PUBLICIDADE
Topo

Espanha vê retorno de brasileiros maior que o esperado na reabertura

Turistas posam para fotos na Plaza Mayor, em Madri, Espanha - SUSANA VERA/REUTERS
Turistas posam para fotos na Plaza Mayor, em Madri, Espanha
Imagem: SUSANA VERA/REUTERS

Mari Campos

Colaboração para Nossa, de Madri (Espanha)

09/11/2021 04h00

No final de agosto passado, a Espanha reabriu suas fronteiras internacionais também para brasileiros vacinados. E a resposta nestes primeiros meses pós reabertura tem feito o país ibérico comemorar: a retomada turística chega com números melhores que as projeções iniciais do setor.

Para o brasileiro, os requisitos de entrada na Espanha são dos mais simples e descomplicados dentre os países do bloco europeu: basta apresentar o certificado de vacinação completa emitido pelo aplicativo ConectSUS (em espanhol ou inglês) na hora do embarque e preencher um formulário eletrônico do ministério da saúde espanhol 48 horas antes de entrar no país. Não há exigência de nenhum tipo de teste, passe ou documentação especial para a admissão do viajante.

A facilidade de ingresso para o turista e os altos números da imunização dos espanhóis (mais de 80% da população espanhola já está 100% vacinada) tem feito a Espanha ser percebida como um destino seguro nesta fase da pandemia tanto para turistas quanto agências de viagem. E a aparente "normalidade" do dia a dia do viajante estrangeiro nesta fase da pandemia estimula cada vez mais as visitas ao país.

Turistas em frente à Sagrada Familia, em Barcelona (Espanha) - Zhang Cheng - Zhang Cheng
Turistas em frente à Sagrada Familia, em Barcelona (Espanha)
Imagem: Zhang Cheng

Retomada surpreende

A Espanha recebeu 15 milhões de viajantes até agosto de 2021. Apesar do número corresponder a apenas cerca de 26% do mesmo período em 2019, o percentual tem sido visto com bastante otimismo nacionalmente.

O otimismo é justificável: em agosto passado, foram 5,2 milhões de turistas internacionais visitando o país, 112,8% a mais que no mesmo período em 2020, segundo o Instituto Nacional de Estadística (INE).

Com o crescimento constante das chegadas internacionais no país, o governo espanhol espera chegar a 50% dos números pré-pandemia ainda em dezembro deste ano.

Para um país que sempre viveu em grande parte do turismo, é natural que a Espanha venha potencializando esforços nesta indústria, estimulando a abertura de novos negócios turísticos no país e auxiliando na retomada e recuperação de negócios já existentes.

Turistas no terraço do hotel Riu Plaza Espana hotel, em Madri, Espanha - SUSANA VERA/REUTERS - SUSANA VERA/REUTERS
Turistas no terraço do hotel Riu Plaza Espana hotel, em Madri, Espanha
Imagem: SUSANA VERA/REUTERS

O turismo espanhol já tinha duplicado os números do verão 2020 neste ano e agosto foi o mês mais bem-sucedido de toda a pandemia para o segmento.

Os dados de 2021 consolidam a tendência de recuperação do turismo internacional no país, confirmando a percepção da Espanha como um destino realmente seguro", diz Reyes Maroto, ministra de Industria, Turismo y Comercio.

"Explosão de otimismo"

A confiança do turista estrangeiro se reflete também no aumento constante de seus gastos no país: só em agosto passado, visitantes estrangeiros desembolsaram quase 6 bilhões de euros durante suas visitas à Espanha.

O governo espanhol define a atual procura por viagens à Espanha nesta fase da pandemia como "uma explosão de otimismo no setor". Segundo enquete das OET (Oficinas Españolas de Turismo), 97,87% das agências brasileiras vêem a Espanha como um destino seguro neste momento.

As reservas de voos do Brasil para Espanha aumentaram 239,7% em outubro, com expectativa de chegar a 299% até dezembro.

Turistas se divertem no Arc de Triomf, em Barcelona (Espanha) - Zhang Cheng - Zhang Cheng
Turistas se divertem no Arc de Triomf, em Barcelona (Espanha)
Imagem: Zhang Cheng

Diferentes companhias aéreas estão revendo planos para atender a demanda por mais voos ligando o Brasil à Espanha. A Air Europa ampliará de 3 para 4 seus voos semanais ligando São Paulo a Madri e no ano que vem inaugurará rotas à capital espanhola também a partir de Salvador, Recife e Fortaleza.

A Latam terá, em dezembro, 5 voos semanais de São Paulo a Madri e retomou a rota SP-Barcelona no último dia 2. Iberia, a única com voos diários entre Brasil e Espanha, deve reestabelecer em dezembro também os voos com saída do Rio de Janeiro.

Segundo relatório Travel Audience da Amadeus, divulgado pelo Turespaña, a Espanha figura em terceiro lugar na busca por viagens internacionais ainda em 2021 e fica atrás somente de Portugal para viagens em 2022.

