PUBLICIDADE
Topo

Conheça a profecia de Dom Bosco e as obras que o homenageiam em Brasília

Renata Gama

Do UOL, em Brasília

05/06/2013 19h10

As histórias sobre a fundação de Brasília rendem passeios curiosos. Há pontos interessantes a se visitar tanto quando o assunto é a construção da cidade, como quando o tema é a profecia de Dom Bosco, que teria sonhado, no ponto onde ela foi erguida, com o surgimento da capital do Terceiro Milênio.

São João Bosco previu: “Entre os paralelos 15º e 20º havia um leito muito extenso, que partia de um ponto onde se formava um lago. Então, uma voz disse repetidamente: 'Quando escavarem as minas escondidas no meio destes montes, aparecerá aqui a grande civilização, a terra prometida, onde jorrará leite e mel. Será uma riqueza inconcebível'”.

  • Bruno Pinheiro/Setur-DF

    A pequena capela Ermida Dom Bosco tem projeto de Oscar Niemeyer

O texto está exposto na porta da Ermida Dom Bosco, o primeiro templo erguido em Brasília, à beira do Lago Paranoá. Durante a construção da cidade, surgiu a crença de que a profecia se tratava da capital brasileira, daí a homenagem ao santo que, anos depois, se tornou o segundo padroeiro da cidade, ao lado de Nossa Senhora de Aparecida.

A visita à Ermida Dom Bosco vale tanto por sua importância histórica quanto por seu visual. À beira do Lago Paranoá, o local serve de cenário para caminhadas, belas fotos, e momentos de descanso. 

Outro ponto dedicado ao santo vale a visita. Com seus mosaicos azulados e arquitetura moderna, a Igreja Dom Bosco é um templo belíssimo. Um lustre central de duas toneladas compõe o cenário. Mas ele acende apenas durante as cerimônias ou mediante pagamento na secretaria da igreja, por alguns minutos.

A primeira pizzaria da cidade, e tradicional ponto de encontro dos moradores de Brasília, também foi batizada em homenagem ao santo. A pizzaria Dom Bosco é famosa por servir no balcão há mais de 50 anos pedaços de apenas um sabor de pizza: muçarela. A tradição brasiliense é apreciar a refeição com mate gelado.

Os passos da construção de Brasília

O esforço histórico liderado pelo presidente Juscelino Kubitschek para migrar a capital brasileira para o coração do país é mostrado em detalhes no Memorial JK. Há registros em fotos, documentos, vídeos, textos e objetos pessoais desde o discurso que motivou a promessa de construção de Brasília até a execução do projeto. Há plantas do Plano Piloto e dos prédios assinados por Niemeyer. Tudo é pontuado por fatos da vida e morte do presidente. O museu ainda guarda a câmara mortuária do político.

Outro ponto cativante dessa história é o Catetinho, residência provisória do presidente durante a construção de Brasília. Surpreende a simplicidade da arquitetura dos prédios suspensos - feitos de madeira- e do mobiliário original usado por Kubitschek. A reprodução da cozinha lembra uma típica casa de fazenda mineira. O local ainda abriga uma exposição dedicada aos trabalhadores da construção da capital federal.