PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

No Limite: André Marques parecia um inspetor escolar carrancudo em estreia

No Limite: André Marques explica prova aos participantes   - Reprodução/Globoplay
No Limite: André Marques explica prova aos participantes Imagem: Reprodução/Globoplay
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

12/05/2021 02h29

A nova edição de No Limite começou nesta terça-feira (11) e ficou um pouco abaixo das expectativas de quem esperava um programa tão eletrizante quanto o BBB. Muita coisa não colaborou nessa estreia, e uma delas foi o apresentador.

Desanimado e carrancudo, André Marques parecia estar guiando um grupo de adolescentes em uma excursão escolar e não um reality show de aventura com ex-BBBs.

O desafio de retomar um programa tão querido quanto No Limite depois de mais de uma década é imenso. Há muitas expectativas e as pessoas mal sabem o que estão esperando. Esse cenário deixa o trabalho do apresentador mais difícil.

Mas uma coisa é certa. Mesmo sem saber o que quer, o público sabe o que não quer: um reality show cansativo e arrastado.

Ao guiar o No Limite apenas como um garoto de recados que orienta, aponta direções e cumpre protocolos, André Marques perdeu a oportunidade de deixar a sua marca e fazer a diferença.

Algo que ficou evidente no programa foi como todos os participantes estão passando muito calor o tempo inteiro. E André Marques escondeu até esse tipo de reação na edição de estreia, o que é uma pena. Não queremos ver robôs na TV, mas pessoas que se entregam, vivem a experiência e se emocionam junto com a gente.

Estamos vivendo um período bastante denso, e por isso questiono: será que não cabia ali no meio do programa alguma piada com os participantes? Um sorriso em meio à tensão? Ou ao menos um pouco de emoção?

Esse é só o começo e dá para as coisas se ajeitarem. Vencido o nervosismo que toda estreia costuma ter, André Marques vai ter a chance de apresentar o programa de forma mais intensa, animada e participativa. Só espero que seja antes do público perder a paciência.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL