Topo

Radar


O universo de Borderlands: planetas, megacorporações e seres angelicais

Por trás da máscara, muitas histórias espalhadas por vários jogos da série - Divulgação
Por trás da máscara, muitas histórias espalhadas por vários jogos da série Imagem: Divulgação

Bruno Izidro

Do START, em São Paulo

19/09/2019 04h00

Não é só de armas malucas e algumas polêmicas que vive "Borderlands 3". O jogo da Gearbox também herda um mundo bem rico em detalhes e mitologias próprias que os fãs presenciaram nos dez anos e quatro games anteriores da série.

Se você já se atualizou com a história contada até agora e que culmina em "Borderlands 3", é hora de ir mais fundo nesse universo: vamos falar dos planetas, das megacorporações que controlam tudo e seres angelicais com poderes místicos.

Pandora

Mapa de Pandora no primeiro Borderlands - Reprodução
Mapa de Pandora no primeiro Borderlands
Imagem: Reprodução

Se Pandora lembra o mito grego da mulher que abriu uma caixa que não deveria abrir, em "Borderlands" ele é só o nome do mundo em que acontecem todos os jogos da série.

Pandora é um planeta abandonado nas fronteiras da galáxia, mas que esconde um número impressionante de Vaults, lugares que guardam segredos e tecnologias de uma antiga raça alienígena chamada Eridian.

O planeta já foi colonizado por empresas como Atlas e Dahl, mas na época do primeiro jogo, os seus habitantes foram abandonados à própria sorte em meio a clãs de bandidos brigando por território, em um clima bem Mad Max pós-apocalíptico.

Pandora voltou a chamar a atenção de várias companhias após a descoberta da primeira Vault, em "Borderlands 1", e o aparecimento do elemento Eridium, que se tornou um recurso valioso para se explorar.

Eridian

Todo game que tem uma história com o pé na ficção-científica precisa de uma raça extinta com tecnologia avançada. Em "Halo" eram os Promethean, e "Mass Effect" tem os Prothean. "Borderlands" também cai nesse clichê com os Eridian.

Guardians são serem deixados pelos Eridian para proteger as Vaults - Divulgação
Guardians são serem deixados pelos Eridian para proteger as Vaults
Imagem: Divulgação

Eles foram os responsáveis pela criação das Vaults e outros artefatos bastante valiosos. Antes de serem extintos pela criatura conhecida como The Destroyer (o chefão final do primeiro "Borderlands"), eles deixaram os seres conhecidos como Guardians para proteger as Vaults e locais antigos em toda a galáxia.

As megacorporações

Estação espacial na órbita da lua de Pandora é base da Hyperion - Reprodução
Estação espacial na órbita da lua de Pandora é base da Hyperion
Imagem: Reprodução

O capitalismo liberal venceu em "Borderlands", e quem controla tudo e todos são as companhias privadas. Não existe um governo em Pandora, por exemplo, e quem dá as cartas é o conglomerado corporativo da vez que está explorando o planeta.

Se fosse na nossa realidade, poderia ser um Google, Disney ou Amazon da vida, mas como a maioria dos jogos da série "Borderlands" são de tiro, as empresas mais importantes e poderosas são da indústria bélica. Elas estão presentes desde o primeiro jogo, em que é possível ver nomes como Vladof, Torgue, Jakobs e Tediore estampados nas armas.

Tediore é uma das empresas que fabricam armas em Borderlands - Reprodução
Tediore é uma das empresas que fabricam armas em Borderlands
Imagem: Reprodução

No total, existem 12 dessas empresas, mas vamos nos focar somente em quatro, que têm importância para a narrativa dos jogos:

  • Dahl foi a empresa que se estabeleceu com mais força em Pandora, chegando a criar algumas colônias de mineração por lá. Eles também são os responsáveis pelo alto número de bandidos no lugar, já que usavam a força de trabalho de prisioneiros em suas fábricas. Você consegue adivinhar o que aconteceu com toda essa mão de obra depois que a empresa deixou o planeta?
  • Hyperion é a empresa que já teve Handsome Jack como presidente, e dona da enorme estação espacial Helios em órbita de Elpis, a lua de Pandora. Além de armas, eles também foram responsáveis por criar as unidades CL4P-TP, da qual o robozinho Claptrap faz parte.
  • Atlas é a corporação mais rica e importante do universo de Borderlands, fabricando de armas até espaçonaves. A empresa ficou podre de rica por ter sido a primeira a encontrar tecnologia alienígena dos Eridians no planeta Promethea. Em "Borderlands 3", a empresa é comandada por Rhys, um dos protagonistas de "Tales From Borderlands".
  • Maliwan é a empresa que ganha bastante foco em "Borderlands 3" por entrar em guerra contra Atlas e invadir sua sede em Promethea. A empresa é conhecida principalmente por fabricar armas com efeitos elementais como choque e fogo.

Crimson Raiders

Propaganda para se juntar aos Crimson Raiders - Divulgação
Propaganda para se juntar aos Crimson Raiders
Imagem: Divulgação
Um grupo de resistência nascido de ex-soldados da Crimsom Lance, o exército paramilitar da Atlas, depois que eles foram derrotados na expansão "The Secret Armory of General Knoxx", do primeiro Borderlands.

O fundador e primeiro líder dos Crimson Raiders foi Roland, um dos Vault Hunters originais. O grupo também já teve como membros, em algum momento da história, todos os demais Vault Hunters, tanto do primeiro quanto do segundo jogo.

No início, o objetivo deles era se opor à opressão de Handsome Jack em Pandora, mas após a descoberta de um mapa com a localização de Vaults ao redor da galáxia, os Crimson Raiders passam a ter missão de encontrar e impedir que as Vaults caiam em mãos erradas.

Após a morte de Roland em "Borderlands", Lilith, outra dos Vault Hunters originais, passa a liderar o grupo.

Sanctuary

Sanctuary é a principal cidade de Pandora - Reprodução
Sanctuary é a principal cidade de Pandora
Imagem: Reprodução

Sanctuary é a maior cidade de Pandora e base de operações dos Crimson Raiders. Ela já era mencionada no primeiro "Borderlands", mas só podemos visitá-la na sequência, quando o local passa a ser um hub de missões.

Originalmente, Sanctuary era uma nave mineradora da empresa Dhal que foi enviada para Pandora para coletar recursos do planeta. Com o tempo, uma cidade foi construída em cima.

Durante os eventos de "Borderlands 2", a nave mineradora teve que ser novamente ativada para evitar que a cidade fosse destruída por Handsome Jack. Como resultado, o local se transformou em uma cidade voadora.

Já na expansão "Commander Lilith & The Fight For Sanctuary", a Siren, já como nova líder dos Crimson Raiders, foi obrigada a destruir de vez a cidade. Porém, a memória de Sanctuary continua viva e, em "Borderlands 3", a nave que serve como nova base dos jogadores foi nomeada Sanctuary III.

Sirens

Lilith é a Siren mais famosa da série - Reprodução
Lilith é a Siren mais famosa da série
Imagem: Reprodução

Siren são uma das classes de Borderlands, e podem ser o equivalente aos magos, com poderes místicos e bastante poderosos. Só que elas também têm uma importância na narrativa de "Borderlands".

De acordo com a história dos jogos, a origem das Siren tem ligação com os Eridian. Elas são sempre mulheres, que podem ser identificadas por marcas que brilham pelo corpo, como se fossem tatuagens neon.

Além disso, só podem existir seis Sirens vivas ao mesmo tempo no universo. O porquê disso ainda não sabemos, mas o certo é que cada uma possui habilidades místicas únicas. Lilith, por exemplo, pode se teleportar, enquanto Amara, de "Borderlands 3", pode invocar braços extradimensionais.

Algumas das Siren conhecidas nos jogos são as Vault Hunters Lilith, Maya e Amara, além de Angel, filha de Handsome Jack, e a vilã comandante Steele, do primeiro "Borderlands". Em "Borderlands 3", já foi revelado que Tyreen Calypso também é uma Siren.

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

Mais Radar