PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Vítima do coronavírus, Gésio Amadeu deixa grande legado a artistas negros

O ator Gésio Amadeu (Reprodução) - Reprodução / Internet
O ator Gésio Amadeu (Reprodução) Imagem: Reprodução / Internet
Fefito

Fernando Oliveira, conhecido como Fefito, é formado em jornalismo e pós-graduado em direção editorial. Teve passagens pela IstoÉ Gente, Diário de S. Paulo, iG, R7. Atuou como apresentador do Estação Plural, da TV Brasil, Mulheres, da TV Gazeta, e Morning Show, da Jovem Pan.

Colunista do UOL

05/08/2020 18h41

Resumo da notícia

  • Ator estava internado há quase dois meses após lutar contra o coronavírus
  • Gésio teve passagens por TV Tupi, Band, Record e Globo e faria seriado no Multishow
  • Foi grande parceiro de trabalho de Benedito Ruy Barbosa e virou astro infantil com "Chiquititas"

Após uma longa luta contra o coronavírus, Gésio Amadeu, de 73 anos, viu as cortinas se fecharem. O ator, que estava internado em São Paulo há quase dois meses, começou a carreira jovem, aos 22, e fez crescer uma carreira cheia de potência. Junto com nomes como Milton Gonçalves e Zezé Motta, virou um expoente da comunidade negra, sempre lembrado por papéis marcantes em novelas.

Ao todo, Gésio emplacou 45 trabalhos na televisão. Esteve em tramas incônicas como "Beto Rockfeller", da TV Tupi, em 1968, e "Os Imigrantes", em 1981, na Band. Foi grande parceiro de trabalho de Benedito Ruy Barbosa. Esteve em muitas de suas novelas e ganhou papéis importantes em "Renascer" (1993), "Terra Nostra" (1999) e também no último folhetim assinado pelo autor, "Velho Chico" (2016), no qual viveu Chico Criatura.

No final dos anos 90, virou astro infantil graças a "Chiquititas" e até hoje é lembrado com carinho por uma geração inteira que o acompanhou na novela musical do SBT no papel do Chefe Chico. Foi também o Tio Barnabé em uma das versões do "Sítio do Pica Pau Amarelo". No cinema, tem no currículo longas-metragens celebrados até hoje, como "Eles Não Usam Black Tie", de Leon Hirszman.

Profissional versátil e com passagens por praticamente todas as emissoras que apostaram na dramaturgia, o ator desbravou com muito talento um caminho para muitos atores e atrizes negras de hoje. Merece ser lembrado pelo sorriso largo e pelos muitos e carismáticos papéis que emplacou e deixa um vago um trabalho para o qual estava escalado, o seriado "Casa Paraíso", do Multishow.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL