PUBLICIDADE
Topo

Guia de Caldas Novas e Rio Quente: aventura aquática no coração do Brasil

Passeio de canoa: atração no complexo do Rio Quente Resorts - Divulgação
Passeio de canoa: atração no complexo do Rio Quente Resorts
Imagem: Divulgação

Eduardo Vessoni

Colaboração para o UOL

07/12/2019 04h00

Muito antes de surgir um dos maiores parques aquáticos do Brasil, em pleno Centro-Oeste, o bisavô de Derlon Batista de Lima, Seu Antonio de Lima, já recebia visitantes que chegavam de longe, em carros de boi, em busca de suas águas de propriedades medicinais.

Há cerca de 90 anos, a antiga Fazenda Água Quente dava os primeiros passos para ser a precursora nesse que é um dos destinos turísticos mais procurados em território nacional.

Parque das Fontes: piscinas de águas quentes correntes - Divulgação
Parque das Fontes: piscinas de águas quentes correntes
Imagem: Divulgação

No sudeste de Goiás, a 160 quilômetros de Goiânia, a região das Águas Quentes fez fama nacional com as características que lhe garantiram o nome: suas águas correntes e, naturalmente, quentes que alimentam piscinas em parques aquáticos de Caldas Novas e Rio Quente.

São mais de 300 piscinas termais em Caldas Novas, cidade que chega a receber cerca de 4 milhões de visitantes anualmente. Em Rio Quente, são quase dois milhões de turistas a cada ano.

Nos lagos, piscinas e parques aquáticos, diversão para todas as idades - Divulgação
Nos lagos, piscinas e parques aquáticos, diversão para todas as idades
Imagem: Divulgação

Por décadas, acreditou-se que um vulcão seria a origem daquelas águas que brotam da terra, sobretudo por conta do formato de cratera da Serra de Caldas Novas, uma elevação natural de 1.049 metros, entre as duas cidades.

Mas no maior lençol hidrotermal do mundo, as águas das chuvas seguem por veios rochosos, a mil metros de profundidade, encontram-se com minerais em reservatórios profundos e retornam à superfície de forma aquecida, fazendo a alegria dos milhões de turistas que visitam esses municípios vizinhos.

Em outras palavras, é turismo para qualquer época do ano, em águas com temperatura que ultrapassam os 30° C.

Piscina no Rio Quente Resorts  - Divulgação
Piscina no Rio Quente Resorts
Imagem: Divulgação
As opções vão desde pequenos estabelecimentos com cara de clube até parques aquáticos bem estruturados. De acordo com o Ministério do Turismo, Caldas Novas e Rio Quente concentram o maior complexo brasileiro de hotéis e parques aquáticos termais.

Emancipada de Caldas Novas, em 1989, a cidade de Rio Quente, a 30 quilômetros de Caldas Novas e com pouco mais de 4 mil habitantes, é daqueles lugares que têm atrações para uma semana inteira, de parque aquático a turismo radical.

"Só tinha a fazenda do meu bisavô. As pessoas escolhiam um lugar na beira do rio e chegavam a passar 30 dias para tratamentos de pele", conta Derlon Batista de Lima, gerente do camping Esplanada, às margens do Rio Quente e próximo ao resort mais famoso da região.

O QUE FAZER EM CALDAS NOVAS

Vista aérea do Acqua Park diRoma, em Caldas Novas - DiRoma/Divulgação
Vista aérea do Acqua Park diRoma, em Caldas Novas
Imagem: DiRoma/Divulgação

Balneário Municipal
Considerado a primeira casa do gênero, em Caldas Novas, essa atração aberta em 1910 abriga banheiras com hidromassagem, em salas individuais, onde é possível fazer sessões de até 30 minutos.

Vai lá: Rua Coronel Cirilo, 15, Centro; (64) 3454-3563. Diariamente, das 7h às 13h. Entrada paga (R$ 10).

Parque Estadual de Caldas Novas
A 5 quilômetros do Centro da cidade, na serra que divide Caldas Novas e Rio Quente, o PESCAN tem mais de 12 mil hectares de área preservada e trilhas sinalizadas, não muito distantes da sede desse que é o primeiro parque estadual de Goiás.

Cânion no Parque Estadual de Caldas Novas  - Eduardo Vessoni/UOL
Cânion no Parque Estadual de Caldas Novas
Imagem: Eduardo Vessoni/UOL

A da Cascatinha tem cerca de 600 metros de extensão (ida e volta) e dá acesso a um poço para banho, onde cai uma cachoeira com cinco metros de altura. Já a Trilha do Paredão (1.200 metros, ida e volta) leva até a uma cachoeira com nove metros de altura, aberta também para banho em um poço de até 2,5 metros de profundidade, e acesso a um mirante com vista da cidade. Para ver as quedas com maior volume d'água, procure visitar o local entre dezembro e maio.

