PUBLICIDADE
Topo

Pedro Antunes

Karol Conká dá ao BBB 21 o que o reality mais precisava: um vilão

BBB 21: Karol Conká assume a função de vilão da edição  - Reprodução/ Globoplay
BBB 21: Karol Conká assume a função de vilão da edição Imagem: Reprodução/ Globoplay
Pedro Antunes

Pedro Antunes, ou "Pô Antunes" pra quem só me conhece pelo Instagram, é jornalista, apresentador, curador e crítico de música e cultura pop desde 2010. Escreveu no Jornal da Tarde, Estadão e foi editor-chefe da Rolling Stone Brasil. Fez mais entrevistas do se lembra, tem um "novo disco favorito" por semana e faz mini-análises de álbuns no programa Tem um Gato na Minha Vitrola, no perfil @poantunes.

Colunista do UOL

01/02/2021 20h01

Sem tempo?

  • Integrante do grupo Camarote, de pessoas famosas convidadas para participar do BBB, Karol Conká desponta como a vilanesca do reality.
  • Em uma semana, ela abandonou o 'fada sensatismo' e passou a atacar Lucas Penteado, ator que até então era o 'agente do caos' da casa
  • A web logo percebeu o movimento da rapper e passou a pedir a expulsão de Karol Conká do BBB 21.
  • E, com a criação desse personagem, a edição do reality ganha um norte narrativo.

Existiria o Coringa se não fosse o Batman? Existiria o Homem-Morcego se não fosse a existência do Palhaço do Crime?

Preciso confessar uma preocupação, pensativo "leitore" (como diria o drifteiro Fiuk), com o Mr. Edição do BBB 21 e com os comentaristas do reality, como a equipe de colunistas do UOL Splash (caso dos ótimos Aline Ramos, Chico Barney, Mauricio Stycer e Fefito).

Imagino eles todos em noites mal dormidas, a sorver goladas de café preto já gelado, para acompanhar a transmissão 24 horas do reality show pelo Globoplay na tentativa de encontrar alguma coerência e lógica diante do dadaísmo puro que tem sido esta edição do BBB.

Tipo esse gif abaixo, sabe?

Nada fazia sentido, realmente. Choro, orações, gritos. Concordo com o que o célebre Barney escreveu, ao dizer que essa foi a melhor primeira semana da história da atração. Também foi a mais desafiadora para quem quer encontrar uma lógica onde não há.

É difícil entender os personagens do game quando todos parecem estar em uma montanha-russa de sentimentos e reações absurdas ou quando papos sérios se transformam em conversas entorpecidas de ideias psicodélicas e péssimas leituras da realidade.

Deve-se agradecer, portanto, à Karol Conká, a atual protagonista do BBB 21. As atitudes execráveis da artista, principalmente com Lucas Penteado, o anterior "causador de caos", transformou-a naquilo que o reality mais precisava para ter um norte narrativo: um vilão que atraísse a atenção do público.

Agora, completada uma semana de BBB 21, enfim, a estrutura de uma história a ser contada começa a ser perceptível - pelo menos do ponto de vista de fora, de quem tem acesso aos VTs e a tudo o que rola em Curicica.

Em poucos dias, Conká perdeu mais de 100 mil seguidores por falas preconceituosas, tem acordos por um fio e está nos Trending Topics do Twitter de forma pouco amistosa.

A nova atitude de Conká foi expulsar Lucas da mesa para almoçar. O rapaz, amuado desde que perdeu a noção em uma festa e brigou com quase todos os competidores do reality, foi para o quarto chorar, enquanto ela dizia coisas como:

"Só vai comer quando eu sair da mesa. Qualquer coisa, me bota no paredão, que eu tenho minha vida, minha carreira bem bonita lá fora."

Isso foi a gota d'água e, agora, subiu entre os assuntos mais comentados do Brasil a hashtag que pede a expulsão de Karol Conká do BBB:

Claro, há de se analisar o resultado as atitudes de Karon Conká no Lucas e a forma como essas situações podem afetá-lo na vida, fora do reality e das câmeras. O que existe ali é, inclusive, perigoso.

Para a narrativa do reality como o entretenimento que é, contudo, a existência de um personagem que faça as funções de vilão é um ótimo negócio. O BBB tem, historicamente, personagens com ares vilanescos nas suas melhores edições.

No ano passado, por exemplo, foi a tramoia do grupo de homens liderado por Hadbala que deu força para o reality explodir em audiências históricas, em uma narrativa que depois migrou para o crescimento da popularidade do polêmico Felipe Prior e do ótimo paizão Babu.

Enfim, o BBB 21 tem um vilão.

Um vilão dos bons, inclusive, porque Karol Conká demonstra uma habilidade acima da média para jogar ali dentro da casa. Não é por acaso que ela tenha passado sem uma lembrança sequer na primeira votação para o paredão. Possivelmente, seguirá assim por algumas semanas ainda.

Isso faz Karol Conká exercer uma função diferente daqueles vilões dos filmes da Marvel, geralmente descartáveis, esquecíveis e passageiros. Conká preenche uma vaga de vilão da DC, aquele que é responsável pela criação de um herói e/ou de uma jornada de crescimento narrativo.

No caso, o herói do BBB 21 passa a ser quem antes era o anti-herói da casa, Lucas Penteado. Antes renegado pelos competidores do reality, o jovem ator recebe as pancadas de Karol Conká calado.

E a web, preocupada com toda a razão, já está do lado de Lucas de novo.

Mas do Lucas e da sua narrativa como o "Naruto Uzumaki do BBB 21", falo outro dia.