Topo

Radar


Jogamos! "Man of Medan" inova dramas interativos com o multiplayer

Navegando em alto mar em uma noite chuvosa, os protagonistas são pegos de surpresa por alguns piratas - Divulgação
Navegando em alto mar em uma noite chuvosa, os protagonistas são pegos de surpresa por alguns piratas Imagem: Divulgação

Daniel Esdras

Do GameHall

19/08/2019 13h02

Resumo da notícia

  • START testou a demo do jogo da Supermassive Games que chega em 30 de agosto
  • Decisões do jogador afetam o desenrolar da história, com vários finais diferentes
  • Principal inovação é no multiplayer, que vai exigir coordenação entre os personagens

Quando a Quantic Dream lançou "Heavy Rain" (2010), foi o iníicio de uma nova era para o gênero dos "dramas interativos", com sucessos como "Walking Dead" (2012), que chegou a ganhar um GOTY (jogo do ano), "Life is Strange" (2015) e "Detroit: Become Human" (2018) vindo na sequência.

A "Supermassive Games", que desenvolveu o bom "Until Dawn" (2015), volta em breve a esse mercado com "The Dark Pictures: Man of Medan", que chega em 30 de agosto para PlayStation 4, Xbox One e PC. A promessa é manter a pegada de suspense e terror que marcou o jogo anterior do estúdio e inovar com um modo cooperativo.

Jogamos uma demo que deixou um pouco mais clara a premissa do título e te contamos agora o que esperar.

Suspense e muitos caminhos

A demo se passa algumas horas após a introdução do jogo, pouco antes de os personagens encontrarem o navio fantasma onde o bicho vai pegar de verdade. Navegando em alto mar em uma noite chuvosa, os protagonistas são pegos de surpresa por alguns piratas, que de forma furtiva rendem toda a tripulação. Durante os minutos da demo, devemos escolher como agir para sobreviver aos piratas e também a uma tempestade.

Se você nunca jogou um título desse gênero, saiba que o foco aqui é total na narrativa, com o jogador interagindo com a história através dos "quick time events", os famigerados "QTEs", em que o ícone de um botão aparece na tela para você apertar antes de o tempo acabar. Somos apresentados a esse sistema logo de cara na demo, com o clássico pressione "X" para desviar de um soco de um dos piratas.

Reprodução
Imagem: Reprodução

A diversão desse tipo de jogo está em moldar a história de acordo com as suas decisões e ações, já que cada título desse geralmente tem diversos finais e muitos caminhos diferentes para se chegar até eles. Em "Man of Medan", a quantidade de caminhos a serem escolhidos parece enorme, ou pelo menos é o que a demo dá a entender.

A diversão está em moldar a história de acordo com as suas decisões e ações, com diversos finais e muitos caminhos diferentes para se chegar até eles

Enquanto o chefe dos piratas, um cidadão cego de um olho e com um sobretudo misterioso, ia chamando um por um dos membros da tripulação presos em um quarto para serem interrogados, vamos conversando com os outros tripulantes sobre como agir.

No modo para um jogador, o personagem que você controla vai sendo modificado de acordo com a progressão da narrativa. No início controlei o impaciente Conrad, interpretado por Shawn Ashmore, de "Quantum Break". Mais tarde controlei a capitã Fliss, outro personagem de personalidade forte. Já no modo cooperativo, cada jogador vai controlando personagens diferentes, e explicaremos com mais detalhes mais adiante.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Nas várias vezes em que joguei o conteúdo da demo, tomei as mais diversas decisões, que causaram impactos enormes no enredo. Conrad fugiu do barco em um dos meus percursos, deixando a galera para se virar com os piratas. Já em outra abordagem, fiz com que ele liderasse os amigos contra os piratas em uma tentativa de retomar o controle do barco.

A cada nova decisão, deu para ver que diversas informações sobre o enredo, como a localização de um passageiro escondido, são reveladas de acordo com as escolhas. Os jogadores mais dedicados, com certeza, terão de repetir a história várias vezes para poder entender todos os detalhes da trama.

