PUBLICIDADE
Topo

Arte Fora do Museu

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

O pacto do mundo das artes por um mundo sustentável

Art + Climate Action, um dos participantes do PACT - Divulgação
Art + Climate Action, um dos participantes do PACT Imagem: Divulgação
Conteúdo exclusivo para assinantes
Andre Deak / Felipe Lavignatti Felipe Lavignatti

O projeto Arte Fora do Museu nasceu em 2011 com os pesquisadores e jornalistas Andre Deak e Felipe Lavignatti, como um levantamento de obras de arte nas ruas da cidade de São Paulo. Hoje em mais de 500 cidades do mundo, milhares de obras e centenas de artistas, é um guia de arte urbana que inclui arquitetura, escultura, graffiti e mural. Andre Deak e Felipe Lavignatti são também sócios na produtora Liquid Media Lab, com projetos de comunicação digital, arte e diversos trabalhos no campo da inovação.

Felipe Lavignatti

Colunista do UOL

13/08/2021 11h44

Resumo da notícia

  • Meta é atender pelo menos 50% dos objetivos de redução de emissões até 2030
  • PACT reúne ONG´s, galerias e coletivos de arte

As notícias seguem bem pessimistas e não estamos falando de Brasil. Digo, não somente do Brasil. Essa semana o relatório das Nações Unidas do seu Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês) alertou para o cenário irremediável em que nos encontramos com o aquecimento da temperatura do planeta. E somos os responsáveis por isso, os grandes causadores desse futuro que parece cada dia mais próximo e sem solução. Ainda há um esforço da sociedade em se organizar para tentar frear de alguma forma esse destino. No mundo das artes, surgiu esse ano o PACT.

A sigla é de Parceiros para Metas de Clima das Artes (PACT em inglês para Partners for Arts Climate Targets) é uma coalizão internacional recém-formada de organizações dentro das artes visuais. O PACT é composto por iniciativas de arte e sustentabilidade ambiental em todo o mundo e formaliza diálogos contínuos entre organizações que foram guiadas pela urgência.

O PACT define padrões novos e ambiciosos para um setor de artes visuais mais sustentável para o clima, enquadrado por cada iniciativa de parceiro alinhada a quatro pilares:

1- Redução Contínua de Emissão de Gases de Efeito Estufa

Alinhando-se com o objetivo do Acordo de Paris de manter o aumento da temperatura média global bem abaixo de 2 ° C acima dos níveis pré-industriais, defendendo o setor de artes visuais globalmente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50% até 2030, enquanto busca soluções que possam definir melhor como o setor pode cumprir a meta de emissões líquidas zero até 2050.

2 - Fazendo a transição para um setor de resíduos zero

Advogando por uma meta de zero resíduos para aterro sanitário para o setor de artes visuais, recusando, reduzindo, reaproveitando, reutilizando e reciclando materiais internamente, ao mesmo tempo promovendo inovação de materiais e infraestrutura que apóiam alternativas de zero resíduos.

3 - Unificando Visões e Conhecimento Compartilhado para Ação Climática

Definindo padrões unificados com a perspectiva de desenvolver estruturas conjuntas, o PACT alinha-se com a priorização da adoção de energia livre de carbono e redução de resíduos, e com o estabelecimento de políticas de transporte e viagens responsáveis

4 - Centrado no ambientalismo entre diferentes setores

Reconhecendo que a justiça ambiental e social estão interligadas, a PACT defende uma política climática que aborde essa interseccionalidade e uma ação que seja adotada sistematicamente entre museus, instituições, o mercado de arte e fornecedores, a fim de estabelecer uma transição em todo o sistema.

Cada organização dentro do PACT traz ofertas para o setor, convidando vários caminhos para se engajar em ações climáticas significativas e permitindo que cada iniciativa inove, explore soluções e construa comunidade apoiando uma rede coletiva alinhada. Participam da iniciativa galerias, ONG´s e coletivos como Art to Acres, Art + Climate Action, Art / Switch, Art to Zero, Gallery Climate Coalition, Galleries Commit e Ki Culture.

O alerta ambiental passa por todos os setores da sociedade e no mundo das artes não pode ser diferente. Há vários artistas brasileiros que mostram essa preocupação no Brasil, como Mundano e Eduardo Srur. Mas ainda temos muito que lutar para que ainda exista um ambiente onde possamos apreciar a arte no futuro.