PUBLICIDADE
Topo

Tradução racista de livro choca autora, que se desculpa com fãs brasileiros

Tessa Dare disse que vai entrar em contato com a editora de "Romance com o Duque" para alterar a tradução - Jenn LeBlanc for Studio Smexy
Tessa Dare disse que vai entrar em contato com a editora de "Romance com o Duque" para alterar a tradução Imagem: Jenn LeBlanc for Studio Smexy

De Splash, em São Paulo

24/10/2021 20h08Atualizada em 25/10/2021 12h53

Tessa Dare, autora do livro "Romance com o Duque", usou o Twitter hoje para falar com os fãs brasileiros: ela indicou que a tradução do romance para português brasileiro alterou o sentido de suas palavras, e fez alguns trechos soarem racistas.

A autora best-seller pelo New York Times contou que o problema está nas passagens que descrevem o cabelo da protagonista Izzy, uma mulher branca. Em inglês, a palavra usada é "frizzled". Em Portugal, o termo virou "frisado", mas a versão brasileira usa "crespo" — uma palavra mais frequentemente utilizada para descrever o cabelo de pessoas negras.

"O cabelo de Izzy a deixa frustrada porque ele é difícil de manter em penteados, e embaraça fácil. O protagonista, Ransom, às vezes usa o cabelo para provocá-la — especialmente quando um morcego fica preso nele. Mas ele também acha que o cabelo dela é atraente e sexy, é claro", explica a autora.

Então, no livro, fica parecendo que Izzy não gosta de seu cabelo e o protagonista a provoca porque o cabelo dela se parece com o cabelo de pessoas negras. Isso é chocante e racista e DE JEITO NENHUM é a tradução correta. Não consigo explicar como estou horrorizada. Leitores brasileiros, eu sinto muito. Tessa Dare

Outro ponto problemático da tradução foi a escolha de "juba" como equivalente do inglês "mane" — apesar de ambas terem o mesmo significado literal, o termo em inglês não tem a conotação pejorativa que tem em português. A autora disse que vai tomar as medidas necessárias para mudar a tradução nas próximas impressões, e mais uma vez se desculpou com os fãs.

Em nota enviada a Splash, a Editora Gutenberg, responsável pela publicação no Brasil, afirma que está ciente das críticas e vai fazer as alterações na versão digital e nas próximas impressões do livro. Além disso, a partir deste ano, vai adotar a "leitura sensível" em suas obras — prática do mercado editorial que consiste na revisão e leitura crítica para avaliar a linguagem e a representação de minorias em uma história.

Agradecemos imensamente aos leitores e leitoras que, atentos à urgente e fundamental discussão sobre a pauta antirracista, chamaram nossa atenção para os equívocos presentes na tradução de "Romance com o Duque", de Tessa Dare. Lamentamos que esta situação tenha ocorrido e informamos que estamos comprometidos a solucionar o problema.

Realizamos, de forma imediata, a substituição da palavra "juba", usada para descrever o cabelo da protagonista e que motivou a discussão, na versão digital do livro. Também submeteremos a obra a uma leitura sensível, para nos certificarmos de que não existam outros termos que estejam em desacordo com nossos valores e com nossa preocupação em promover uma literatura diversa e sem preconceitos. Eventuais correções serão incorporadas ao e-book e à nova edição da obra, que será impressa em breve.

A Gutenberg adota como padrão a leitura sensível de todos os livros lançados a partir de 2021. Esta postura se estenderá também aos livros lançados há mais tempo, como é o caso de "Romance com o Duque", de 2016, demonstrando seu comprometimento com os leitores e reafirmando sua preocupação em não reproduzir quaisquer formas de discriminação e/ou preconceitos linguísticos.

Tessa Dare, que está aprendendo português e acompanhou o BBB 21, finalizou a sequência da tuítes relembrando o comentário racista de Rodolffo sobre o cabelo de João Luiz: "Mais uma vez, sinto muito. Estou horrorizada. Imaginem, durante o BBB 21 eu fiquei muito brava com o Rodolffo por fazer graça com o cabelo de João Luiz, e o tempo todo tinha algo semelhante no meu próprio livro! Não consigo me desculpar o suficiente".