Topo

Reviews


Halo 2

22/11/2004 20h02

O jogo de lançamento do Xbox é também o título mais vendido da plataforma. Pensando originalmente para o PC, "Halo" passou por um desenvolvimento cheio de atrasos e problemas, que culminou na compra da Bungie pela Microsoft e sua transferência para console. Com multiplayer online através da rede Xbox Live, a continuação não poderia ser mais esperada pelos fãs.

Mas ao contrário do que toda a empolgação possa sugerir, a campanha para um jogador de "Halo 2" está longe de ser o jogo de tiro definitivo para videogames. Apesar das melhorias e muitos efeitos visuais impressionantes, o resultado final no single-player pode decepcionar.

Dois lados, duas realidades

"Halo 2" é mais um capítulo da história do soldado Master Chief, que luta contra uma coalisão religiosa de alienígenas conhecida como Covenant. Sem estragar muitas surpresas de um enredo elaborado, o jogo se aprofunda muito mais no ponto de vista dos Covenant - não é surpresa que o site oficial e manual são escritos do ponto de vista dos vilões - e oferece muitas revelações para quem acompanhou o game original e os livros baseados no jogo.

A narrativa é certamente um dos aspectos mais elaborados nessa continuação, estando anos-luz à frente do que a Bungie fez na primeira aventura. Ao contrário de "Halo", agora a trama leva o jogador para muitos lugares diferentes, em meio a uma série de situações que ajudam a quebrar a monotonia que atrapalhou a primeira aventura de Master Chief.

Um bom uso para a mão esquerda

O jogo original se destacou pela coerência, oferecendo algumas mudanças radicais no gênero - as principais foram um escudo que recarregava sozinho com o tempo e a habilidade de carregar apenas duas armas. A continuação vai mais longe, adicionando dois elementos importantes, estrategicamente interessantes e divertidos: a habilidade de empunhar duas armas ao mesmo tempo e a capacidade de arrancar pessoas de veículos e tomar seus lugares. Esta última é extremamente divertida - seja no modo para um jogador ou no multiplayer.

"Dual Wielding", a habilidade de carregar duas armas, é claramente a estrela do dia. O sistema é bastante balanceado: você não pode arremessar granadas enquanto usa uma arma em cada mão, nem pode guardar o que está na mão esquerda (e nem todas as armas permitem essa função). Levando em conta as necessidades de recarga de munição e sobreaquecimento, o sistema abre novas portas em termos de estratégia.

Mas por baixo dessas novidades, e mesmo tendo diminuído o repeteco da ação do game original, "Halo 2" continua sendo um game com design de fases apenas competente. É possível que alguns momentos do game brilhem por uma coincidência, mas quase toda a aventura não escapa de atirar, buscar cobertura, repetir o processo. E mesmo assim, a aventura é bastante curta, podendo ser vencida em poucas horas na dificuldade padrão.

Apresentação inconstante

A apresentação visual do jogo tem altos e baixos. A Bungie faz questão de ressaltar efeitos de brilho luminoso e relevo, mas com exceção da criatividade dos ambientes alienígenas, os ambientes e pessoas parecem mais interessados em demonstrar perícia técnica do que uma direção de arte competente. O game ainda traz um defeito sério: como o concorrente "Killzone", o nível de detalhe de objetos pode se alterar bruscamente enquanto você olha para eles - e isso acontece muito durante todo o game, até em partes não-interativas, distraindo o jogador. A compensação disso é a quase total ausência de telas de "loading" - mas talvez o contrário fosse um resultado melhor.

Já a parte sonora é muito bem trabalha, com uma excelente trilha que ajuda nas pretensões da narrativa. A dublagem competente da maioria dos personagens ajuda a carregar a emoção da trama, e muitos dos personagens controlados pelo computador usam dezenas de frases diferentes para se expressar - um belo toque da Bungie.

Escolha seu oponente

Mas se tem algo que "Halo 2" faz direito é sua parte multiplayer - a principal novidade da continuação. "Halo 2" é extremamente divertido quando jogado através do Xbox Live, e esse aspecto não deve ser ignorado - especialmente agora que pode ser compartilhado online de maneira nativa.

As modalidades incluem as principais variações do gênero como captura de bandeiras, dominação de territórios e batata-quente (por falta de termo melhor: uma pessoa é escolhida e todos precisam caçá-la). Cada um dos modos oferece subconjuntos de regras extremamente criativos, além da possibilidade de edição do próprio jogador. Outros detalhes, como editor de insígnias e clãs, fazem parte de uma interface bastante completa e ligeiramente confusa em sua estrutura.

As modalidades são excelentes tanto para combates individuais como em equipe, e os mapas bem construídos para aproveitar o sistema do jogo. Além disso, "Halo 2" automaticamente avalia a habilidade do jogador e oferece uma opção que busca oponentes do mesmo nível.

Infelizmente, esse sistema apresenta algumas falhas sérias. Além de demorar muito para encontrar oponentes, você precisa se contentar com a escolha de mapa e opções do computador. Como um extra, pode parecer exagero criticar essa mordomia, mas como um aspecto importante da experiência, merece ser destacado.

Nota: 10 (Imperdível)

Reviews