PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Basilia agradece CNN por apoio em denúncia de racismo e vê "relato grave"

A jornalista Basília Rodrigues, comentarista de política da CNN Brasil - Reprodução
A jornalista Basília Rodrigues, comentarista de política da CNN Brasil Imagem: Reprodução
Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

15/04/2021 22h21

A jornalista Basilia Rodrigues comentou na noite desta quinta-feira (15) a denúncia de racismo que a CNN Brasil está investigando. Segundo relato do site Alma Preta, a profissional foi alvo de comentários de cunho racista por causa do seu cabelo e a sai imagem teria sido cortada em entradas ao vivo.

"Agradeço às mensagens de solidariedade e apoio que recebi aqui de tantos amigos pessoais, colegas de trabalho e também de pessoas que não me conhecem. Agradeço também pela posição adotada pela CNN Brasil", escreveu Basilia em seu perfil no Twitter.

O canal havia divulgado mais cedo uma longa nota em que descreve as denúncias, informa que considera a acusação "gravíssima" e avisa que o caso está sendo investigado pelo seu departamento de "compliance".

"O relato é grave e está sendo apurado. Deixa reflexões para todos sobre o que não queremos ser, parecer, nem deixar dúvidas, sobre o que não queremos para nós, nem para os outros", diz Basilia.

A jornalista faz ainda uma observação tocante sobre a situação que está enfrentando: "Por fim, dizer a vocês que o racismo e o negro convivem dia a dia. É uma relação insuportável, uma companhia inconveniente que está à bordo, em uma mesma viagem. Às vezes, me pergunto, haverá ponto final? Logo, penso que esse não é o mal do negro, esse é o mal do racismo".