PUBLICIDADE
Topo

Icônico bairro de Miami ganha museu dedicado ao grafite; veja atrativos

Museum of Graffitti, em Miami, nos Estados Unidos - Reprodução/@museumofgraffiti
Museum of Graffitti, em Miami, nos Estados Unidos Imagem: Reprodução/@museumofgraffiti

Do UOL

11/02/2020 04h00

Antes considerado um bairro decadente de Miami (EUA), Wynwood hoje é visto como um dos lugares mais descolados do país e atrai turistas do mundo todo.

Uma de suas marcas é a paixão pelo grafite, exposta em imensos painéis a céu aberto com obras de artistas do mundo todo. Não à toa o local recebeu, em dezembro de 2019, o primeiro museu dedicado à arte do grafite do mundo, o Museum of Graffitti, .

Criado pelo artista, historiador e colecionador de arte Alan Ket e seu parceiro, Allison Freidin, a atração vai apresentar aos visitantes a história e evolução do grafite com exposições permanentes de pinturas, esculturas, fotografias, mídias e instalações interativas.

"Acho que celebrar as obras de arte destruídas das gerações anteriores é uma maneira de honrarmos o valor e a importância que nós, jovens, vimos naquelas obras que os adultos simplesmente não entendiam", explica Alan Ket em entrevista ao site "Art World".

"Queremos que nossa arte dure para sempre", completa.

O time de artistas com obras expostas no Museum of Graffitti será formado por grafiteiros de vanguarda de Nova York, como Rammellzee, Riff170, Phase2, Tracy168, Blade e Noc167. Além de lendas dos anos 80, como Sonic, Dondi White, Zephyr, Mare139, Lady Pink, Doze Green e Delta2; e também por artistas locais, como Abstrk, Crome, Raven, Verse, Rasterms e Jona Cerwinske.
Um dos ambientes do Museum Of Graffitti, em Miami, nos Estados Unidos - Reprodução/@museumofgraffiti - Reprodução/@museumofgraffiti
Um dos ambientes do Museum Of Graffitti, em Miami, nos Estados Unidos
Imagem: Reprodução/@museumofgraffiti

Vá lá

299 NW 25th St, Miami, FL 33127, Estados Unidos.
Aberto diariamente (com exceção às terças-feiras) das 11h às 19h.
O bilhete custa R$ 68 (em valores convertidos em 07/02/2020) por pessoa. Menores de 13 anos não pagam.

Os encantos de Wynwood

Mural dos grafiteiros Os Gêmeos, localizadas no bairro Wynwood, em Miami - iStock - iStock
Mural dos grafiteiros Os Gêmeos, localizadas no bairro Wynwood, em Miami
Imagem: iStock

Muito antes da chegada do museu, os Wynwood Walls já expunham preciosidades do grafite mundial, incluindo obras dos artistas brasileiros Marcelo Kobra e Os Gêmeos (foto acima)

Fachada do Wynwood Walls - iStock - iStock
Fachada do Wynwood Walls
Imagem: iStock

Este verdadeiro "museu a céu aberto" é, com certeza, a principal atração para quem deseja "instagramar" a viagem.

Além disso, o bairro também apresenta uma ampla variedade de bares, food trucks, restaurantes, padarias, cafeterias e sorveterias cool.

A padaria Zak The Baker, instalada em um antigo galpão industrial com fachada colorida, por exemplo, é uma das atrações irresistíveis.

Outro ponto considerado imperdível para quem vai a Wynwood é o bar Wood Tavern, com arquibancada externa aberta, onde acontecem shows e apresentações de DJs.

Wood Tavern, em Wynwood, em Miami - Divulgação - Divulgação
Wood Tavern, em Wynwood, em Miami
Imagem: Divulgação

Se a opção é curtir o agito noturno, a sugestão é conhecer o El Patio, um bar que, à meia-noite, se transforma em uma balada animadíssima.

Bairro transformado

No século 20, Wynwood era um bairro industrial habitado por famílias de classe média baixa, com predominância de imigrantes cubanos, haitianos e porto-riquenhos. Em 1970, o tráfico de drogas dominou a região e, em 2009, começou a passar por um processo de revitalização depois de receber investimentos do empresário Tony Goldman.

Wynwood, em Miami, nos Estados Unidos - iStock - iStock
Wynwood, em Miami, nos Estados Unidos
Imagem: iStock

Ele já havia investido e transformado o bairro Soho, em Nova York, e South Beach, em Miami. Em Wynwood, Tony comprou diversos imóveis, idealizou projetos com o grafite e a região começou a ser convertida em referência cultural nos Estados Unidos.