PUBLICIDADE
Topo

EUA reabrem fronteiras, mas agendar visto vira saga: "Passei dias tentando"

Com reabertura para brasileiros vacinados, visto para Estados Unidos está disputado - Getty Images/iStockphoto
Com reabertura para brasileiros vacinados, visto para Estados Unidos está disputado Imagem: Getty Images/iStockphoto

Mari Campos

Colaboração para Nossa

10/11/2021 04h00

Na segunda-feira, 8 de novembro, os Estados Unidos reabriram suas fronteiras internacionais para viajantes completamente vacinados de mais de 30 países diferentes, incluindo o Brasil. Mas, mesmo com a reabertura, o sonho de voltar a viajar para os EUA está sendo adiado mais uma vez para muita gente por outro motivo: brasileiros enfrentam muita dificuldade para emissão e renovação de vistos de entrada.

Os consulados americanos no Brasil voltaram a emitir vistos na própria segunda-feira, assim que a reabertura das fronteiras foi efetivada. No entanto, nem a demanda por vistos e renovações reprimida durante toda a pandemia tem conseguido agendar o processo com facilidade, e nem para datas próximas.

Para muita gente, só aparecem datas disponíveis no sistema para o final de 2022, principalmente em unidades de grandes centros urbanos, como São Paulo.

Movimentação no Centro de Atendimento ao Solicitante de Vistos do consulado dos Estados Unidos em São Paulo, na Vila Mariana, nesta segunda-feira (08) - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress - Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress
Movimentação no Centro de Atendimento ao Solicitante de Vistos do consulado dos Estados Unidos em São Paulo, na Vila Mariana, nesta segunda-feira (08)
Imagem: Renato S. Cerqueira/Futura Press/Folhapress

A Embaixada dos EUA no Brasil informou, através de sua assessoria de imprensa, que, no momento, nenhuma operação especial está sendo montada para lidar com a demanda crescente por novos vistos e renovações.

Em nota enviada a Nossa, David Hodge, cônsul-geral dos EUA em São Paulo, afirma que os solicitantes devem verificar a disponibilidade de vagas regularmente no site de agendamento pois nossa equipe abrirá novas vagas constantemente. "O sistema é dinâmico e os números podem mudar todos os dias.

Sabemos que há um demanda reprimida e que haverá espera acima do desejado, mas os brasileiros podem ter a certeza que estamos colocando todos os recursos disponíveis para processar o maior número de vistos o mais rápido possível, ao mesmo tempo em que seguimos os protocolos sanitários para garantir a segurança de solicitantes e funcionários."

Somente nesta segunda (8) foram atendidas presencialmente mais de 700 pessoas somente na unidade de São Paulo.

Fernanda Floret conseguiu agendar renovação do visto com muita paciência - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Fernanda Floret conseguiu agendar renovação do visto com muita paciência
Imagem: Arquivo pessoal

Reagendamento é gratuito

A recomendação da Embaixada americana para otimização do processo neste momento de demanda excessiva é que o viajante tente constantemente seu agendamento no site e que agende na data que conseguir, mesmo que distante. E então seguir tentando no site diariamente até encontrar uma data mais próxima, que atenda melhor seus planos; o reagendamento do processo é gratuito.

Segundo a assessoria de imprensa da Embaixada não existe horário melhor ou pior para fazê-lo.

Fernanda Floret, influenciadora e autora dos sites "Vestida de Mãe" e "Vestida de Noiva", concorda. Ela fez tudo sozinha, sem despachantes.

Preencheu todos os formulários, pagou a taxa, mas não conseguia finalizar o agendamento de jeito nenhum.

Tentei por uns 10 dias consecutivos e não aparecia nenhuma data para agendamento em São Paulo. Até vi datas em outros estados e fiz as contas para ver se valia a pena o deslocamento", explica Fernanda.

Até que um dia ficou sabendo por uma conta no Instagram que algumas vagas estavam aparecendo para a unidade de São Paulo. "Fiquei horas tentando direto, das 10h às 15h, sem sucesso. De repente, do nada, às três da tarde apareceu uma data para o começo de 2022!", conta.

Agora, com a renovação do visto devidamente agendada, está planejando viajar aos EUA em junho de 2022 para fazer um cruzeiro da Disney com a família.

Fernanda aconselha quem ainda não conseguiu agendar a seguir tentando no site, constantemente. "Ou então contratar os serviços de um despachante, porque eles têm equipe suficiente para ficar ali tentando o tempo todo até conseguir uma data", diz.