Quem vai de bicicleta, não pode deixar de fazer a Trilha da Siriema, um roteiro de 11,4 quilômetros que termina em um mirante natural com vista para um cânion e para o Rio Quente Resorts. Os finais de tarde ali costumam ser únicos.

De acordo com Maurício Vianna Tambellini, diretor do parque, estão programadas as aberturas das trilhas da Siriema com carros do próprio PESCAN e a da Rua de Pedra, um passeio motorizado de 15 quilômetros e outros 3 quilômetros a pé até um setor com lajes de pedra, onde é possível observar as fraturas que conduzem as águas quentes que reabastecem a região.

Logo na entrada do parque é possível visitar um museu com animais empalhados do Cerrado, como suçuarana, lobo-guará e tamanduá-bandeira, e amostras de vegetação endêmica e ameaçadas de extinção, como o pau santo e quaresmeira.

Vai lá: Av. Bento de Godoy, s/n (setor rural de Caldas Novas), (64) 3453-5805. Diariamente, das 6h às 18h (entrada até às 16h30). Entrada paga (R$ 10).

Igreja Matriz de Caldas Novas  - Luis Manoel Vasconcelos/Goiás Turismo
Igreja Matriz de Caldas Novas
Imagem: Luis Manoel Vasconcelos/Goiás Turismo

Arquitetura
Com tantas opções de águas quentes, certamente, os endereços históricos de Caldas Novas não devem ser prioridade no seu roteiro. Ainda assim, vale visitar a Igreja Matriz Nossa Senhora das Dores (Praça da Matriz, s/n), erguida em 1850 e com interior de madeira; o Casarão dos Gonzaga (rua Coronel Gonzaga s/n), construção colonial que abrigou a fazenda do primeiro prefeito de Caldas Novas e, hoje, funciona como museu histórico; e o Jardim Japonês, espaço com lagos e jardins bem cuidados.

Cachaçaria Vale das Águas Quentes
Preparadas com canas-de-açúcar orgânicas, as cachaças são provadas em ambiente rústico que simula um engenho, onde uma sala abriga alambiques de cobre de Minas Gerais que também podem ser visitados.

Cachaçaria Vale das Águas Quentes - Eduardo Vessoni/UOL
Cachaçaria Vale das Águas Quentes
Imagem: Eduardo Vessoni/UOL
Além dos licores com frutas do Cerrado, como jenipapo e pequi, o local produz e comercializa quatro tipos de cachaças, em barris de carvalho, jequitibá e umburana (de 6 meses a 8 anos de envelhecimento) e um licor digestivo com 32 ingredientes, entre frutas e ervas, como laranja, jabuticaba, anis e noz-moscada.

Mas o melhor da casa é o obrigatório sorvete de rapadura com cobertura de melaço, servido em uma bolacha tipo waffle. Entre as combinações inusitadas, a casa produz também sorvete de chocolate com pequi e molho de pimenta com melado de cana.

Vai lá: Avenida Coronel Bento de Godoy, 2.000 (estância Itanhagá - Caldas Novas), (64) 3453-3760. De seg. a sáb. das 9h às 18h. Abre também aos domingos, em feriados e meses de férias escolares. Entrada grátis. Site.

Lago Corumbá
Alimentado por águas de três rios (Corumbá, Pirapitinga e São Bartolomeu), esse espelho d'água de 65 km² pode ser visitado em passeios de escunas com duração de 30 minutos. Visita a cachoeiras e prática de esportes náuticos como SUP, caiaque e jet ski também são atrações desse lago com acesso pelo Náutico Praia Clube, a 10 quilômetros do Centro de Caldas Novas.Em certas épocas do ano, durante a baixa do nível da água no lago, os passeios podem ficar suspensos por tempo indeterminado.

Vai lá: Náutico Praia Clube - Avenida Caminho do Lago, s/n (Fazenda S. Antônio das Lages), (64) 3455-9100. Entrada paga. Site.

Lago Corumbá, em Caldas Novas  - Pablo Regino/Mtur
Lago Corumbá, em Caldas Novas
Imagem: Pablo Regino/Mtur

Parques aquáticos
Para não se frustrar, é recomendado pesquisar com antecedência sobre a estrutura de cada um deles, pois alguns se tratam apenas de um hotel com piscinas de águas aquecidas, mas sem nenhum atrativo de parque aquático.

