacBook Air está entre as novidades que a Apple deve anunciar em seu próximo evento Imagem: Thomas Van Der Vennet/ Unsplash
Conteúdo exclusivo para assinantes
Guilherme Rambo

Guilherme Rambo é programador desde os 12 anos. Especialista em engenharia reversa, é conhecido mundialmente por revelar os segredos da Apple antes mesmo dos anúncios da empresa, além de programar para as plataformas da empresa.

25/02/2022 04h00

Como já é costumeiro, a Apple está —segundo rumores— preparando o primeiro evento de lançamento de produtos do ano, que deve acontecer já em março, com muitas fontes apontando o dia 8 como provável data para o evento, que deve ser virtual.

Não há muita informação concreta sobre o que deve pintar neste primeiro evento do ano, mas diversos rumores e informações de analistas nos dão uma boa ideia do que está por vir.

iPhone SE (terceira geração)

A Apple não costuma atualizar o iPhone SE todos os anos, como faz com o restante da linha. Da primeira versão do aparelho até a segunda geração, lançada em 2020, foram quatro anos sem novidades.

Agora que a empresa consolidou a linha de iPhones e os modelos "SE" dos produtos (iPhone e Apple Watch) como uma opção mais em conta para quem deseja um aparelho novo, mas sem as novidades mais avançadas dos modelos topo de linha, faz muito sentido atualizar o iPhone SE com mais frequência.

O produto geralmente traz por dentro tudo o que há de melhor nos modelos topo de linha, porém sem as novidades de design e com componentes mais baratos para redução de custo, ou até para que continue familiar àqueles que não gostam muito de mudança.

Por conta disso, não espero grandes novidades no iPhone SE de terceira geração que deve ser anunciado em breve.

Ele deve vir com o processador A15 (mesmo dos iPhones 13 e 13 Pro), com suporte às redes de telefonia 5G e talvez com o chip U1 de localização avançada que permite uma integração maior com o AirTag e HomePod mini.

A grande vantagem do aparelho é seu custo reduzido quando comparado aos demais iPhones, apesar de trazer dentro dele grande poder de processamento com componentes que devem garantir uma vida útil de muitos anos, tanto no uso quanto em termos de atualização de software.

O iPhone SE pode ser uma excelente pedida para dar de presente, especialmente para quem não gosta do Face ID ou não quer mudar a forma como já está acostumado a usar o iPhone.

iPad Air 5

O iPad Air mais recente, lançado em 2020, trouxe um novo design e a presença do Touch ID no botão liga/desliga, permitindo a remoção do botão de início sem a necessidade de incluir o Face ID como autenticação biométrica.

Rumores indicam que o primeiro evento da empresa em 2022 contaria com uma atualização do produto, que deve incluir algumas das novidades que vimos no novo iPad mini de sexta geração, incluindo a câmera frontal com o recurso Palco Central, além do processador A15, mais rápido e eficiente.

Outras novidades podem incluir melhores sensores nas câmeras frontais e traseira, além de suporte à conectividade 5G nos modelos que incluem apoio a redes de celular.

iMac Pro

Como comentei na semana passada no meu review do novo MacBook Pro com chip M1 Max, por enquanto nós vimos o que a Apple pode oferecer em termos de poder de processamento realmente profissional apenas na linha de laptops, com os novos MacBooks Pro de 14 e 16 polegadas.

Os desktops da empresa com chip próprio lançados até o momento — Mac Mini e iMac de 24 polegadas — não são máquinas da linha profissional, apesar de serem perfeitamente capazes de executar muitos trabalhos que exigem bastante do processador.

A Apple tirou o antigo iMac Pro com processador Intel da linha de produtos em março de 2021, deixando um "buraco" na linha de Macs que até agora não foi preenchido.

Muitos questionam se a empresa teria feito isso se tivesse a intenção de lançar um novo iMac Pro no futuro, com processador próprio. Eu acredito que sim. É possível que o novo iMac seja chamado de iMac Pro.

O iMac Pro Intel que foi descontinuado era um produto bastante peculiar, visto que a Apple o lançou em uma época na qual estava tendo problemas com usuários profissionais, que reclamavam da falta de atenção da empresa em atender suas necessidades.

Com o lançamento do Mac Pro mais customizável, além dos novos Macs com processador próprio, não fazia mais muito sentido a Apple manter o iMac Pro Intel na linha. De certa forma, ele foi um produto "temporário".

Agora, com a vinda dos chips profissionais da Apple, faria sentido a empresa anunciar um novo iMac Pro, com uma tela de 27 polegadas, processador M1 Max (ou até mais avançado), tela miniLED com ProMotion, além de um design renovado.

Segundo analistas, podemos esperar todas essas novidades muito em breve, numa versão profissional do iMac com chip da Apple. Fica a dúvida se a empresa irá optar por chamá-lo de iMac Pro ou diferenciá-lo apenas pelo tamanho da tela e outros recursos.

Novo MacBook Air

A Apple atualizou o MacBook Air no final de 2020, quando lançou os primeiros Macs com chip Apple Silicon, mais especificamente o chip M1. Na época, nenhum deles veio com grandes mudanças externas, incluindo o MacBook Air, que manteve o mesmo design da geração anterior.

Com os novos MacBooks Pro de 14 e 16 polegadas, a empresa se mostrou disposta a ouvir os pedidos dos usuários profissionais e trouxe um design muito mais condizente com o uso das máquinas, além de trazer de volta várias entradas e saídas muito bem-vindas.

Como já comentei anteriormente, o maior erro da Apple na linha de laptops foi priorizar demais características como espessura fina e leveza em todos os produtos, sem levar em conta seu uso. Isso acabou prejudicando muito a linha profissional, com desastres como o famoso "teclado borboleta" que vivia dando problema, além de problemas constantes de aquecimento por conta dos processadores Intel que estavam sendo colocados num invólucro muito pequeno.

Agora, se há um produto que merece ser extremamente fino, leve e elegante, esse produto é o MacBook Air. Steve Jobs tirou o MacBook Air original de dentro de um envelope ao anunciar o produto em 2008, enfatizando o foco em ser um produto extremamente compacto.

Espero que a empresa volte às origens do MacBook Air com a versão que deve ser anunciada em breve.

Segundo analistas, o novo MacBook Air deve contar com design totalmente renovado, possivelmente disponível em diversas cores, além de vir com uma nova geração de chips Apple Silicon, ou M2.

Se esse novo MacBook Air vier com um design elegante e com opções de cores, certamente será um laptop muito fácil de recomendar para a maioria das pessoas que só precisa de um laptop bom para tarefas que o MacBook Air dá conta. Tendo usado o MacBook Air M1 de 2020 por um bom tempo, posso afirmar que ele dá conta de muita coisa.