Controle de passageiros estrangeiros do Logan International Airport, em Boston (EUA) - REUTERS/Brian Snyder - REUTERS/Brian Snyder
Controle de passageiros estrangeiros do Logan International Airport, em Boston (EUA)
Imagem: REUTERS/Brian Snyder

Prejuízos profissionais

A relações-públicas Mariana Haddad vive processo semelhante. Cuidando da conta de promoção de um destino americano no Brasil, Mariana deveria viajar para os EUA assim que as fronteiras reabrissem. Mas a dificuldade em renovar seu visto tem atrapalhado os planos de trabalho.

Meu visto americano venceu em agosto e eu teria duas viagens a trabalho para o país agora em novembro. Tentei solicitar o NIE (National Interest Excpetion, uma espécie de visto emergencial fornecido eventualmente), mas não foi aceito", conta.

Mariana buscou dicas em grupos de Facebook e continuou tentando agendar o processo pelos caminhos tradicionais do site diariamente. Tentou despachantes, mas também não ajudaram. Percebendo a existência de algumas datas abertas no CASV de Brasilia e Recife para o final de novembro, cogitou viajar para outros estados.

Após vários dias entrando no site de agendamento, apareceu de repente um horário em 16 de novembro em São Paulo e consegui reagendar", comemora.

A dificuldade no processo já gerou prejuízos profissionais para Mariana: ela não conseguirá fazer a primeira viagem que precisaria ao país, nesta semana. Está na expectativa de conseguir embarcar para o próximo compromisso de trabalho, no final do mês. "Meu agendamento é dia 16 e a viagem está marcada para dia 26", afirma.

O jornalista e empresário mineiro Thiago Khoury, autor do blog "Rodei", ainda não teve sucesso. "Eu sou a pessoa que amigos e família sempre procuram na hora de falar sobre Estados Unidos, inclusive o processo que envolve pleitear vistos, então tenho muita familiaridade com o sistema.

Mas foi curioso ver que, mesmo em julho de 2020, a única disponibilidade oferecida pelo sistema era julho de 2022. Pela primeira vez desde 1996 me encontro sem nenhum tipo de visto americano", conta.

Thiago Khoury, autor do blog "Rodei", relata que tem dificuldades para renovação de seu visto - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Thiago Khoury, autor do blog "Rodei", relata que tem dificuldades para renovação de seu visto
Imagem: Arquivo pessoal

Além da produção de conteúdo de viagens, Thiago tem também uma escola de idiomas que participa regularmente de feiras e congressos e possui acordos com redes nacionais de centros de idiomas americanos; tudo está sendo afetado pela dificuldade em renovar o visto.

"Além disso tudo, tenho amigos que moram fora e não vejo desde 2019, casamentos e eventos que deixei de ir. Saber que isso só vai poder acontecer a partir de agosto do ano que vem me deixa triste", desabafa.

Reabertura movimenta indústria turística no Brasil

Chris Thompson, CEO do Brand USA, se pronunciou oficialmente ontem sobre a reabertura americana na plataforma Linkedin:

"Este lucrativo segmento é o maior criador de empregos e condutor econômico da nossa nação. Em 2019, o turismo internacional nos EUA gerou $ 233.5 bilhão. Entre março de 2020 e outubro de 2021, a ausência desses turistas resultou numa perda de quase $300 bilhões e incontáveis empregos. Hoje finalmente começamos a fechar esse capítulo", escreveu.

Movimentação no desembarque internacional do Sea-Tac Airport, em Seattle (EUA) - REUTERS/Lindsey Wasson - REUTERS/Lindsey Wasson
Movimentação no desembarque internacional do Sea-Tac Airport, em Seattle (EUA)
Imagem: REUTERS/Lindsey Wasson

A ausência dos turistas provenientes de países que estavam até domingo impedidos de entrar no país pode ter significado a eliminação de um milhão de postos de trabalho na indústria turística do país ao longo da pandemia. A expectativa agora é que o retorno gradual destes turistas, inclusive brasileiros, abra novos postos de trabalho no setor.

Apesar da desvalorização sem precedentes do Real frente ao dólar, a reabertura das fronteiras americanas para o Brasil já movimenta a indústria turística por aqui também. A busca por viagens aos EUA disparou nos últimos dias.

A procura por voos ligando os dois países aumentou até 450% no período para algumas companhias aéreas, como a Delta, que é a que mais tem voos conectando os dois destinos atualmente.

Para planejar sua viagem

Além do visto em dia e da vacinação completa (duas doses ou dose única para todo viajante maior de 18 anos), há mais exigências para o retorno dos brasileiros aos EUA: é preciso apresentar teste negativo de covid-19 (todo viajante a partir de 2 anos de idade) no embarque e preencher toda a documentação solicitada pela companhia aérea.

A apresentação do comprovante de vacinação é necessária também para frequentar atividades e atrações em vários destinos americanos, como qualquer restaurante ou teatro na cidade de Nova York.