PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Gkay não é a grande vilã da pressão estética por um corpo perfeito

Conteúdo exclusivo para assinantes
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

20/06/2022 14h00

Nos últimos dias, o corpo de Gkay virou assunto público. Como de costume, ela posta no Instagram a rotina que leva na academia, sempre com a barriga à mostra, vestindo top e o shortinho de corações vermelhos que virou personagem dos treinos. Quem a acompanha já está habituado.

Porém, dessa vez, os vídeos de Gkay repercutiram fora da bolha e foram alvos de críticas. O principal foco foi o abdômen da influenciadora, que é super definido após uma lipo LAD, procedimento que remove gordura, esculpe a região e dá ênfase aos músculos. Ou seja, a aparência de "tanquinho" não é necessariamente fruto da rotina de exercícios físicos. Mas esse não é o problema.

Pressão estética e corpo perfeito

As críticas sofridas por Gkay viraram tema de um grande debate: a pressão estética sobre mulheres por um corpo perfeito. Esse foi o pretexto para inúmeras pessoas darem uma série de opiniões não solicitadas sobre a aparência física da influenciadora.

Para debater os efeitos dessa pressão, escolheram Gkay como exemplo sem que ela tenha concordado com isso. Algumas pessoas chegaram ao ponto de dizer que a influenciadora sofre de transtorno de imagem, algo que apenas profissionais estão aptos a diagnosticar.

Os comentários com suposto tom de preocupação com a saúde de Gkay acabam servindo apenas para fazê-la se sentir mal com o próprio corpo. Afinal, se ela sofre de alguma doença, o que não sabemos, não são opiniões de estranhos na internet que irão ajudá-la a lidar com o problema.

A culpa é de quem?

Gkay não pode virar um saco de pancadas de quem deseja debater a pressão estética. Na verdade, nenhuma mulher deveria ocupar esse posto. A ideia de que só seremos felizes e bem-sucedidas se estivermos belas atinge a todas, sem exceção. O conceito é tão forte que parece que já nascemos com ele.

A pressão estética é muito maior que Gkay, que eu e que você. Ela se sustenta há décadas numa estrutura social que não cobra homens da mesma maneira e pune mulheres que não corresponderem aos ideais de beleza. O que adianta responsabilizar Gkay pelos procedimentos que faz quando a sociedade não perdoa uma mulher famosa que engorda? A conta não fecha.

É claro que Gkay é uma influenciadora e fala para uma audiência grande e jovem. Seu estilo de vida e os discursos que propaga são uma influência. Mas isso a faz ser responsável por toda uma estrutura? Acredito que há jeitos melhores de promover esse debate, sem que escolhamos uma mulher como alvo.

O corpo é um lugar que carrega nossa história e identidade, e deve ser respeitado em sua individualidade. A história de Gkay é dela, o corpo de Gkay é dela, e de mais ninguém.