O uso das "QTEs" está bem criativo. Um exemplo foi quando tive que pressionar os botões em uma interface que parecia uma linha do "Guitar Hero". Era um momento de tensão, e cada acerto no tempo correto diminuía os batimentos do Conrad e o acalmava. Em caso de erros, ele faria barulho e alertaria os guardas. Já é algo bem mais interessante que ficar pressionando botões a cada pequena ação que não causa impacto real no jogo, um erro comum em títulos do gênero.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Um ponto que deve afetar bastante o desenvolvimento do enredo é o nível de interação entre os protagonistas. A cada opção escolhida em um diálogo, ou ação feita na frente dos outros companheiros, o nível de afinidade entre os personagens sofre mudanças. Além disso, essas escolhas também moldam as características do próprio personagem que você estiver controlando. No menu é possível ver alguns desses traços de personalidade. Como tudo isso vai afetar de fato o andamento da narrativa, só saberemos após o lançamento.

Já que os desenvolvedores desse tipo de jogo não precisam se preocupar tanto com elementos de jogabilidade, os gráficos também recebem um bom tratamento, e o resultado final geralmente impressiona. Em "Man of Medan" não é diferente. As expressões faciais dos personagens são bem realistas e o ambiente é denso em detalhes, bem imersivo. Não chega ao nível de "Detroit: Become Human", mas não deixa de ser muito bem feito.

Divulgação
Imagem: Divulgação

Multiplayer é a grande novidade

O que ninguém tinha feito até agora nos dramas interativos era introduzir o multiplayer na jogatina. A galera da "Supermassive Games" decidiu topar o desafio e já deu para ter um gostinho de como a aventura vai se desenrolar neste modo durante a demo.

Os jogadores no modo cooperativo vão controlar personagens diferentes. Pela demo não deu para entender quantos dos protagonistas ficam com cada um e se serão sempre os mesmos personagens. O que deu para entender é como vai ser a dinâmica dos eventos.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Existem sessões inteiras em que os jogadores estarão totalmente separados. Em um vídeo recente da "Supermassive Games", eles utilizaram como exemplo um momento em que um jogador irá mergulhar e passar por diversos eventos debaixo d'água enquanto o outro está fazendo outras tarefas no barco. Na demo, em determinado momento, um dos jogadores deve tentar retomar o controle do barco, enquanto o outro se vira com os guardas no quarto. As ações de um jogador podem interferir diretamente no andamento dos eventos do outro. Ao errar um QTE, o personagem do primeiro jogador pode fazer barulho que alertará os guardas que estão sendo persuadidos pelo segundo jogador e estragar o esquema.

Além disso, algumas QTEs foram pensadas para o jogo cooperativo. Um exemplo da demo foi bater no vidro da cabine para abri-lo no momento em que o trovão fizesse barulho. Nesse momento, se um dos jogadores errar o tempo, alertará os guardas.

O principal desafio do multiplayer é equilibrar o tempo dos eventos para os dois jogadores de forma que um não tenha que ficar esperando o outro

O principal desafio do multiplayer é equilibrar o tempo dos eventos para os dois jogadores de forma que um não tenha que ficar esperando o outro. Com o controle dos tempos das QTEs, a expectativa é que tudo funcione de forma satisfatória.

Pela qualidade da demo, "The Dark Pictures: Man of Medan" promete muitas novidades para os dramas interativos, e só pela ousadia do modo cooperativo já merece uma chance. O sucesso ou fracasso do jogo vão depender da história. Pelo que foi mostrado até agora, a primeira opção parece ser a mais provável.

Divulgação
Imagem: Divulgação

SIGA O START NAS REDES SOCIAIS

Twitter: https://twitter.com/start_uol
Instagram: https://www.instagram.com/start_uol/
Facebook: https://www.facebook.com/startuol/
TikTok: http://vm.tiktok.com/Rqwe2g/
Twitch: https://www.twitch.tv/start_uol

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Radar