Entre as opções mais completas, Caldas Novas abriga o diRoma Acqua Park, próximo ao Centro da cidade e conhecido pela réplica de um vulcão de onde sai um toboágua de 25 metros de altura. O parque tem 55 mil m² e 14 piscinas, onde funcionam mais de 20 atrações, em três ambientes interligados.

Vista aérea do Clube Privé - Divulgação
Vista aérea do Clube Privé
Imagem: Divulgação

Já o Water Park fica ao lado do Clube Privé, ambos equipados com toboáguas, piscinas infantis e brinquedos molhados.

Às margens do Lago Corumbá, o Náutico Praia Clube tem piscina de ondas e áreas infantis molhadas e secas.

O QUE FAZER EM RIO QUENTE

Diversão na piscina do Rio Quente Resorts: para toda a família - Gabriel Boieras/Divulgação
Diversão na piscina do Rio Quente Resorts: para toda a família
Imagem: Gabriel Boieras/Divulgação

RIO QUENTE RESORTS

Seja qual o seu roteiro, não tem como deixar de fora o Hot Park, um parque aquático com mais de 55 mil m², cujas principais atrações são alimentadas por águas aquecidas por 18 nascentes locais. Confira a lista das atividades imperdíveis no Hot Park:

Praia do Cerrado São 25 mil m² de areia (com coqueiros e tudo) e nove tipos de ondas. O local conta também com lojas de conveniência, bares aquáticos e restaurante com cozinhas regional e internacional.

Praia do Cerrado: de água calminha a nove tipos de onda artificiais - Divulgação
Praia do Cerrado: de água calminha a nove tipos de onda artificiais
Imagem: Divulgação

Lazy River Atração para toda a família, onde se descem 238 metros em uma boia individual, em águas calmas.

Clubinho da Criança e Hotibum Nessas áreas infantis com 3.400 m² e 5.400 m², respectivamente, as crianças contam com piscinas, brinquedos molhados, rio lento (para bebês e crianças pequenas), tinas de água jorrantes, mini-toboáguas.

Hotibum: atração pensada especialmente para as crianças - Divulgação
Hotibum: atração pensada especialmente para as crianças
Imagem: Divulgação

Birdland Viveiro com mais de dois mil m², onde vivem cerca de 300 animais resgatados pelo IBAMA, como araras, macacos, tucanos e cervos. Os visitantes são recebidos com pote de grãos para alimentar os bichos. Atração paga à parte.

Acqua Race Sem boia ou tapete, o visitante desce, livremente, por um escorregador de de 110 m de comprimento e início a 13 metros de altura.

Tirolesa O parque abriga três opções, uma versão tradicional (e menos radical) que desce 90 metros até a margem do Lago Quente; a Hot Fly com pouso no lago; e a Mega Tirolesa (pago à parte), um percurso de 1,1 km de extensão e a uma velocidade de até 80 km/h, que começa a 70 metros de altura.

Tirolesa: aventura radical no Hot Park - Divulgação
Tirolesa: aventura radical no Hot Park
Imagem: Divulgação

Giant Slide Escorregador gigante com 22 metros de largura, onde o visitante desce em uma boia até uma piscina de água quente.

AeroBike Pedalada aérea, em um circuito de 437 metros de extensão, a cinco metros de altura. Atração paga à parte.

Half Pipe O visitante desce em um bote, em uma inclinação de quase 90 graus, por uma estrutura inspirada nas pistas de skate. O brinquedo é considerado o primeiro toboágua construído em forma de U no Brasil.

Half Pipe: primeiro toboágua em forma de U no Brasil - Divulgação
Half Pipe: primeiro toboágua em forma de U no Brasil
Imagem: Divulgação

Xpirado É o brinquedo mais radical do parque. A experiência começa em uma vila cenográfica abandonada e segue por um toboágua de 32 metros de altura e 146 metros de comprimento.

Mergulho com cilindro Mergulho de cilindro, entre tilápias e pirarucus, em um lago de até cinco metros de profundidade, em um lago artificial decorado com estátuas e até réplica de um naufrágio. Atração paga à parte.

Mergulho com cilindro no Hot Park  - Divulgação
Mergulho com cilindro no Hot Park
Imagem: Divulgação

O Rio Quente Resorts é conhecido também pelo Parque das Fontes, localizado próximo ao Hotel Pousada e gratuito para hóspedes. A área tem funcionamento 24 horas, com oito piscinas de águas quentes correntes, renovadas a cada 20 minutos. Há também duchas termais, saunas e ofurôs cercados pelas belezas da Mata do Cerrado. As águas chegam de fontes naturais na temperatura média de 37,5°C e, além de relaxantes, são terapêuticas.

Fora do complexo, a cinco minutos do Hot Park, o Eko Aventura Park é a versão radical de Rio Quente. Em uma área de 89 mil m², é possível praticar esportes de aventura como o percurso de 2,5 quilômetros de rafting no rio, circuito de duas tirolesas de 280 metros, além de quadriciclo e caiaque.

Vai lá:
Rio Quente Resorts. A 27 quilômetros do aeroporto de Caldas Novas, o complexo abriga oito hotéis com diferentes categorias de hospedagem e as atrações do Hot Park têm entrada gratuita para hóspedes. Site.

Hot Park. Diariamente, das 9h30 às 17h (fechado às quintas-feiras para manutenção). Ingresso: a partir de R$ 90 (criança) e R$ 110 (adulto) para compra online. Site.

Camping Esplanada
Fica no bairro Esplanada, onde o turismo teria começado com a fazenda Água Quente, às margens do Rio Quente, há cerca de 90 anos. O local não só tem áreas para barracas e trailers (R$ 60, diária por pessoa) como também oferece day use para quem quer passar o dia (R$ 30 por pessoa). Em funcionamento há 46 anos, conta com bar molhado, quiosques e área para banho no rio.

Vai lá: Camping Esplanada. Rua Espírito Santo, 80 (Esplanada), (64) 3452-1341.

COMO CHEGAR

Vista da Serra de Caldas Novas, entre Rio Quente e Caldas Novas - Pablo Regino/Mtur
Vista da Serra de Caldas Novas, entre Rio Quente e Caldas Novas
Imagem: Pablo Regino/Mtur

DE AVIÃO

A capital de Goiás ainda tem as melhores opções de voos provenientes de diversos destinos do Brasil, operados pela Azul, Gol e Latam. A viagem entre Congonhas (SP) e o aeroporto regional, por exemplo, dura 1h30.

Não há serviço de transfers entre o aeroporto Santa Genoveva e Caldas Novas, cujas opções são o táxi ou os ônibus que saem da rodoviária de Goiânia.

O aeroporto de Caldas Novas, que costuma receber aviões fretados, conta também com voos da Gol e da Azul - porém, os valores geralmente elevados das passagens fazem de Goiânia a melhor opção.

DE ÔNIBUS

A viagem rodoviária entre Goiânia e Caldas Novas dura de 3 a 4 horas e pode ser feita pelas empresas Estrela e Paraúna, com diversas saídas ao longo do dia.

De São Paulo, a viagem leva 13 horas, aproximadamente, e pode ser feita pela Rode Rotas, antiga Nacional Expresso.

DE CARRO

A 3 horas de Goiânia, Caldas Novas tem acesso pelas estradas GO-020 e BR-153, ambas em excelente estado de conservação. No aeroporto de Goiânia (GYN) é possível alugar carros em agências da Alamo, Localiza Hertz, Movida, National e Unidas.


CIRCULANDO

A apenas 30 quilômetros de distância, Caldas Novas e Rio Quente estão conectados por ônibus da viação Paraúna, que saem da rodoviária de Caldas e fazem a viagem em cerca de 30 minutos.

Para quem quer privacidade, o destino passou a ser coberto, recentemente, por aplicativo de transporte e conta também com táxis (a corrida custa R$ 120, aproximadamente).

Caldas Novas não tem ônibus de linha, por isso carro é fundamental para deslocamentos até os atrativos mais afastados.

A concentração de hotéis de Caldas fica no bairro Turista I, região que abriga também alguns parques aquáticos ou áreas de piscinas em hotéis que permitem day use para não hóspedes.

QUANDO IR

Parque das Fontes - Gabriel Boieras/Divulgação
Parque das Fontes
Imagem: Gabriel Boieras/Divulgação

Embora seja um destino para o ano todo, a alta temporada costuma ir de dezembro até o Carnaval e também durante as férias de julho.
Para fugir da alta procura nos hotéis e parques aquáticos, que costumam lotar a partir da quinta-feira, procure visitar os destinos entre a segunda e a quarta.

Quem pensa em mergulhar no Rio Quente Resorts, deve evitar a temporada de verão, quando as chuvas costumam deixar a água mais turva.

INFORMAÇÕES OFICIAIS

Site do turismo oficial de Goiás
www.goiasturismo.go.gov.br