PUBLICIDADE
Topo

Coreia do Norte condena homem à pena de morte por levar 'Round 6' ao país

Cena da série "Round 6", sucesso sul-coreano da Netflix - Netflix/Divulgação
Cena da série 'Round 6', sucesso sul-coreano da Netflix Imagem: Netflix/Divulgação

De SPlash, em São Paulo

25/11/2021 09h42Atualizada em 25/11/2021 14h34

Um homem que disponibilizou a série "Round ¨", da Netflix, de forma ilegal na Coreia do Norte foi condenado à pena de morte, segundo a Radio Free Asia. A plataforma de streaming é proibida no país.

Cerca de sete alunos do ensino médio assistiram a série após o homem ter vendido pen-drives com o conteúdo da série de sucesso mundial da Netflix.

Ele teria trazido cópias da série da China. A agência diz que ele deve ter a pena executada por um pelotão de fuzilamento.

Um dos sete estudantes que assistiram foi condenado à prisão perpétua no regime de Kim Jong-un. Os outros seis foram condenados a cinco anos de trabalhos forçados.

"Isso tudo começou na semana passada, quando um estudante do ensino médio comprou secretamente uma USB contendo o drama sul-coreano e assistiu com um de seus melhores amigos na classe", disse uma fonte da polícia na província de Hamgyong Norte, no nordeste do país, à Radio Free Asia.

Em seguida, eles comentaram entre si e compartilharam o pen-drive com 'Round 6'. Eles foram capturados por censores pelo braço governamental especializado na detenção de telespectadores ilegais, a Surveillance Bureau Group 109.

As condenações dos alunos acontece pela primeira vez com menores desde a aprovação da lei de "eliminação do pensamento e cultura reacionários". Ela foi criada ano passado e tem pena de morte para "quem assistir, manter ou distribuir mídia de países capitalistas, principalmente da Coreia do Sul e dos Estados Unidos", diz a Radio Free Asia.

Round 6 - Divulgação/Netflix - Divulgação/Netflix
Cena da série 'Round 6', da Netflix
Imagem: Divulgação/Netflix

A fonte policial diz que deve haver uma investigação com "interrogatórios impiedosos" aos sete jovens até chegar a origem do contrabando do conteúdo.

Professores e funcionários da escola dos alunos também sofreram punições, sendo demitidos e correndo o risco de trabalharem em minas remotas.

"O governo está levando muito a sério esse incidente, dizendo que a educação dos alunos estava sendo negligenciada", informou a fonte policial.

Outras pessoas envolvidas ainda que indiretamente devem ser responsabilizadas.

A agência informou que desde a semana passada foi registrada tentativas de exibir e divulgar o conteúdo da produção sul-coreana no regime ditatorial do norte, mesmo com os "esforços das autoridades para impedir a entrada da mídia estrangeira".

"Round 6" bateu recorde de audiência e se tornou a série mais assistida da história da Netflix, após ser sintonizada em 111 milhões de casas, segundo a plataforma.

Na história que virou febre mundial, mais de 400 pessoas são selecionadas para participarem de um jogo mortal, cujo prêmio final é de R$ 208 milhões.

O criador e diretor da série, Hwang Dong-hyuk, confirmou os planos para uma segunda temporada do drama de sobrevivência sul-coreano em uma recente entrevista à Associated Press.

A trama da Netflix 'Round 6' mostra pobreza na Coreia do Sul, relação com a China e desertores da Coreia do Norte. Em outubro, "Round 6" conseguiu driblar a censura chinesa e se transformar em febre no país.