PUBLICIDADE

Topo

GGWP

eSports e música: YoDa entende o futuro das streams

Playlist: novo projeto do ex-jogador de esporte eletrônico YoDa - Divulgação/SehLoiro
Playlist: novo projeto do ex-jogador de esporte eletrônico YoDa Imagem: Divulgação/SehLoiro
Leo Bianchi

Leo Bianchi é jornalista, já foi repórter e apresentador do Globo Esporte. É apaixonado por competição e já cobriu Copa do Mundo, Fórmula 1, UFC e mundiais de CS:GO, R6, FIFA, Just Dance e Free Fire. Também é youtuber e pro-player frustrado. No GGWP você encontra análise dos cenários competitivos no Brasil e no mundo, além dos bastidores do universo envolvendo times, jogadores e novidades em geral.

Colunista do UOL

21/11/2020 09h00

Ex-jogador profissional de League of Legends, campeão do CBLoL em 2017, Felipe "YoDa" ficou conhecido no cenário também pela força de suas streams - sempre repletas de ideias inovadoras e de um entendimento particular do mercado de games e eSports.

Há pouco mais de uma semana, o profissional voltou a inovar ao lançar mais uma novidade para o programa PlaYlisT - evento com o propósito de conectar culturas e artistas através da música e dos jogos.

Com a edição especial da Batalha de Rap SehLoiro, o evento no Cine Jóia uniu o hip hop aos games e, além de YoDa, teve no comando Pedro Qualy, do Haikaiss, artista responsável por uma música especial dedicada à final do segundo split do CBLoL neste ano - realizada no topo de um prédio em São Paulo. Uma ideia que atraiu quase 300 mil espectadores únicos - com pico de 78 mil simultâneos.

MCs famosos, como Mikezin, Alva, Kant, Andrade, Noventa, Zuluzão, Big Mike e Krawk, participaram do evento. Tal qual os campeonatos de eSports, a batalha de rap promovida por YoDa distribuiu premiações expressivas: R$ 10 mil totais - sendo R$ 8 mil para o primeiro colocado e R$ 2 mil para o segundo. Os vencedores, inclusive, dividiram a bolsa com os outros participantes, de maneira a incentivar a cena.

- Vou levar esse momento para o resto da minha vida. A gratidão e o respeito que ganhei de toda comunidade do rap é algo sensacional, que precisar ser levado como exemplo para as outras comunidades. Estou muito feliz que eles puderam entender o que é brincadeira e o que é trabalho sério. Só tenho a agradecer pela dedicação e pelo carinho de todos e fico ainda mais motivado pra seguir evoluindo e entregando o melhor conteúdo sempre - afirmou YoDa.

live Yoda - Divulgação/SehLoiro - Divulgação/SehLoiro
Batalha de Rap, evento promovido pelo streamer e ex-pro player YoDa
Imagem: Divulgação/SehLoiro

A conexão promovida pelo streamer através do evento é uma maneira inteligente de ativar os eSports perante um novo público e unir duas frentes de entretenimento que são diferentes, mas podem se completar de diversas formas. Não à toa as grandes produtoras, como a Garena e a Riot Games, constantemente conectam seus respectivos jogos ao trabalho musical, engajando e "cercando" os fãs de diversas formas.

- Para mim, é sempre uma honra poder participar de um projeto com o YoDa. Foi muito legal ver a alegria dos MCs durante e depois do evento, e esperamos que esse exemplo fortaleça ainda mais a comunidade do Rap e possa promover novas interações com o mundo dos Games - disse Pedro Qualy.

É importante para os eSports contar com streamers que saibam pensar "fora da caixa" e criar ideias inteligentes tal qual YoDa tem feito junto de Adriana Noronha, sua mãe e sócia. Não é difícil notar que a maioria dos grandes nomes do mercado tem algum diferencial neste sentido, buscando evolução e alguma forma de se diferenciar para chamar a atenção do público. Trata-se de um tipo de produto que muda, literalmente, todos os dias.

Na verdade, qualquer elemento que envolva o audiovisual está em constante mutação, e as streams são, hoje, uma das maiores fontes de entretenimento de muita gente - em detrimento à televisão, aberta ou fechada, por exemplo. Não se trata só de jogar, transmitir, interagir com o chat. A chance de uma grande produção nas plataformas online repercutir e dar certo é enorme, e a tendência é acompanharmos cada vez mais iniciativas nesse sentido.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.