PUBLICIDADE
Topo

Aline Ramos

O BBB 21 se tornou um gatilho para quem já sofreu bullying

Reprodução / TV Globo
Imagem: Reprodução / TV Globo
Aline Ramos

Aline Ramos é jornalista, mas tá mais pra palpiteira, por isso cria conteúdo na internet desde 2014. Você com certeza já fez algum teste dela no BuzzFeed, onde foi redatora por dois anos. É especialista em diversidade e dá consultoria para marcas em temas como raça e gênero. Mas o que ama mesmo é escrever sobre entretenimento e dar opinião sobre tudo, se bobear até sobre a sua vida.

Colunista do UOL

02/02/2021 10h25

Bem no comecinho do BBB 21, comentei brincando no podcast UOL Vê TV que o reality deste ano seria essencial para a saúde mental do brasileiro. No cenário atual, ter uma distração como essa parecia um presente que caiu do céu. Porém, eu estava errada.

O elenco da atual edição do programa não desceu bem e está fazendo muito mal para quem buscava entretenimento. O BBB 21 completou apenas uma semana no ar, mas a sensação é que já estamos há um mês acompanhando a vida de desconhecidos pela televisão.

Como entusiasta de realities shows, principalmente do BBB, é difícil assumir que o programa não tem gerado muita diversão. Estamos caçando alguma alegria em meio a situações lamentáveis proporcionadas pelos confinados, mas está difícil.

Tortura psicológica não é entretenimento

O bullying que Lucas tem vivido intensamente nos últimos dias passa longe de ser aquilo que os telespectadores esperam. Excluído por todos da casa e humilhado constantemente, o ator também tem sido alvo de mentiras criadas sobre ele.

Lucas foi desagradável nas duas primeiras festas do programa. Bebeu demais, não soube lidar muito bem com a rejeição de Kerline e alugou o ouvido de toda a casa.

Isso pode ser motivo para que muita gente não goste dele e o enxergue como alvo de votos. Justo. Porém, a perseguição sistemática que o ator vem sofrendo se tornou infinitamente maior do que o erro durante as festas.

Ninguém precisa ser especialista para ver a situação e perceber que Lucas está sendo vítima de tortura psicológica. Muita gente, inclusive eu, teve lembranças de traumas do passado ao assistir a forma com que ele está sendo tratado.

Comportamento em manada

Karol Conká tem sido a líder do movimento contra o ator. Ela elegeu Lucas como um grande inimigo a ser vencido custe o que custar. Muita gente se questiona por que os outros participantes não se posicionam, mas, ao que tudo indica, o desejo de ser aceito pelo grupo fala mais alto.

Parece que ninguém mais sabe direito o que Lucas fez, tamanha a proporção que a coisa toda tomou. Continuam batendo nele porque se tornou conveniente. Sarah, que está no paredão desta terça (2), foi a única que se levantou contra, e por isso já virou alvo declarado dos inimigos de Lucas.

Juliette tem vivido algo parecido com Lucas, mas com menos intensidade. Ela já disse estar cansada de se desculpar pelo que não sabe que fez. Também é doído ver a advogada passando por isso, principalmente porque um dos motivos da perseguição contra ela é a xenofobia.

BBB perdeu a sua essência

Nos últimos dias, surgiram nas redes sociais diversos relatos de pessoas que tiveram crises de choro, ansiedade e dificuldades para dormir por causa do programa. Mesmo que distantes da realidade de Lucas e Juliette, muita gente consegue entender o que eles estão sentindo porque já foram excluídos e humilhados na vida. Há um pedido para que a direção do programa faça alguma coisa, mas parece que isso não vai acontecer - espero estar errada.

Chorar ao assistir BBB não me parece a experiência que o reality deve proporcionar. Até o momento, a atual edição não tem a essência do programa. Quem vai aguentar acompanhar esse show de horrores pelos próximos 93 dias?