Paula Toller convida Luísa Sonza para gravar show após 'declaração de amor'

Paula Toller, 61, vai celebrar 40 anos de carreira com a gravação da turnê "Amorosa", no Rio de Janeiro, na sexta-feira (26) e no sábado (27) próximos. A ex-vocalista do Kid Abelha não estará sozinha. Além da sua banda, ela convidou Luísa Sonza, Roberto Menescal e Fernanda Abreu para dividir o palco.

É um aniversário de casamento com o público. [O show] Tem grandes sucessos, os lançamentos mais recentes, lado B, uma nova introdução e surpresas. E, claro, as participações especiais. Fiquei contente de poder contar com essas pessoas. Admiro todas. Tenho uma ligação afetiva com cada uma. Não é nada aleatório.
Paula Toller a Splash

Participações especiais

Luísa Sonza e Paula Toller em gravação do Altas Horas, em 2023
Luísa Sonza e Paula Toller em gravação do Altas Horas, em 2023 Imagem: Reprodução/Facebook

O convite para Luísa Sonza surgiu após um encontro das duas em uma gravação do Altas Horas (Globo) em abril de 2023. Paula foi surpreendida com uma "declaração de amor" da jovem artista, que se disse fã em rede nacional. As duas vão cantar juntas no show de sábado.

A Luísa é bombástica, né? Temos uma afinidade descoberta recentemente. Fizemos uma homenagem a Rita Lee no Altas Horas e ela se declarou para mim. Disse ser fã e foi muito carinhosa. Ela cantou 'Amor e Sexo' e foi maravilhosa, afinadíssima. Nunca entendi por que as pessoas ficam falando... [Quando] A pessoa está em evidência, todo mundo gosta de falar mal, né? Mas ela é uma estrela. E convidei antes de toda essa situação que aconteceu com a música 'Chico'.
Paula Toller

Paula vai unir duas gerações bem distantes na noite de sábado ao convidar Luísa e Roberto Menescal, quem ela define como "uma pessoa maravilhosa, sem estrelismo". "É uma figura emblemática e icônica da bossa nova. Excelente compositor e músico, ele também foi um excelente produtor de discos."

Ela lembra que Menescal foi o diretor artístico da gravadora Universal Music que insistiu para lançar a música "Nada por Mim", composição de Paula, Hebert Viana e Marina Lima — que lançou a faixa em 1985. "Foi um grande sucesso. Depois, foi gravada por um monte de artistas maravilhosos... Por telefone, eu falei ontem: 'já posso te chamar de Menesca?'", conta Paula, aos risos.

Paula Toller ao lado de seu produtor musical, Liminha, e do cantor Roberto Menescal
Paula Toller ao lado de seu produtor musical, Liminha, e do cantor Roberto Menescal Imagem: Divulgação

O trio de participações especiais fica completo com Fernanda Abreu, amiga de longa data de Paula. Na sexta-feira, será a primeira vez que as cantoras lançadas ao estrelato na década de 1980 subirão juntas ao palco.

Temos trajetórias muito semelhantes, ela na Blitz e eu no Kid Abelha. Ela, depois, começou uma carreira solo bombástica. Nós já havíamos trabalhado juntas. Ela dirigiu um show do Kid Abelha nos anos 1990. A gente tem uma afinidade, somos amigas. Nossas crianças cresceram juntas. As pessoas sempre pediam muito a Fernandinha no meu show.
Paula Toller

Continua após a publicidade
Fernanda Abreu e Paula Toller posam juntas em ensaio de show
Fernanda Abreu e Paula Toller posam juntas em ensaio de show Imagem: Divulgação

Homenagem a Rita Lee

No roteiro do show, Paula Toller canta "Agora Só Falta Você", clássico do repertório de Rita Lee. No papo com Splash, ela conta que é parecida com a Rainha do Rock em muitos aspectos, seja na vontade de estar em cima dos palcos, ou na de compor. Rita, que quebrou barreiras na música, é uma das maiores referências de Paula. "Na época em que a música foi lançada, é como se fosse um recado direto para mim, só para mim", brinca ela.

Paula teve a oportunidade de dividir palco com Rita Lee ao ser convidada pela cantora para interpretar "Desculpe o Auê" no Acústico MTV (2003). "Ela foi muito generosa comigo. Sem saber ela me ensinou muita coisa de música, de letra, de como se colocar numa época em que não era muito comum ter mulher em bandas. Aquela coisa debochada e molecada era muito legal. Não era aquela mulherzinha lady like, sabe?"

Ela conta, inclusive, que começou a gostar de rock em português graças a Rita, já que as bandas de rock independente faziam um som que ela não curtia. "Tentavam imitar os estrangeiros e não ficava bom. E ela veio com tudo, com letras maravilhosas, músicas incríveis. O disco 'Fruto Proibido' foi o primeiro que ganhei dela e eu fui morar nesse disco durante um tempão, durante um ano."

Comecei a falar: 'nossa, eu quero ser assim'. Na minha família não tinha ninguém da música ou do meio artístico. Era impossível. Não tinha ideia de que eu poderia fazer isso. Aí, num dia, essa pessoa vem e te convida, fala de você no jornal, elogia você numa época em que isso não era comum. Elogiava as composições, ia ao estúdio visitar quando vinha ao Rio. Realmente, foi uma estrela guia para mim.
Rita Lee

Continua após a publicidade

Serviço - Paula Toller no Rio de Janeiro

Dias 26 e 27 de janeiro, às 21h
No Vivo Rio (Av. Infante Dom Henrique, 85 - Parque do Flamengo)
Ingressos a partir de R$ 100 (via Eventim)

Confira as datas da Turnê Amorosa em 2024

8/03 - Curitiba, no Ópera de Arame
9/03 - São Paulo, no Vibra
15/03 - Recife, no Classic Hall
24/03 - Salvador, na Concha Acústica
6/04 - Porto Alegre, no Auditório Araújo Vianna

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes