PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Marília Mendonça merecia mais do que 36 segundos e 76 palavras do Grammy

Marília Mendonça já era a mais ouvida do Brasil aos 22 anos - Montagem: Pedro Antunes
Marília Mendonça já era a mais ouvida do Brasil aos 22 anos Imagem: Montagem: Pedro Antunes
Conteúdo exclusivo para assinantes
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

19/11/2021 16h26

Trinta e seis segundos. Trinta e seis. E setenta e seis palavras. Sete e seis. Ditas por uma Anitta solene, ali, no palco do Grammy Latino.

Esta foi a principal homenagem da Academia do maior prêmio da música latina à maior perda da música latina deste ano e vencedora, em 2019, com o álbum "Todos os Cantos".

O vídeo está abaixo.

Não é preciso ser bom de matemática para entender que é pouco, muito pouco, para a artista mais ouvida do Brasil nas plataformas de streaming em 2019 e 2020, e dona da live de YouTube mais assistida da história, com 3,3 milhões de acessos, realizada em maio de 2020.

Na cerimônia do Grammy Latino, Marília estava entre as indicadas da noite (mais uma vez), concorrendo na categoria de Melhor Álbum de Música Sertaneja com o álbum "As Patroas".

Aliás, o trabalho de Marília, um projeto registrado ao lado do duo Maiara & Maraisa, perdeu para o álbum de Chitãozinho & Xororó de seis músicas, um EP cuja capa mostra um Chitão sem mullets - veja só você.

Em outro momento, ao encerrar uma pré-entrega de prêmios, a atriz brasileira Carolina Dieckmann pediu uma salva de palmas em homenagem à cantora. Foram menos de quatro segundos, como você pode conferir abaixo.

Estas homenagens somadas às palavras do presidente da Academia Latina da Gravação, Gabriel Abaroa, demonstrando seus sentimentos à perda de Marília, foram tudo que o Grammy Latino fez em homenagem à Patroa.

Se o Grammy Latino está em um relacionamento cada vez mais próximo com o Brasil - de tal forma que agora o evento é até transmitido por aqui pelos canais Multishow e Bis - é importante entender as dimensões dos artistas daqui.

É inexplicável justamente porque o show de abertura seria homenagem ao Brasil, como foi noticiado na véspera. E o resultado foi mistureba com Gloria Estefan, Carlinhos Brown, Anitta, Giulia Be, entre outros.

Marília merecia mais - fosse um pout-pourri, um vídeo em homenagem ou qualquer coisa que durasse mais de um minuto - e ainda assim, dado o tamanho do buraco deixado por ela, seria pouco.

Você pode reclamar comigo aqui, no Instagram (@poantunes), no Twitter (também @poantunes) ou no TikTok (@poantunes, evidentemente).