PUBLICIDADE
Topo

Marilyn Manson é desligado de gravadora após denúncia de abuso, diz site

Marilyn Manson em foto promocional do disco "We Are Chaos" - Divulgação
Marilyn Manson em foto promocional do disco "We Are Chaos" Imagem: Divulgação

Colaboração para o Splash, em São Paulo

01/02/2021 18h42

Marilyn Manson foi oficialmente desligado de sua gravadora, de acordo com o The Hollywood Reporter. O músico enfrenta acusações de abuso sexual de Evan Rachel Wood e outras quatro mulheres.

Segundo a publicação, a Loma Vista Recordings disse que não vai mais promover o álbum recente de Manson ou trabalhar com ele em projetos futuros.

"À luz das alegações perturbadoras de Evan Rachel Wood e outras mulheres nomeando Marilyn Manson como seu abusador, Loma Vista deixará de promover seu álbum atual, com efeito imediato. Devido a esses desenvolvimentos preocupantes, também decidimos não trabalhar com Marilyn Manson em qualquer projeto futuro ", disse a gravadora em comunicado ao THR.

A página do artista já havia sido apagada do site da empresa após as declarações de Evan Rachel Wood.

O primeiro lançamento do Manson através do selo Concord Loma Vista foi "The Pale Emperor", em 2015. O álbum recente de Manson, "We Are Chaos", foi lançado em 11 de setembro de 2020, e estreou em 8º lugar na Billboard 200.

A polêmica iniciou após Evan Rachel Wood publicar nas redes sociais abusos sofridos pelo cantor Marilyn Manson, com quem namorou entre 2006 e 2010 e chegou a ficar noiva. A atriz já se pronunciou diversas vezes sobre ter sobrevivido a um relacionamento violento e abusivo, mas até então nunca havia divulgado o nome do ex-companheiro.

De acordo com o site do jornal britânico The Independent, depois da acusação de Evan Rachel Wood, outras quatro mulheres relataram abusos sofridos por Marilyn Manson.