PUBLICIDADE

Topo

Free Fire


Free Fire ganha Liga oficial no Brasil com 12 times e estúdio de 1.200 m²

Estúdio que vai receber as partidas da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF), em São Paulo - Renato Bueno/UOL
Estúdio que vai receber as partidas da Liga Brasileira de Free Fire (LBFF), em São Paulo
Imagem: Renato Bueno/UOL

Amanda Santos

Do START, em São Paulo

24/01/2020 16h05

Resumo da notícia

  • Liga Brasileira de Free Fire começa em 1º de fevereiro com a Série A, e depois se expandirá com as Séries B e C
  • Partidas vão acontecer nos Estúdios Quanta, mesmo complexo onde ocorrem os torneios de League of Legends
  • Free Fire World Series, o mundial do game, volta a acontecer no Brasil, em novembro
  • Aplicativo BOOYAH! dará recompensas para quem acompanhar as transmissões da Liga Brasileira

A produtora Garena revelou nesta sexta-feira (24) os planos para elevar o status de "Free Fire" no cenário de eSports. O jogo mobile vai ganhar uma nova liga profissional, com rodadas semanais em um estúdio de São Paulo considerado o maior de esportes eletrônicos da América Latina, com 1.200 metros quadrados. No local, no entando, não vai receber plateia.

A Liga Brasileira de Free Fire (LBFF) começará no dia 1º de fevereiro, com 12 equipes e transmissão ao vivo pelos canais da Garena na internet e pelo aplicativo BOOYAH! Ao todo, a Liga será composta por três divisões. Nessa primeira etapa, não existirá a Série B, que será formada ao longo das semanas por times que caírem da Série A e subirem da série C —uma divisão de acesso que, segundo a Garena, "será composta por centenas de times de entrada".

Os 12 times que darão a largada na Série A são:

Conheça o estúdio de Free Fire em São Paulo

Em 2019, a principal competição de Free Fire era a Pro League, que teve três edições. A maior parte do torneio, porém, acontecia em rodadas online, e os times só se viam frente-a-frente em eventos especiais nas rodadas decisivas. Com partidas em estúdio em 2020, portanto, Free Fire se aproxima de jogos estabelecidos há mais tempo no Brasil, como "League of Legends", que desde 2015 funciona em formato de liga com partidas em estúdio.

As disputas de Free Fire, aliás, vão acontecer no mesmo complexo de estúdios que recebe as partidas do torneio de League of Legends (o CBLoL), da Riot Games, desde 2015. Free Fire ocupará o Estúdio 1 e, segundo a Garena, mais de 500m² do local serão dedicados à area de produção, sala de imprensa e criação de conteúdo.

O vídeo abaixo explica como funcionará o formato:

Mundial no Brasil em 2020

Outra novidade é que o Brasil vai, mais uma vez, sediar um mundial do jogo. Em 2019, o torneio ocorreu no Rio de Janeiro e viu o Corinthians ser campeão; em 2020, a Free Fire World Series repetirá a dose, também em novembro, mas ainda não foram revelados local nem data.

Free Fire World Series 2019 - Rio de Janeiro

Fernando Mazza, head de operações da Garena, diz que "o ano de 2019 foi extremamente positivo para a Garena no Brasil, desde a abertura do escritório local até a oportunidade de sediar o Free Fire World Series no Rio de Janeiro. Porém, este é apenas o começo e, com este estúdio, vamos poder elevar a qualidade dos conteúdos de eSports criados no Brasil".

Mano Brown e MC Jottapê lançaram a música "Zé Guaritinha" durante o mundial de Free Fire em 2019 - Divulgação/Garena
Mano Brown e MC Jottapê lançaram a música "Zé Guaritinha" durante o mundial de Free Fire em 2019
Imagem: Divulgação/Garena

No ano passado, o mundial teve mais de 2 milhões de visualizações simultâneas mundialmente, batendo recordes de audiência em competições de games mobile e se tornando a maior audiência da história do YouTube Brasil, segundo dados da Garena. Além da vitória do Corinthians, o evento foi marcado pelo show de Alok, Mano Brown e MC Jottapê, que tocaram a música Zé Guaritinha, lançada como clipe em dezembro.

BOOYAH! na palma da mão

O aplicativo BOOYAH! pode se conectar ao Free Fire para facilitar captura de gameplays - Reprodução
O aplicativo BOOYAH! pode se conectar ao Free Fire para facilitar captura de gameplays
Imagem: Reprodução

Além dos canais de transmissão tradicionais da Garena, uma nova plataforma deve se destacar em 2020. É o aplicativo BOOYAH!, que tem versões web, Android e iOS, e vai dar recompensas para quem acompanhar por ele as partidas da Liga Brasileira de Free Fire. A Garena ainda não revelou quais serão as recompensas, mas o aplicativo já está disponível para download gratuito.

O BOOYAH! tem funções como entrega de brindes via livestream, ferramentas de captura e transmissão, além de compartilhamento de gameplays —quase como um híbrido entre Twitch, YouTube e TikTok. Segundo a Garena, ele deve ganhar novas integrações com o jogo no futuro.

Free Fire Pro League 3

Fogo Livre em alta

"Free Fire" foi lançado em 2017 e é o representante mais popular do gênero Battle Royale, que ainda engloba títulos como "PUBG" e "Fortnite". Variações à parte, a regra básica é a mesma: jogadores saltam de paraquedas em uma ilha e precisam se enfrentar até que reste apenas um sobrevivente. Ao longo da partida, ou "queda", um círculo de "sobrevivência" no mapa vai se fechando, forçando os jogadores a se enfrentar, adaptando a estratégia a todo momento.

O ano de 2019 foi cheio de destaques para "Free Fire": além da quebra de diversos recordes de download e audiência, o jogo se consagrou no Prêmio eSports Brasil, lançou o personagem do DJ Alok e viu surgir fenômenos como a equipe LOUD, que recentemente foi campeã da Copa América e inaugurou sua segunda mansão em São Paulo.

Visual do DJ Alok em Free Fire - Reprodução
Visual do DJ Alok em Free Fire
Imagem: Reprodução

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Free Fire