Dia a dia de quase "normalidade"

Carmen Cachadina e David Lopez dançam para turistas em frente ao Palácio Real, em Madri, Espanha - SUSANA VERA/REUTERS - SUSANA VERA/REUTERS
Carmen Cachadina e David Lopez dançam para turistas em frente ao Palácio Real, em Madri, Espanha
Imagem: SUSANA VERA/REUTERS

No dia a dia na Espanha, máscaras são obrigatórias em qualquer transporte compartilhado ou local fechado (lojas, museus, hotéis, mercados, metrô, táxis, estações, aeroportos etc); mas o uso já não é mais mandatório nas ruas, parques e demais espaços ao ar livre.

Ainda assim, muita gente ainda usa máscaras também nas situações nas quais não há obrigatoriedade. Ruas, lojas, atrações, hotéis, bares, restaurantes e mercados estão novamente bastante cheios, sobretudo em Madri - tanto de espanhóis e residentes como de turistas estrangeiros, que estão voltando constantemente ao país.

Para o turista, não existe nenhuma exigência de passe sanitário ou apresentação de testes e certificados de vacinação para acesso a nenhum tipo de estabelecimentos; o controle é todo feito apenas no aeroporto e nas estações internacionais. O dia a dia transcorre da forma mais "normal" possível.

Pessoas pelas ruas de Madri, na Espanha - Meng Dingbo - Meng Dingbo
Pessoas pelas ruas de Madri, na Espanha
Imagem: Meng Dingbo

"Foi excelente passar duas semanas inteiras em outra vida, outro mundo, com gente mais disciplinada e comprometida e regras claras de segurança", diz a carioca Cláudia Lima, que esteve na Espanha por 15 dias em outubro passado.

Com a população majoritariamente vacinada e as exigências de entrada para turistas estrangeiros, nos sentimos seguros para fazer coisas que há mais de um ano e meio não fazíamos no Brasil, como frequentar cafés, museus e restaurantes", explica, empolgada.

A vacinação avançada na Espanha e a exigência também da vacinação para ingresso dos turistas brasileiros têm tranquilizado muita gente que ainda estava adiando o retorno às viagens internacionais.

"Após nossa segunda dose, decidimos voltar a viajar por Espanha e Portugal por serem esses os países que mais nos passam segurança agora, com tanta gente já vacinada e casos geralmente em queda", concorda o paulistano Ivan Lázaro, que viajou para ambos países com a esposa Clara.

Usamos máscaras aqui também e nos sentimos seguros o tempo todo. Nosso único problema na viagem tem sido lidar com os preços altíssimos, com o Real mais desvalorizado do que nunca", diz.

Turistas no mercado de San Miguel, em Madri, Espanha - SUSANA VERA/REUTERS - SUSANA VERA/REUTERS
Turistas no mercado de San Miguel, em Madri, Espanha
Imagem: SUSANA VERA/REUTERS

Madri quer ser nova capital do luxo

A excelente receptividade do turista estrangeiro na reabertura espanhola estimulou a criação e o andamento de outros projetos turísticos. A prefeitura de Madri e o governo espanhol querem, por exemplo, transformar a cidade na nova capital de luxo europeia.

Depois de anos focando em turismo de praias e de massas, esta é a primeira vez que o turismo da Espanha decide investir pesado neste segmento.

A plataforma Madrid Capital del Lujo (MCDL) foi criada para estimular a atuação pública e privada (incluindo representantes da prefeitura e do Governo da Espanha e diversas empresas e investidores) em esforços para criar cada vez mais atrativos locais para o mercado de luxo (sobretudo em hotelaria, cultura, consumo e gastronomia).

Nos últimos doze meses, a capital espanhola inaugurou nada menos que três esperados hotéis de grandes redes de luxo — Four Seasons Madrid, Mandarin Oriental Ritz Madrid e, agora no final de outubro, o Rosewood Villa Magna Madrid —, com investimentos bilionários.

Os três hotéis têm apresentado altos níveis de ocupação e apostaram firme também na oferta gastronômica dentre seus serviços de destaque. Até o ano que vem, diversos novos hotéis do segmento luxo também devem abrir suas portas também na cidade, incluindo propriedades das marcas hoteleiras Evok, W e Edition.

Mas os investimentos obviamente não se restringem à hotelaria. Vale lembrar que a Espanha é também um dos países com mais restaurantes estrelados no Michelin no mundo. Madri toda está em obras atualmente, sobretudo na região central; e vem focando imensamente no consumo também.

Junto ao majestoso edifício que agora acolhe o hotel Four Seasons Madrid — o primeiro do grupo canadense no país — funciona também o novo shopping Galerias Canalejas, com mais de 15 mil metros quadrados e lojas de grandes marcas de luxo, como a Hermès.

A expectativa é que 40 lojas de luxo em perfumes, moda, acessórios e joias estejam em completo funcionamento no centro comercial até o final de novembro, além de uma área VIP com estilistas e designers e um "food hall" de alta gastronomia.

Com o W Madrid também abrindo suas portas por ali, a expectativa é migrar parte do turismo de luxo da cidade do bairro de Salamanca para os arredores da Plaza Canalejas e propagar internacionalmente a imagem de Madri como nova meca do turismo de luxo na Europa.