PUBLICIDADE
Topo

Turistas são barrados em cartões postais do RJ no 1º dia do passe sanitário

O Cristo Redentor, que comemora 90 anos em outubro de 2021, agora exige o passaporte da vacina para receber turistas - Carl de Souza/AFP
O Cristo Redentor, que comemora 90 anos em outubro de 2021, agora exige o passaporte da vacina para receber turistas Imagem: Carl de Souza/AFP

De Nossa*

16/09/2021 10h43

Apesar da boa recepção dos cariocas, o primeiro dia de exigência do "passaporte de vacina" surpreendeu turistas de fora do estado. Houve quem dissesse não ter sido informado da exigência.

"Não trouxe o cartão de vacinação, não nos foi avisado nem no hotel, nem a moça que nos vendeu o pacote (de viagens) pro Rio. Já estamos vacinadas, mas acabamos de descobrir que era obrigatório apresentar o cartão. Tentei baixar agora o ConecteSus, mas deu erro. Vamos ter que voltar mais tarde", contou a esteticista Fernanda Gueres à Agência Estado. Ela chegou de Ponta Grossa, no Paraná, ontem (15) com duas amigas e ficará no Rio até a próxima segunda.

No itinerário do trio estavam visitas ao Cristo Redentor, Bondinho do Pão de Açúcar e Parque Lage, mas logo nas primeiras horas foram impedidas de subir o Corcovado. Igualmente, a empresária pernambucana Nataly de Barros Silva também disse à agência que desconhecia a obrigatoriedade, mas mesmo assim conseguiu visitar o Cristo. "Por sorte eu trouxe o comprovante. Ando com ele sempre na bolsa. Em Recife agora melhorou bastante, a vacinação está avançada. Lá eles não exigem comprovante, mas acho que essa é uma medida que poderia ser seguida."

Enquanto isso, no Pão de Açúcar, a fila fluía, de acordo com a reportagem da AFP, pois a maioria dos visitantes já estava com o comprovante de vacinação em mãos. Novamente, foram apenas os turistas de fora do Rio de Janeiro que pareciam desconhecer a medida.

"Me parece muito excelente, porque assim se garante que todas as pessoas que compartilham uma área turística estão vacinadas. É uma boa estratégia, no Chile funcionou. As pessoas começaram a se vacinar quando pediram o comprovante", disse o chileno Rodrigo Campos, de 38 anos, ao veículo.

O CEO do Bondinho do Pão de Açúcar, Sandro Fernandes, garantiu à AFP que houve ampla divulgação da nova regra.

"Fizemos uma grande operação para comunicar os visitantes dessa obrigatoriedade com avisos no site, mídias sociais, informes nas entradas. Aumentamos nossos postos de atendimento para a verificação dos comprovantes e realizamos treinamentos com toda a equipe de atendimento e SAC para orientar os visitantes. Também estamos exigindo o comprovante de vacinação de todos os funcionários e lojistas do parque."

Caso o turista esteja sem o comprovante, é orientado a baixar o aplicativo ConecteSUS no celular, que dá acesso ao comprovante na base de dados do Ministério da Saúde. Se não estiver vacinado, é encaminhado à Secretaria de Saúde para se informar sobre a imunização. "Para esses casos, possibilitamos o reagendamento da visita", esclareceu Sandro.

O passaporte da vacina

A exigência do comprovante de vacinação, também chamado de passaporte sanitário deveria ter entrado em vigor em 1º de setembro, mas o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, adiou a medida em 15 dias para que fossem solucionados problemas técnicos no aplicativo para emissão do certificado.

O documento é obrigatório para entrar em estádios e centros esportivos, cinemas, teatros e casas de show, mas não é exigido em bares nem restaurantes. Os certificados emitidos no exterior também são aceitos pela fiscalização municipal.

"O passaporte é importante para que a cidade possa voltar ao normal", disse o prefeito na terça-feira (14). O Rio de Janeiro já teve cerca de 30 mil mortes por covid-19 desde o início da pandemia, com mortalidade bem acima da média nacional: são 439 fatalidades a cada 100 mil habitantes na cidade, enquanto no restante do país este número é de 280.

*Com informações da AFP e Agência Estado