PUBLICIDADE
Topo

Funkeira que cantou no Prêmio Multishow vendia caipirinha: 'R$ 50 por dia'

Bianca se apresentou no Prêmio Multishow 2021 ao lado de Gabily, Jojo Todynho e MC Carol - Reprodução/Instagram
Bianca se apresentou no Prêmio Multishow 2021 ao lado de Gabily, Jojo Todynho e MC Carol Imagem: Reprodução/Instagram

Lucas Pasin

De Splash, no Rio

14/12/2021 04h00

Quem viu a empoderada Bianca cantando no palco principal do Prêmio Multishow 2021 pode não imaginar como a funkeira, de apenas 20 anos, conseguiu chegar até ali, com destaque na noite que também teve nomes como Ivete Sangalo, Luisa Sonza e Iza.

A artista, nascida em Campos dos Goytacazes, interior do Rio, participou da homenagem ao funk em uma apresentação que contou com Jojo Todynho, MC Carol e Gabily. O hit apresentado no prêmio, "Tudo no Sigilo", chegou a entrar para uma das listas da Billboard, em 2020, e ultrapassa 110 milhões de streams no Spotify.

Cantar no Prêmio Multishow era um dos muitos sonhos da artista que, aos 17 anos, abandonou a casa dos pais, desistiu do curso de farmácia e se mudou para o Rio de Janeiro em busca de construir uma carreira musical.

Bianca vendia caipirinha na Praia de Ipanema antes de lançar 'Tudo no Sigilo' - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Bianca vendia caipirinha na Praia de Ipanema antes de lançar 'Tudo no Sigilo'
Imagem: Reprodução/Instagram

Em conversa com Splash, Bianca lembra de um passado não tão distante, há dois anos, quando dormia no chão de uma quitinete, na comunidade da Rocinha, e vendia caipirinha na praia de Ipanema.

Cantava funk em Campos dos Goytacazes e sentia que meu trabalho não era valorizado. Não tinha recursos nem contatos por lá. Até que um dia eu falei: 'Preciso ir, agora, para a cidade grande'. Larguei tudo e me joguei.

A chegada na "cidade grande" foi mais difícil que Bianca pensava, e ela chegou a esconder da família a situação precária que enfrentou.

Morei de favor em vários lugares. Morei numa lanchonete onde eu ajudava vendendo sanduíche. Depois fui morar numa quitinete com uma amiga, na Rocinha. Lá a gente não tinha um móvel. Dormi no chão antes de conseguir comprar um colchão inflável.

Vender caipirinha na praia de Ipanema, posto 8 — uma das regiões turísticas mais movimentadas do Rio —, ajudava Bianca com o básico. Enquanto isso, ela buscava contatos na música e pedia ajuda para DJs e produtores.

Passava o dia com a bandeja na mão gritando 'caipirinha, caipirinha'. Era um sol doido, e no fim do dia quase não tinha lucro porque pagava uma porcentagem para o dono da barraca. Ganhava por volta de R$ 50 por dia.

Estourada em plena pandemia:

Após fazer alguns amigos no funk, Bianca conta ter ajudado a compor, por conversas no Whatsapp, a música "Tudo no Sigilo". Ela, que agora se prepara para o sonho da casa própria, ainda não sabia, mas aquele era o primeiro passo para viver apenas da arte.

"A música começou a estourar no TikTok e eu ainda dormia no chão de um estúdio em Caxias, oferecido por um empresário. Estava vivendo um sonho e ao mesmo tempo presa ali. Estourei no meio da pandemia e, quanto mais a música fazia sucesso, mais agravava a situação da covid-19. Até show internacional eu já tinha marcado, e precisamos cancelar tudo".

O hit levou Bianca a assinar com a Sony Music e, com a flexibilização do isolamento social, a funkeira tem vivido suas primeiras grandes experiências presenciais na música.

"Agora que meu sonho está começando a virar realidade. O Prêmio Multishow foi uma das primeiras experiências de sucesso que vivi pessoalmente. Tenho também uma agenda de shows retomando, e em breve lançarei outros feats, parcerias. Agora a coisa está de fato acontecendo."

Sem entregar muito sobre suas novas apostas musicais, Bianca apenas antecipa que dividirá novamente os vocais com Gabily e Jojo Todynho: "Gravamos uma música e um clipe juntas. Em breve será lançada."