PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Elza Soares leiloa direitos de gravação de 'Drão'. Você toparia?

Elza Soares vai leiloar os direitos de uma gravação inédita. Você compraria?  - Montagem: Pedro Antunes
Elza Soares vai leiloar os direitos de uma gravação inédita. Você compraria? Imagem: Montagem: Pedro Antunes
Conteúdo exclusivo para assinantes
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

14/07/2021 16h43

Sem tempo?

  • Que tal ser sócio de Elza Soares?
  • A cantora leiloará, a partir do dia 22, 10% dos direitos de uma música gravada por ela.
  • A faixa em questão é ?Drão", hino de Gilberto Gil, gravada por Elza nos anos 90.
  • A versão de Elza, remixada e remasterizada, chegará às plataformas de streaming em agosto.

O NFT é o futuro da música, mas entendo que é difícil compreender como ele funciona. Basicamente, você compra um código que dá direito a você, e só você, a algo, seja físico ou virtual. Tipo as criptomoedas, sabe?

Os festivais de música brasileiros (os ótimos Coquetel Molotov, Bananada e DoSol) criaram os criptoingressos, com os quais você tem entrada liberada para todas as edições deles pela eternidade e em qualquer lugar do mundo, vendidos na plataforma Phonogram.me, que é a primeira no Brasil a tratar de NFT no mercado da música. Parece sedutor, não é?

Há, também, opções de se adquirir porcentagem dos direitos autorais dos artistas. O lance para os direitos conexos de Dinho, vocalista dos Mamonas Assassinas, da música "Pelados em Santos", está atualmente em R$ 2,1 mil e o leilão virtual segue aberto.

A novidade vem de Elza Soares, uma artista muito a frente do seu tempo. A nossa mulher do fim do mundo leiloará, a partir do dia 22 de julho, 10% dos direitos de uma versão inédita dela a cantar "Drão", de Gilberto Gil, também pela Phonogram.me.

A música é um registro raro de Elza do início dos anos 90 a ser lançado, remixado e remasterizado, pela gravadora Deck no dia 27 de agosto.

O leilão de Elza será livre, ou seja, as pessoas podem começar com qualquer quantia. Quem arrematar o NFT de "Drão (Remasterizado)" terá o título de parceiro comercial de Elza, recebendo 10% dos royalties conexos de intérprete sobre a gravação da música a cada execução pública.

Além disso, o proprietário do NFT terá acesso à música com antecedência.

O caminho se mostra interessante, ser parceiro e ter direitos a royalties de alguma música. De repente, vira um sucesso de TikTok e você ganha uma bolada, né? Parece ser viável para os músicos, também.

E aí, toparia ser sócio de Elza em uma música?