PUBLICIDADE
Topo

"Acabou matéria no JN", diz Bolsonaro sobre horário de dados da covid-19

Mauricio Stycer

Mauricio Stycer é jornalista desde 1985. Repórter e crítico do UOL, colunista da Folha de S.Paulo, passou por Jornal do Brasil, Estadão, Folha, Lance!, Época, CartaCapital, Glamurama Editora e iG. É autor de "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018).

Colunista do UOL

05/06/2020 19h33Atualizada em 05/06/2020 22h01

Questionado por um jornalista da CNN Brasil nesta sexta-feira (05) sobre o novo horário de divulgação dos números sobre a pandemia de coronavírus no Brasil, agora às 22h, o presidente Jair Bolsonaro disse rindo: "Acabou matéria no 'Jornal Nacional'."

Em seguida, após perguntar para qual veículo o repórter que o questionou trabalha, Bolsonaro acrescentou: "É para pegar o dado mais consolidado. E tem que divulgar os mortos no dia. Ontem, por exemplo, dois terços dos mortos eram de dias anteriores. Tem que divulgar o do dia."

A Globo respondeu no "Jornal Nacional" dizendo que o público saberá avaliar por que o governo mudou o horário. "O publico saberá julgar se o governo agia certo antes ou se age certo agora. Saberá se age por motivação técnica, como alega, ou se age por propósitos que não pode confessar mais claramente".

Antes divulgados às 17h, os dados passaram a ser informados às 19h após a demissão do então ministro Luiz Henrique Mandetta. Na quarta-feira (03), porém, o Ministério da Saúde atrasou o boletim alegando "problemas técnicos". Na quinta (04), novamente, o balanço de casos oficiais e mortes saiu somente às 22h.

Na edição de quinta, em resposta ao atraso dos dados do governo, o "Jornal Nacional" anunciou que vai realizar uma contabilização a partir dos dados compilados das secretarias estaduais de saúde.

Adriana Araújo, âncora do Jornal da Record, emissora concorrente da Globo, também criticou nas redes sociais o novo horário e a falta de transparência na divulgação sobre a situação real do país durante a pandemia. "É uma questão de saúde pública saber o que está acontecendo no Brasil agora. É muito importante para todos nós", disse Adriana.

Na sua edição de sexta-feira (05) o jornal "Correio Braziliense" atribuiu ao próprio presidente Bolsonaro a decisão de alterar o horário de divulgação dos números para as 22h. A intenção, segundo a reportagem, seria justamente driblar telejornais noturnos, evitando que eles transmitam as informações.

"Não interessa de quem partiu (a ordem). Acho que é justa essa ideia da noite, sair o dado completamente consolidado", disse o presidente nesta sexta-feira, segundo a Agência Estado. O presidente disse ainda "ninguém tem de correr para atender a Globo".

Às 21h45, poucos minutos após o encerramento do "JN", a Globo interrompeu a exibição de "Fina Estampa" para apresentar um "plantão", comandado por William Bonner, com os dados atualizados de mortos pela covid-19 no Brasil, segundo o Ministério da Saúde". Houve 1.005 mortes nas últimas 24 horas, totalizando 35.025 óbitos.

"Nós dissemos que você teria esses números assim que fossem anunciados. Estamos aqui cumprindo o que nós dissemos", encerrou o apresentador. Abaixo, a íntegra da nota lida no "Jornal Nacional":

"O público saberá julgar se o governo agia certo antes ou se age certo agora. Saberá se age por motivação técnica, como alega, ou se age por propósitos que não pode confessar mais claramente. Os espectadores da Globo podem ter certeza de uma coisa: serão informados sobre os números tão logo sejam anunciados. Porque o jornalismo da Globo corre sempre para atender o seu público."

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL