PUBLICIDADE
Topo

Por Onde Anda

Contamos a história de artistas que foram famosos e estão afastados do mundo do entretenimento, investindo em uma outra carreira, ou vivendo em outro país.


Tatiana Ruiz, ex-Mulekada do Raul Gil, trabalha hoje como policial militar

Ex-integrante do grupo infantil Mulekada, Tatiana Ruiz hoje trabalha como policial militar em Curitiba
Ex-integrante do grupo infantil Mulekada, Tatiana Ruiz hoje trabalha como policial militar em Curitiba
Reprodução/Instagram

Marcela Ribeiro

Do UOL, no Rio

10/11/2020 04h00

Com o auge do sucesso do grupo É o Tchan nos anos 90, o "Programa Raul Gil" criou o concurso mini Tchan em 1999 para formar um trio mirim inspirado em Carla Perez, Scheila Carvalho e Jacaré. Anos 90 podia tudo, né?

Continua depois da publicidade

Assim foi formado o Mulekada, em 2000, composto por Tatiana Ruiz, Kleber Rammos, o Jacarezinho, e Julyana Lee. O trio lançou CDs, vendeu mais de 100 mil cópia e até ganhou disco de ouro.

"Foi de Brincadeira" era um dos hits que animava a criançada.

Tatiana Ruiz, a "moreninha do Mulekada", está com 26 anos, é mãe de Alice, de 1 ano e meio e trabalha como policial militar em Curitiba. Rolou uma curiosidade para saber como ficou a vida dela pós sucesso? A gente te conta!

Como tudo começou

Antes de participar do concurso Mini Tchan do "Programa Raul Gil", Tatiana venceu dois concurso de Miss mirim em Curitiba. Foi lá nos bastidores que a mãe dela soube da competição na TV.

"Fui para São Paulo, participando das seletivas, foram 5 mil meninas inscritas"

Continua depois da publicidade

O Sucesso

Quando o Mulekada foi formado, Tati tinha 6 anos e ficou no grupo até os 11.

Gravamos quatro CDS, um DVD, uma fita K-7, fizemos shows pelo Brasil inteiro e até em Angola. Até hoje recebo mensagens do pessoal de Angola falando que lembra do Mulekada. Foi uma infância diferente, mas muito gostosa.

Histórias engraçadas

No auge da carreira, Tatiana e seus amigos passaram por situações inusitadas. Em uma delas, ela levou um tombo ao vivo ao entregar no palco de um programa de TV para se apresentar.

Teve um show que na coreografia a gente chutava com o pé para frente, meu tênis saiu do meu pé e foi para a plateia e nunca mais recuperei. Fiquei dançando com um pé com tênis e outro sem

Continua depois da publicidade

Os fãs ficavam empolgadíssimos quando o trio chegava ou deixava seus shows em cidades de todo o Brasil. Tati lembra que eles deixavam os locais carregados no colo por seguranças.

As pessoas puxavam meu cabelo, arrancavam as presilhas, coisas da roupas. Era sempre um perrengue para entrar e sair do show por causa da quantidade de gente. Era meio doido mas era legal, a gente gostava.

Tatiana e Julyana seguem amigas e, durante o isolamento social, têm feito lives juntas no Instagram.

Com o fim do grupo, ela tentou apostar na carreira solo de cantora, mas por pouco tempo.

"Logo depois fui para o teatro, fiz peças, participei de uma minissérie em um canal fechado. Investi um tempo nesta carreira, mas com 15 anos voltei para Curitiba e depois não mexi com mais nada artístico".

Continua depois da publicidade

Direito e polícia

Em 2016, o trio do Mulekada se reencontrou num especial do Tchan no programa da Eliana com Beto Jamaica e Compadre Washignton. No mesmo ano, ela se formou na faculdade de Direito. Logo depois, foi para a PM, onde está há três anos.

Hoje sou policial, é um trabalho que tem que dedicar muito tempo, mas é muito gratificante poder ajudar pessoas que na maioria das vezes estão em uma situação complicada, que foram vítimas de algum crime ou estão com problemas neste sentido.

Maternidade

Mãe da pequena Alice, Tatiana admite que não é fácil conciliar trabalho, casa e maternidade, realidade de milhões de mulheres. Apesar de toda a correria, ela é grata em como a maternidade transformou sua vida.

O sorriso alegra meus dias, não é fácil, eu tenho que dar conta do meu trabalho, da casa, fazer comida, lavar roupa e ter disposição ainda para brincar. Ao mesmo tempo que é muito gratificante, amo ser mãe, é muito difícil. Tem horas que paro e falo, preciso ter alguém para me ajudar, uma mão amiga.

Continua depois da publicidade

Mini Tati

Por enquanto, Tati reconhece muitas semelhanças entre sua filha com ela na infância. Mas será que ela incentivaria a pequena a se jogar na fama desde pequena?

Acho que talvez não incentivaria, não plantaria a sementinha nela, mas como ela tem muito jeito para isso, ela dança, é engraçada, se ela quisesse eu ajudaria, iria apoia-la.

Mulekada antigamente - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal