PUBLICIDADE

Topo

Fifa Street 2011

André Forte

Do Gamehall

15/03/2012 15h22

Bem melhor que os anteriores, "FIFA Street", enfim, se tornou um jogo divertido de fato. A inclusão do modo de futsal é muito válida, pois oferece uma opção de jogo mais séria que as demais modalidades, além do fato de ser um esporte muito popular e querido no Brasil.

Além disso, o visual dos jogadores e das arenas é caprichado, a mecânica funciona bem e o modo online, apesar de bem restrito, também ocorre de maneira satisfatória e sem perda de qualidade da animação.

Infelizmente, a EA falhou em alguns quesitos técnicos, como a falta de uma opção da defesa Legacy de "FIFA 12", que permite carrinhos mais frequentes ou no exagerado numero de quadras e itens bloqueados desde o início. Pesando na balança, "FIFA Street" se apresenta como um ótimo jogo de futebol, mas não é tão casual quanto se imaginava.

Introdução

A franquia "FIFA Street" já teve três edições, mas nenhuma delas empolgou de fato. Apesar de sua temática ser interessante - colocar craques do futebol real para jogar nas ruas -, o jogo sempre pecou em algum quesito, como na estranha mecânica de dribles do primeiro ou no estilo visual (muito) questionável do terceiro game.

Agora, "FIFA Street" promete recomeçar a franquia, trazendo um novo estilo visual, motor de física importado de "FIFA 12" e um modo inédito que promete empolgar os brasileiros: o futsal, com cobranças de lateral e regras reais.

Além do futebol de salão, o jogo oferece também outras regras, como o ‘Last Man Standing’ (em que cada gol vale um jogador a menos no seu time e ganha quem ficar sem nenhum), o ‘Panna Rules’, em que os dribles contam pontos mais importantes do que o próprio gol sozinho e os modos ‘5-A Side’ e ‘6-A Side’, que é um showbol - uma espécie de futsal com paredes nas laterais - com cinco ou seis jogadores.

Pontos Positivos

Mecânica simples, mas exigente

Os controles de "FIFA Street" são simplificados. Não é possível sequer optar pelo controle dos jogadores no direcional digital. Por sorte, a mecânica de dribles com o gatilho esquerdo e alavanca analógica da direita funciona bem e com facilidade, mas exige que o jogador esteja disposto a passar horas no modo de carreira para habilitar todos os movimentos de drible e finta disponíveis.

Estilo visual

A arte dos jogadores de "FIFA Street" tenta encontrar um meio termo entre o fotorrealismo de "FIFA 12" e o estilo caricato de "FIFA Street 3": e o resultado é muito satisfatório.

Agora, os jogadores não têm mais pernas e braços tão longos como no jogo anterior e exibem uma composição física mais realista, assim como eu seus rostos. Por outro lado, o traço grosso contornando os atletas passa a nítida impressão de que estamos controlando 'bonecos' dos craques reais.

Além disso, a animação segue o padrão de "FIFA 12", com movimentos realistas e uma física de impacto que só não é perfeita porque a EA resolveu banir os carrinhos e faltas duras.

Por fim, as arenas também merecem destaque, com diversas quadras de rua instaladas em pontos turísticos de todos os cantos do mundo como Notre Dame, na França, nos canais de Veneza e até nas praias e morros do Rio de Janeiro. Fãs de futsal terão também belas quadras poliesportivas e suas características linhas laterais apertadas.

Só tem Messi. Pode ser?

"FIFA Street" permite que você forme o seu timinho de rua e chame alguns de seus amigos para participar. Entre esses 'camaradas' estão estrelas como o garoto-propaganda Lionel Messi, o 'portuga' Cristiano Ronaldo ou os badalados espanhóis Iniesta e Xavi.

Caso nenhum desses seja interessante o suficiente, é possível criar o jogador do zero, com todas as opções já conhecidas da série "FIFA". É possível também importar os dados de "FIFA 12", que transformam automaticamente o seu atleta foto-realista em uma caricatura do jogo.

Modo futsal

Todos os modos de "FIFA Street" são interessantes, mas para os brasileiros a inclusão do futsal é muito bem vinda. O esporte mais jogado nas quadras escolares espalhadas pelo país está representado aqui em 'todas as suas emoções', o que inclui as linhas laterais e de fundo, o sistema de tiro direto sem barreira após a sexta falta e penalidade máxima.

Além disso, a mecânica da franquia se adaptou bem ao esporte, que exige um toque de bola rápido e algumas jogadas habilidosas para abrir espaço entre os limitados flancos das arenas.

Pontos Negativos

Sem carrinhos

Ok. Sabemos que a 'pegada' de "FIFA Street" é mostrar o futebol-arte nas ruas, mas não custava a EA incluir um sistema de defesa menos sonolento.

Se aproveitando da defesa tática de "FIFA 12", os jogadores cercam os atacantes com uma teimosia irritante, mas pouco fazem a não ser dar o bote de pé.

O carrinho no futsal, assim como no futebol real, é passível de cartão amarelo, mas ao contrário do que acontece en qualquer jogo de futebol, você não tem a opção de tentar parar a jogada e levar a punição.

Em jogadas de contra-ataque em que o time adversário está em velocidade, os defensores se veem incapazes de parar a jogada com carrinhos, pois o jogo não permite. O movimento só é usado em raros casos em que o defensor 'corta' um cruzamento, desde que não tenha jogadores envolvidos no lance.

Sendo assim, faltou liberdade ao jogador de tentar parar uma jogada com os carrinhos, mesmo que para isso fosse punido com cartão.

É um contrassenso para um jogo que se propõe a mostrar um lado mais descontraído do futebol, já que as cobranças de falta e colisões engraçadas muitas vezes representam a parte divertida do espetáculo.

Online incompleto

O modo online de "FIFA Street" funciona bem, mas faltaram algumas coisas. Se por um lado há um interessante modo de campeonato chamado "Street Season" e amistosos simples, os fãs das regras 'Last Man Standing' e 'Panna Rules' terão de se contentar com o modo solo, já que ambos não estão disponíveis no multiplayer.

Além disso, os jogadores sequer tem acesso aos clubes oficiais e seleções disponíveis nos modos para um jogador. O pior vem agora: antes de começar uma partida online é obrigatório criar um time, além de um capitão. É uma coisa chata e burocrática que, apesar de feita apenas uma vez, mais uma vez não combina com apelo de jogo casual a qual o jogo se propõe.

Muito conteúdo bloqueado

"FIFA Street" possui uma vasta e interessante oferta de itens personalizáveis, como camisetas, bermudas, chuteiras e acessórios, entretanto, alguns poucos itens desses estão disponíveis desde o começo e exigem que o jogador passe pelo longo modo solo para habilitá-los em sua totalidade.

Da mesma forma, as arenas do jogo são fantásticas, como a do Rio de Janeiro que lembra bastante os 'estádios' de Beach Soccer na cidade maravilhosa, mas esse e praticamente todos os outros 'campinhos' legais estão bloqueados, exigindo a taça de campeão em diversos campeonatos e em diferentes dificuldades do modo carreira.

O sistema de saves do jogo não grava os progressos no meio dos campeonatos, o que pode exigir que um mesmo torneio seja disputado por mais de uma vez até que se atinja o objetivo.

É uma coisa interessante por adicionar horas de jogo obrigatórias, mas por outro lado, acaba-se praticamente com o apelo casual do jogo e com a ideia ser um bate-bola simples na hora que quiser e como quiser.

Nota: 8 (Ótimo)